Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Léo Ladeia

É difícil saber onde vai parar essa anomalia política...


Frase do dia:
 

É difícil saber onde vai parar essa anomalia política... - Gente de Opinião
 

“É difícil saber onde vai parar essa anomalia política, essa anarquia generalizada, essa falta de comando, de liderança em um país que vive à deriva e disputa o primeiro lugar em corrupção no mundo. O STF, a última esperança, caiu de quatro".  – Jornalista Jorge Oliveira

Gente de Opinião1-O aviãozinho chegou

Primeiro foi um convite para a troca de comando da Polícia Federal (Vídeo AQUI). Depois a notícia da entrega da medalha a um superintendente  – será que é por não ter ele invadido a ALE no período? – e em meio a isso, informações urgentes, fidedignas e secretas, soltas aqui e ali, meio que sem querer querendo pelos correspondentes de cada banda dando conta de uma operação – esta, a final – para liquidar de vez com a pendenga. Sem “face” e paciência, fico esperando o avião “duzóme”. Ontem à tarde um aviãozinho passou por cima da minha casa e pelo que dizem vai faltar ventilador na praça.

2-Enfim Valter Araújo

Acordei cedo e fiquei no aguardo. A notícia chegou mais tarde e apesar dos avisos que recebi, foi uma surpresa. Valter Araújo, ex-deputado estadual e ex-presidente da ALE, que em novembro faria 2 anos de fuga havia-se apresentado espontaneamente à justiça. Valter surgiu e desapareceu logo a seguir. Foi para a prisão e deixou um rastro de perguntas. As respostas são todas dele, Valter, ou de pessoas mais próximas como o seu advogado ou seu irmão que mora na distante Chupinguaia. Por que Valter voltou agora, por onde esteve, por que não antes? Estratégia, mistério ou coincidência?Gente de Opinião

3-Bruxa solta

Se é estratégia da defesa imagino que envolve troca, ou seja, a delação premiada. Talvez daí a fala que justificaria a longa ausência e a apresentação abrupta: havia ameaça de morte. Mas fica o mistério: onde ele andou e de novo a fala remete à estratégia de defesa com um detalhe que visa deixar o aparato de segurança em situação desconfortável: Valter nunca teria saído de Porto Velho. “Yo no creo en brujas, pero las hay.” No meu caso nem em bruxas nem em coincidências, apesar de Valter surgir – coincidência? – justo no dia da audiência em que seria ouvido com outros envolvidos.

4-Uma longa espera

O que Valter vai revelar na próxima audiência ou noutros depoimentos? Tudo o que sabe, ou o que precisa falar para salvar a sua pele? Para nós – os que pagam a conta e carregam a carga – o ideal é que ele fale tudo o que sabe, desenhe um organograma, organize uma lista, prepare uma planilha e entregue tudo sem faltar nada e ninguém. Mas não deve ser bem assim. Ninguém faz prova contra si ou dá algo sem obter vantagem. Valter não fará prova, mas e quanto a vantagem, qual seria ela?

5-Flash-back

Bastou o anúncio de sua apresentação à justiça para que as estruturas balançassem. E não apenas as políticas. Volto no tempo: o envolvimento de pessoas, empresas e instituições públicas, revelado quando da deflagração da operação Termópilas era bem maior do que se supunha, ainda que muita coisa suja já estivesse saindo pela tampa do esgoto. A fuga do Valter Araújo frustrou as expectativas e abriu espaço para que por quase dois anos a luta mudasse de feição e de contendores.  

6-No jogo

Ainda que por ora preso e ainda que por ora mudo, Valter Araújo voltou ao jogo. Sem mandato e sem imunidade parlamentar, terá que usar apenas as cartas que dispõe, o que convenhamos não é pouco. Conhecendo o esquema a partir de dentro, o papel de cada ator e tendo passado um tempo como observador privilegiado, eventualmente puxando cordéis e fazendo o boneco dançar, pode-se perceber sua vantagem razoável. A questão é saber se há interessados no que ele tem a dizer.  

7-Direto ou indireto

Pouco antes da Operação Termópilas, Valter Araújo era o nome mais forte para disputar a eleição ao governo do estado, até ser abatido em pleno voo. Será errado pensar que ele quer seu mandato de volta como primeiro passo para retornar àquele momento? Para isso irá atacar diretamente seus adversários expondo as vísceras do que supomos existir, ou deixará que sejam fustigados de forma indireta como até aqui ocorre? Será que Valter esteve mesmo em algum momento fora do jogo?

8-Cotidiano macabro

Todo dia é tudo sempre igual. O caraminguá sai do bolso do contribuinte entra no caixa do governo e a partir daí encontra a bifurcação. Parte retorna ao povo na forma de obras e serviços e outra vai para o cano da corrupção. A parte que retorna ao povo é conhecida: serviços ruins e obras às vezes não prioritárias e caras. A outra parte aparece nas operações policiais: bandidos e mocinhos lutam uns contra os outros pelo butim. Para rimar, o desfecho é sempre igualzin: o povo morre no fim.

9-Comissões processantes

Na Câmara de Vereadores de Porto Velho, com a volta de Jair Montes, o trabalho da comissão vai ser maneiro. Já na Assembleia Legislativa, tendo apenas Ana da Oito indiciada pelo MP, também. Só para cutucar: ganha uma fatia de marmelada com creme de leite quem ainda se lembra de quantos e quais foram os vereadores e deputados denunciados pela polícia na Operação Apocalipse.

10-Pois é...

Prosopopeia político-policial: proscritos prostrados prospectam a próxima prescrição.   

[email protected]

 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Léo Ladeia

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Recomendo vigorosamente àqueles que gostam das entranhas da vida partidária a leitura do livro “COMO MORREM AS DEMOCRACIAS”, um mergulho profundo no

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

As reportagens sobre pessoas em busca de restos de comida no lixo ou comprando ossos estão proliferando pelas TVS e redes de internet como algo novo

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Começo com a frase muito difundida no mundo cibernético: se você acha que é um cliente que recebe um produto de graça via internet, acredite: você é

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Disse o presidente da poderosa CBIC-Câmara Brasileira da Construção Civil que o setor está operando “como se fosse uma Ferrari andando com o freio d