Porto Velho (RO) terça-feira, 27 de julho de 2021
×
Gente de Opinião

Silvio Persivo

QUANTA MENTIRA!


"QUANTA MENTIRA!"

Um debate, por apenas duas horas, na maioria das vezes não consegue ser muito esclarecedor. No entanto este debate da TV Bandeirantes foi. E foi porque o que se viu foi um candidato, Alckmin, preparado, conhecedor dos problemas e afiado contra um Lula da Silva que se limitou a rememorar o governo FHC como se ele não fosse o dirigente atual, como se, depois de quase quatro anos, os problemas do passado pudessem justificar os problemas do presente. O pior é que Alckmin, implacável, fez o que seu posicionamento estava pedindo que foi lamentar que ele soubesse tanto do governo de FHC enquanto não sabia nada do seu. Arrassador.

A questão maior é que Lula, que foi chamado de mentiroso de forma direta e por sinônimos, se não mente, omite. É evidente que nenhum governo, se forte, se competente, vai deixar CPI ser instaurada. Lula criticou Alckmin por não deixar CPIs serem instaladas. Este respondeu, com razão, que, muitas delas, são apenas jogo político e que Lula não "deixou" ser apurado nada. Na verdade seu governo não teve forças e os escândalos foram tantos que os fatos impuseram a criação de CPIs. Poderia ter dito que elas não nasceram nem mesmo da oposição e sim do próprio desmazelo do governo. Não disse, porém mostrou que Lula da Silva não tem mais equipe de tantos auxiliares próximos envolvidos em falcatruas, de ser o primeiro governo a ter cinco ministros denunciados publicamente por crimes que podiam levá-los diretamente dos cargos para a cadeia não fosse a mão protetora do presidente e de seu partido.

A contundência maior, no entanto da fala de Alckmin veio do fato de que desmascarou, de forma agressiva, pouco comum nele, o discurso triunfalista de que o governo Lula fez o que não foi feito nos 502 anos anteriores. E o fez com números. Provando que o governo federal é responsável pelo baixo crescimento do país, pela falta de geração de empregos, pela falta de segurança, pela piora da saúde e da educação, pelo aumento do trabalho infantil e pelo maior número de mulheres chefes de família em situação precária. Ao acusar Lula de se comportar como um "comentarista" que fala das coisas como se não fosse responsável pela chefia do governo e de "terceirizar" a culpa bateu no âmago da falta de controle administrativo de Lula. Não é possível a um chefe de nação se comportar como um dono de botequim de terceira e dizer que não sabe o que se passa na sua cozinha. E para que servem os controles? Não é possível dizer que ética é punir quando se sabe quando roubaram. Ética é ter uma equipe que não rouba e se antecipar para permitir que não roubem. E Lula da Silva passou duas horas sem responder a pergunta inicial: de onde veio o dinheiro para o dossiê Vedoin? Ou responde a tal pergunta ou vai merecer em tudo o que disser a exclamação de Geraldo Alckmin sobre suas palavras: "Quanta mentira!". 

Fonte:  Sílvio Persivo - [email protected]

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Silvio Persivo

O Sol voltará a brilhar

O Sol voltará a brilhar

A grande verdade- e isto se observa com o hiato entre os políticos e os seus representados, bem como pelo papel indigno da grande imprensa no moment

O atraso vestido de progressista

O atraso vestido de progressista

O atraso sempre foi uma característica brasileira. E, convenhamos, não há nada demais em ser atrasado, quando sempre se foi assim. A questão, agora,

O experimento sem futuro dos aprendizes de feiticeiro

O experimento sem futuro dos aprendizes de feiticeiro

Os tempos atuais são tempos muito difíceis em razão de que a verdade e o bom senso estão sendo jogados na lata de lixo sem o menor escrúpulo. É evid

A tragédia da vacina

A tragédia da vacina

A Covid é uma catástrofe? Claro que é quando se vê o que acontece  na Índia, no Peru, na África do Sul e no México, talvez, na  Argentina ou na Ind