Porto Velho (RO) quinta-feira, 4 de junho de 2020
×
Gente de Opinião

Hiram Reis e Silva

O Rondon de Daniel Scola – III Parte


O Rondon de Daniel Scola – III Parte - Gente de Opinião

Bagé, RS, 14.02.2020


Minha resposta ao jornalista Daniel Scola do jornal Zero Hora:

 

 

Caro Daniel Scola

 

Um povo sem história é um povo vazio. E quem não relembra os feitos de seu povo, não vive, não tem alma, não sente a vida, não vibra. (Leon Frejda Szklarowsky)

O que tivemos neste país, ao longo das famigeradas três décadas perdidas, foi uma total falta de apoio aos pesquisadores nacionais sérios que tentaram, sem sucesso, reportar e enaltecer nossas raízes históricas e heróis preté­ritos contando a verdadeira história da nação brasileira des­vinculada dos matizes rubentes com os quais os deletérios esquerdiopatas tentaram omitir e denegrir a imagem de nossos ídolos mais notáveis.

 

A história do mundo nada mais é que a biografia dos grandes homens. (Thomas Carlyle)

 

A história da humanidade nos ensina que é funda­mental conhecer e cultuar o passado, pois, sem glorificar nossos heróis e homens de ciência, a cultura e a moral de uma nação aos poucos se esvai. A Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, no ano de 1945, comenta:

 

O povo que despreza seu passado, que não tem apreço pelos seus maiores, que não se orgulha da tradição de sua gente: é um povo inexpressivo, amorfo, plástico, e, por isso, não tem o sentido nobre de si mesmo e está apto para aceitar o domínio alienígena ou se entregar, indigna­mente, a estrangeiros [...] (RIHGB, N° 186/187)

 

Carlyle é enfático afirmando, que nos tempos mais difíceis, “o culto dos heróis é o eterno alicerce sobre o qual a sociedade pode edificar-se novamente”.

 

Atualmente estamos passando por estes “tempos difíceis” a que se refere Thomas Carlyle, instituições total­mente fragilizadas e desacreditadas, moral e bons costumes vilipendiados, corrupção desmedida, educação caótica, mídia chula, novelas de baixíssimo nível interpretadas por atores medíocres e dirigidas por verdadeiros proxenetas de quinta categoria, a arte, que arte?

 

Realizei minha primeira descida pelos amazônicos caudais, no final de 2008 / início de 2009, e editei em 2010, pela Editora Universitária da PUCRS (EDIPUCRS), meu primeiro livro – “Descendo o Solimões” – patrocinado pelo General de Exército General de Exército Luiz Gonzaga Schroeder Lessa, um dos grandes ícones das nossas FFAA.

 

Até então minha vida como palestrante, colunista e escritor corria às mil maravilhas sem ter de enfrentar de chofre escolhos avermelhados na minha rota.

 

Os ideólogos de esquerda vociferam palavras de ordem e hasteiam sua democrática bandeira apenas quando esta atende aos seus funestos anseios. Vejamos apenas alguns exemplos, desta propalada democracia, que eu tive a oportunidade de vivenciar:

 

No início, idos de 2007, vários jornais publicavam meus artigos sobre a Amazônia até que escrevi um artigo condenando a falta de incentivos e projetos do Governo Federal que contemplassem a Amazônia Brasileira imediatamente minhas publicações que atingiam mais de duas dezenas de periódicos nacionais foram sendo reduzi­das drasticamente até chegarem a apenas três.

Link do mencionado artigo:

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/amazonia-muito-discurso-pouca-acao

 

No 2° semestre de 2014, procurei, novamente o Coronel Jerônimo Carlos Santos Braga, Diretor da EDIPUCRS, para editar, agora às minhas expensas, o livro “Descendo o Negro” (já com venda afiançada a 1.000 apoiadores interessados na sua aquisição) e ele sugeriu imediata­mente, apoiado pelo Conselho Editorial, de editar, sem ônus pela PUC, a minha coletânea, que naquela época era de 12 livros. Concordei entusiasmado com a incrível oferta e parti entusiasmado para a Circunavegação da Lagoa Mirim (28.12.2014 a 10.01.2015), pilotando o caiaque “Argo I” acompanhado de meus fieis parceiros Cel BM Sérgio Pastl e Reinaldo Benedetti, à bordo do veleiro “Zilda III” e Hélio Riche Bandeira noutro caiaque. As comunicações são precárias em toda a Lagoa Mirim e só conseguimos contato telefônico em Jaguarão e Santa Vitória do Palmar. Nestes dois centros urbanos recebi mensagem da EDIPUCRS para realizar certos “ajustes” no livro “Descendo o Negro” que estava sendo revisado pela Editora. Tive de abandonar, nas duas oportunidades, as confortáveis instalações do veleiro de apoio do amigo Reinaldo, pagar um táxi e hotel com acesso à internet para atender aos reclames da PUC. Notei, porém, que não eram correções no vernáculo em si, mas nitidamente polí­ticas em que eu apontava erros de pseudos-antropólogos em relação à demarcação de terras e outros. Os dias de minha sonhada coletânea estavam contados...

 

Em outra oportunidade, eu tinha orientado o Trabalho de conclusão de curso (TCC) de uma amiga, aluna de história da UFRGS, e o professor Avancini, seu orientador gostou das correções sugeridas e de um de meus livros que lhe enviei convidando-me a fazer uma palestra para seus alunos. Estava tudo muito bem encaminhado até que tomaram conhecimento de um artigo que eu escrevera:

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/formaturas-na-ufrgs-por-hiram-reis-e-silva

 

Diversas palestras agendadas em estabelecimentos de ensino do 2° grau e universitário foram suspensas tendo em vista meu alinhamento político não ser considerado de acordo com os ditames destes “valorosos” educandários. Interrompo aqui essas vivências ditas “democráticas”.

 

Nossa Expedição Centenária Roosevelt-Rondon (2014, 2015, 2017 e 2019) foi a única que percorreu todo o percurso da Expedição Original, desde a foz do Rio Apa, no Rio Paraguai até a confluência do Rio Roosevelt com o Aripuanã.

 

Você sabia disso? Não?

 

É porque eram nacionais os expedicionários – Não é Notícia!!!

 

Você enaltece o escritor Larry Rohter, porque nunca se debruçou sobre os inúmeros trabalhos à respeito do Marechal da Paz escrito por brasileiros – muitos de domínio público disponibilizados em diversas bibliotecas digitais.

 

 

# Rondon e o cachorro Caí (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/rondon-e-o-cachorro-cai

 

# Rondônia de Roquette-Pinto (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/rondonia-de-roquette-pinto

 

# Rondon e o Conde de Lippe (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/rondon-e-o-conde-de-lippe

 

# Benjamin Constant Botelho de Magalhães (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/benjamin-constant-botelho-de-magalhaes

 

# Rondon e os Bororos (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/rondon-e-os-bororos

 

# Rondon e Cruls no rio Cuminá – Quosque eadem (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/rondon-e-cruls-no-rio-cumina-quosque-eadem

 

# Expedição Roosevelt Rondon (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/expedicao-roosevelt-rondon

 

# Rondon o Líder (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/rondon-o-lider

 

# Rondon e a República (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/artigo-rondon-e-a-republica

 

# Rondon de Mimoso à Praia Vermelha (2009)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/artigo-rondon-de-mimoso-a-praia-vermelha

 

# Corrigindo um Erro Histórico (2018) – Parte I – “Ponte Telegráfica

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/corrigindo-um-erro-historico-por-hiram-reis

 

# Corrigindo um Erro Histórico (2018) – Parte II – “Descendo o Rio Paraguai

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/corrigindo-um-erro-historico-por-hiram-reis

 

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/corrigindo-um-erro-historico-parte-ii-por-hiram-reis

 

# Corrigindo um Erro Histórico (2018) – Parte III – “Nyoac

https://roraimaemfoco.com/artigo-corrigindo-um-erro-historico-parte-iii-hiram-reis-e-silva/

 

# General Rondon Preso no Sul (2018)

https://www.gentedeopiniao.com.br/colunista/hiram-reis-e-silva/general-rondon-preso-no-sul-por-hiram-reis-e-silva

 

Tríplice e Fraternal Abraço do Hiram Reis, um Canoeiro eternamente em busca da Terceira Margem.

 

 

Bibliografia de Rondon

 

CAJAZEIRA, Dr. José Antônio. Expedição Científica Roosevelt‒Roondon – Anexo N°6 – Brasil – Rio de Janeiro – Tipografia do Jornal do Comércio, de Rodrigues & C., 1916.

 

COMÉRCIO, Jornal do. Missão Rondon ‒ Brasil ‒ Brasília ‒ Edições Senado Federal, Conselho Editorial, 2003.

 

CRULS, Gastão Luís. A Amazônia que eu vi ‒ Brasil ‒ São Paulo ‒ Companhia Editora Nacional, 1938.

 

CUNHA, Comandante Heitor Xavier Pereira da. Viagens e Caçadas em Mato Grosso: Três Semanas em Companhia de Th. Roosevelt – Brasil – Rio de Janeiro – Livraria Francisco Alves, 1922.

 

JB, N° 132 a 138. Rondon, 75 Anos Depois ‒ No Caminho Dos Semivivos (I a VI) ‒ Brasil ‒ Rio de Janeiro, RJ ‒ Jornal do Brasil, n° 132 a 138, 09 a 16.06.1965.

 

LEDUC, Luiz. Luiz Leduc e a Saga na Comissão Rondon ‒ Brasil ‒ Rio de Janeiro ‒ www.luizleducjr.com.br/1parte-historia4.html, 2008.

 

MAGALHÃES, Amílcar A. Botelho de. Anexo n° 5 – Relatório Apresentado ao Sr. Coronel Cândido Mariano da Silva Rondon – Chefe da Comissão Brasileira – Brasil – Rio de Janeiro, RJ, 1916.

 

MAGALHÃES, Amílcar Armando Botelho de. Pelos Sertões do Brasil (1928) – Brasil – Rio de Janeiro – Companhia Editora Nacional, 1941.

 

MAGALHÃES, Amílcar A. Botelho de. Impressões da Comissão Rondon – Brasil – Rio de Janeiro – Companhia Editora Nacional, 1942.

 

RONDON, Cândido Mariano da Silva. Conferências Realizadas nos dias 5, 7 e 9 de Outubro de 1915 pelo Sr. Coronel Cândido Mariano da Silva Rondon no Teatro Phenix do Rio de Janeiro Sobre os Trabalhos da Expedição Roosevelt-Rondon e da Comissão Telegráfica ‒ Brasil ‒ Rio de Tipografia do Jornal do Comércio, de Rodrigues & C., 1916.

 

ROQUETTE-PINTO, Edgard. Rondônia: Anthropologia-ethnographia ‒ Brasil ‒ Rio de Janeiro ‒ Companhia Editora Nacional, 1938.

 

S. FEDERAL ‒ V. 8. Missão Rondon: apontamentos sobre os trabalhos realizados pela Comissão de Linhas Telegráficas Estratégicas de Mato Grosso ao Amazonas sob a direção do Coronel de Engenharia Cândido Mariano da Silva Rondon, de 1907 a 1915 – Brasil – Brasília – Senado Federal, Conselho Editorial, 2003.

 

VIVEIROS, Esther de. Rondon Conta Sua Vida ‒ Brasil ‒ Rio de Janeiro ‒ Livraria São José, 1958.

 

Fonte:

 

RIHGB, N° 186/187. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Edições 186/187 – Brasil – Rio de Janeiro, RJ – Imprensa Nacional, 1945.

 

ZERO HORA, 29.01.2020. Biografias ‒ Brasil ‒ Porto Alegre, RS ‒ Zero Hora, 29.01.2020.

 

Solicito Publicação

(*) Hiram Reis e Silva é Canoeiro, Coronel de Engenharia, Analista de Sistemas, Professor, Palestrante, Historiador, Escritor e Colunista;

·     Campeão do II Circuito de Canoagem do Mato Grosso do Sul (1989)

·     Ex-Professor do Colégio Militar de Porto Alegre (CMPA);

·     Ex-Pesquisador do Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx);

·     Ex-Presidente do Instituto dos Docentes do Magistério Militar – RS (IDMM – RS);

·     Ex-Membro do 4° Grupamento de Engenharia do Comando Militar do Sul (CMS)

·     Presidente da Sociedade de Amigos da Amazônia Brasileira (SAMBRAS);

·     Membro da Academia de História Militar Terrestre do Brasil – RS (AHIMTB – RS);

·     Membro do Instituto de História e Tradições do Rio Grande do Sul (IHTRGS – RS);

·     Membro da Academia de Letras do Estado de Rondônia (ACLER – RO)

·     Membro da Academia Vilhenense de Letras (AVL – RO);

·     Comendador da Academia Maçônica de Letras do Rio Grande do Sul (AMLERS)

·     Colaborador Emérito da Associação dos Diplomados da Escola Superior de Guerra (ADESG).

·     Colaborador Emérito da Liga de Defesa Nacional (LDN).

·     E-mail: [email protected].

O Rondon de Daniel Scola – III Parte - Gente de Opinião
O Rondon de Daniel Scola – III Parte - Gente de Opinião

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Hiram Reis e Silva

Cerâmica Santarena – Parte IV

Cerâmica Santarena – Parte IV

Bagé, 04.06.2020 Charles Frederick Hartt (1870) O material arqueológico tem sido tão rico que tem sido difícil de analisar. Novas coleções têm cheg

Cerâmica Santarena – Parte III

Cerâmica Santarena – Parte III

Bagé, 03.06.2020 Cerâmica SantarenaA Cerâmica de Santarém, notável pelo bom gosto e difícil estilização, caracteriza-se também pela abundância e var

Cerâmica Santarena – Parte II

Cerâmica Santarena – Parte II

Bagé, 02.06.2020 Arqueologia e Cerâmica Os Índios Pueblo acreditam que todas as suas peças de Cerâmica possuem alma; também as consideram como sere

Cerâmica Santarena – Parte I

Cerâmica Santarena – Parte I

Bagé, 01.06.2020 Cerâmica, Cultura na Ponta dos DedosHavia nesse povoado uma casa de reuniões, dentro da qual encontramos louças dos mais variados