Sexta-feira, 12 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Silvio Persivo

Neymar faz gol de placa


Neymar faz gol de placa - Gente de Opinião

Queiram, ou não, os despeitados, porém a grande verdade é que Neymar Júnior é, no momento, o maior jogador de futebol em atividade. Não que possamos desconhecer a história de Messi ou de Cristiano Ronaldo, duas grandes lendas do futebol moderno, ou a qualidade de um Lewandowsky, de um Benzema ou de um Mbappé. Sim, todos são grandes nomes dos campos de futebol. No entanto, ninguém consegue ter o apelo emocional, a presença mundial e as atenções que Neymar desperta. Isto para o bem ou para o mal. Assim como o criticaram por ter ido para o PSG, agora, também o criticam por ir para o Al-Hilal. Até dizem que, como vai para um campeonato com menos apelo visual do que a Champions League, tende a encerrar sua carreira como jogador de alta intensidade. Isto é uma bobagem sem tamanho. A grande, a enorme realidade é que o futebol está equalizado em todo mundo. Num nível mais alto físico e de menor qualidade-é verdade-mas é assim. Basta ver que os clubes árabes, ultimamente, tem enfrentado os grandes clubes europeus de igual para igual. Basta ver, por exemplo, que o Olimpia faz três gols e desclassifica o Flamengo; que um clube como Deportivo Pereira ganhou do Boca Juniors, despachou o Independente Del Valle e está entre os oito maiores da Libertadores da América. Aqui mesmo, é preciso ver, que o América Mineiro, que está em último lugar no campeonato brasileiro, é um time muito difícil de ser batido, o que mostra o equilíbrio do Brasileirão, e, pasmem, está entre os oito classificados na Sul Americana e não será muito espantoso se chegar na semifinal ganhando do Fortaleza. Voltando a Neymar. A verdade é que sua ida para o PSG foi um passo arriscado. E ele foi protagonista no time francês. Pode ser que haja alguns erros seus, mas os acertos foram maiores. E, convenhamos, o campeonato francês é um dos mais pesados que existe, daí também as lesões que o acompanharam. A meu ver não teve sorte. Mas, o time também não ajudava pelas mudanças e o ajuntamento de jogadores. Até teve entrosamento, em alguns momentos, todavia nunca foi, de fato, uma grande equipe, mesmo agrupando jogadores de qualidade como o trio Messi, Neymar e Mbappé. O ambiente também nunca ajudou. Como não se valorizar ter um jogador como Messi, como Neymar no seu time? Como hostilizar estrelas deste tamanho? A verdade é que Neymar saiu por falta de opção, por não se sentir feliz em jogar lá. E ir para o Al-Hilal nas atuais circunstâncias é sim um gol de placa. Em primeiro lugar pela fortuna que irá auferir e, em segundo lugar, por potencializar as luzes que se jogam sobre o futebol árabe. Hoje, com nomes como os de Cristiano Ronaldo, Benzema, Kanté e tantos outros que poderiam ser citados é um futebol ascendente sim. Assim como Messi valoriza o futebol norte-americano também Neymar valoriza o futebol árabe. Ambos, como Cristiano Ronaldo, fazem história, uma nova história. E tornam o futebol o maior esporte mundial mais globalizado do que nunca. A verdade é que muitas pessoas no mundo, agora, comprarão a camisa do Al-Hilal e desejarão assistir seus jogos por causa de Neymar. Não é pouca coisa. E quando se paga o que se pagou para ele é porque, com certeza, o retorno vale a pena. 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Gente de OpiniãoSexta-feira, 12 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

A difícil e necessária convivência com o celular

A difícil e necessária convivência com o celular

Efetivamente, apesar da minha idade, sou um fã de novidades e de tecnologia. Regularmente escrevo sobre economia criativa e sobre Inteligência Artif

Os Orixás em cordel de Bule-Bule

Os Orixás em cordel de Bule-Bule

Quando conheci Antônio Ribeiro da Conceição, o grande mestre baiano Bule-Bule, ainda estávamos no século passado e ele fazia dupla com um outro nome

A inadiável necessidade de incentivar a indústria naval e a Marinha Mercante

A inadiável necessidade de incentivar a indústria naval e a Marinha Mercante

O Brasil é um país muito rico e, mais que rico, generoso, muito generoso com os outros países. Não falo apenas pelos investimentos do BNDES na Venez

O carnaval é uma festa familiar em todos os sentidos

O carnaval é uma festa familiar em todos os sentidos

Minha visão do carnaval, a partir da época de criança, sempre foi de festa, de um momento de inversão dos valores onde os homens se vestiam de mulhe

Gente de Opinião Sexta-feira, 12 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)