Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Léo Ladeia

Privatizar a Hidrovia do Madeira, pode? Assista entrevista de Raimundo Holanda no Tempo Real com Léo Ladeia


Privatizar a Hidrovia do Madeira, pode? Assista entrevista de Raimundo Holanda no Tempo Real com Léo Ladeia - Gente de Opinião 

Frase:
 

“O que pode um Temer se não enxergar que, pelo menos por enquanto, há apenas um túnel no fim da luz?”– Carlos Melo, cientista político. Professor do Insper.

1-Piada pronta I

Depois que os luminares do governo federal se estapearam para impedir o debate sobre a terceirização a oposição pegou o pião na unha e deitou o cabelo com o discurso que pode até faltar com a verdade e de certa forma falta, mas que convenhamos, é hilário: “como a CUT, seus sindicatos, o PT e o governo podem falar contra a terceirização, se a própria presidente Dilma acaba de terceirizar a articulação política do seu governo, entregando o trabalho difícil ao PMDB?”. A piada estava pronta e desculpem-me: rachei o bico.

 2-Piada pronta II

Para continuar rufando o bumbo deixando o governo mais constrangido que freira em lupanar, a oposição preparou outros sketchs e a lista não para. Diz-se que o governo federal parou de fazer concurso público para poder terceirizar o número de companheiros do PT nos cargos de confiança. Ou que existiriam mais de 250 mil terceirizados na Petrobras, exceto na “captação de recursos” que exige pessoal sem atestado de bons antecedentes. Dilma está no seu inferno astral. Sem cachorro, sem CUT, sem PT, sem Lula... Vixi!   


 


3-Um olhar cuidadoso sobre a EFMM

Privatizar a Hidrovia do Madeira, pode? Assista entrevista de Raimundo Holanda no Tempo Real com Léo Ladeia - Gente de Opinião

O advogado Amadeu Machado em recente entrevista ao Tempo Real fez uma profissão de fé na justiça. Menos de uma semana e o juiz federal Dimis da Costa Braga confirmou o que disse Amadeu, ao condenar o Município de Porto Velho, o Estado de Rondônia, o IPHAN e a União a efetuarem limpeza e lubrificação das locomotivas e peças da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, atingida pela enchente do ano passado, com realocação dos itens do acervo nos devidos lugares e mais: multa de R$ 100 mil para o Município de Porto Velho, Estado de Rondônia e IPHAN e um teto de R$ 500 mil para a União, a ser revertido ao fundo de direitos difusos. Enfim uma autoridade olha com carinho para nossa história. São Dimis da Costa Braga.

Privatizar a Hidrovia do Madeira, pode? Assista entrevista de Raimundo Holanda no Tempo Real com Léo Ladeia - Gente de Opinião


Assista comentário do jornalista Léo Ladeia no
Programa Tempo Real da TV Candelária/Record


4-Falando em história

Privatizar a Hidrovia do Madeira, pode? Assista entrevista de Raimundo Holanda no Tempo Real com Léo Ladeia - Gente de Opinião

A parceria entre FECOMÉRCIO, 17ª Brigada de Infantaria de Selva e a TV Rondônia levou à recuperação do memorial Jorge Teixeira em Porto Velho que estava abandonado e existindo por conta de abnegados. A reinauguração ocorreu depois de 4 meses de obras na estrutura do imóvel e de reorganização do acervo histórico. Iniciativas desse tipo bem poderiam ser estendidas a outros sítios históricos e não só em Porto Velho. A nossa história é rica e bela, mas se não for bem cuidada tende a desaparecer.

5-Oxigênio para o gás

Durante um período longo me dediquei a colocar esse tópico na coluna até que um dia o senador Raupp deu a notícia de que o gasoduto Urucu-Porto Velho não seria construído. A notícia teria vindo da própria ministra das Minas e Energia à época e o assunto foi de vez encerrado, pois a prioridade era a construção do gasoduto Urucu-Coari-Manaus. Fiquei mordido, engoli a seco a decisão da ministra Dilma e esperei o troco. A hora chegou com o Dr Moro apontando o dedo acusador. Lava Jato neles.  Vale a leitura.

6-Fogo selvagem

Depois de oito longos dias o incêndio que praticamente parou o Porto de Santos chegou ao fim. Espumas antichamas europeias e até um tipo de espuma da Bahia foram utilizadas – creio que espuma do mar ou de algum tacho de acarajé com as bênçãos e axés – para debelar o fogaréu. Já no Palácio do Planalto o  braseiro continua consumindo o que ainda resta de credibilidade da presidente depois dos seus 100 dias de agonia. E Dilma só tem contra o fogo, o PMDB de bombeiro e gasolina no lugar de espuma. É fogo!

7-Confúcio por um fio de cabelo

Privatizar a Hidrovia do Madeira, pode? Assista entrevista de Raimundo Holanda no Tempo Real com Léo Ladeia - Gente de OpiniãoNão está fácil a vida do governador Confúcio Moura, apesar de se manter no cargo por força de liminar, e depois de blogar que não governaria por esse instrumento. Pelo retrovisor ele vê os outros processos que chegam e na cola deles, Expedito Jr. Para nós – observadores compulsórios da guerra de bastidores –uma certeza: somos bucha de caga-fogo. Ou alguém aí sonhava algo muito diferente? Campanha precária, sem propostas e de sobra quatro anos para chupar picolé de sal entre recursos, embargos, coisa & lousa, etc.

8-Alvíssaras

A CCSA Associação Comunitária Conjunto Santo Antônio acaba de firmar uma parceria com a PM de Porto Velho para implementar um projeto que vem dando certo em várias cidades do Brasil. O projeto Vizinho Solidário nasceu da necessidade dos moradores e foi acolhido dentro da filosofia da polícia comunitária. O projeto é piloto e deve ser estendido a outras áreas. Segurança como se vê não é assunto só da PM.

9-Sem pé e nem cabeça

Alguém ouviu o termo hidrovia, juntou alhos com bugalhos e pariu uma ideia que por enquanto não tem pé e nem cabeça. Mais ainda, nem projeto, plano, estudo ou dinheiro para dar andamento. Ora, se nem o PSDB, considerado pela elite dirigente do Brasil, o partido-rei das privatizações imaginou ser possível, por que alguém iria querer fazer isso agora quando tudo que necessitamos é criar mais buracos nos cintos? Privatizar a Hidrovia do Madeira: a asneira só não é maior por ser risível. Ô raça desgraçada essa aí...

Privatizar a Hidrovia do Madeira, pode? Assista entrevista de Raimundo Holanda no Tempo Real com Léo Ladeia - Gente de Opinião

Clique AQUI e assista a entrevista de Raimundo Holanda
no Tempo Real da TV Candelária/Record.


 


 

10-Um coió correndo o trecho

O coiozão aqui saiu rodando a esmo pela cidade para ver as obras da Prefeitura e acreditem, elas existem. Mas não sei porque – deve ser alguma estratégia maurística – antes que terminem o serviço já retiram as máquinas e passam para outro ponto, dando a impressão de que o volume obras em andamento é bem maior. Não que isso vá mudar minha vida, mas é que me lembrei de que foi também assim com Roberto Sobrinho e no fim deu no que deu. Isso parece corrida de caranguejo na praia.      

[email protected]

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Léo Ladeia

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Recomendo vigorosamente àqueles que gostam das entranhas da vida partidária a leitura do livro “COMO MORREM AS DEMOCRACIAS”, um mergulho profundo no

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

As reportagens sobre pessoas em busca de restos de comida no lixo ou comprando ossos estão proliferando pelas TVS e redes de internet como algo novo

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Começo com a frase muito difundida no mundo cibernético: se você acha que é um cliente que recebe um produto de graça via internet, acredite: você é

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Disse o presidente da poderosa CBIC-Câmara Brasileira da Construção Civil que o setor está operando “como se fosse uma Ferrari andando com o freio d