Porto Velho (RO) domingo, 12 de julho de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Vegetais e agricultura + Troca-troca de esposas por políticos + Vivaldo nas paradas


Vegetais e agricultura + Troca-troca de esposas por políticos + Vivaldo nas paradas - Gente de Opinião

Vegetais e agricultura

Dentre as boas notícias que fecharam 2019, uma das mais promissoras e salutares para a autoestima dos brasileiros, arrasada por maluquices que envergonharam o país, destaca estudos para a produção de energia elétrica a partir de células solares que em lugar de caros materiais de base metálica empregam componentes vegetais simples achados na Amazônia.

Nesse caso, um nome e uma organização merecem menção: o químico suíço Michael Grätzel, agraciado em 2010 com o Prêmio de Tecnologia do Milênio, e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Amazonas, cujos pesquisadores comprovam que a floresta dará sempre mais a quem a proteger e usar bem.

O ano também fechou com más notícias. Há uma bateria intensa de dados negativos sobre a região, apontando mais destruição e descuido, mais criminosos ágeis e governança paralisada. De resto, longe de ser a causa da destruição e do crime, o agronegócio sofre acusações que não merece.

A ministra Tereza Cristina disse recentemente em Berlim, no Fórum Global para a Alimentação, que a agricultura não pode ser vista como “o vilão do clima” porque apenas 10% da produção – e de pequenos agricultores – está na Amazônia. Não faltou, lá mesmo, quem a acusasse de mentir, mas sempre que alguém chama outro de mentiroso o ônus da prova cabe ao acusador. Fica mal dizer que algo é mentira sem provar.

....................................................

Troca-troca

Não querendo voduzar ninguém, mas já voduzando o troca-troca de esposas por políticos do segmento evangélico tem causado derrotas seguidas, acidentes e desmoralização perante o eleitorado. Recapitulando: lembram quantos políticos quarentões e cinquentões – inclusive deputados - trocaram as esposas quarentonas por gatinhas? As consequências foram as piores possíveis. E 2020 já começou com algumas lideranças evangélicas substituindo esposas. Não tenham dúvidas que os infiéis  estão afrontando um segmento conservador e que em eleições futuras vão se lascar.

Plano Diretor

Com crateras lunares, bairros alagados e padecendo com a saúde, educação e segurança pública e índices sofríveis de saneamento básico o município de Porto Velho comemora (?) mais um aniversário neste dia 24 de janeiro. Com seus 530 mil habitantes e se espichando por todos os lados tem grandes desafios para a década que já devem estar inseridos na revisão do Plano Diretor - incluindo a sofrível mobilidade urbana - elaborado pelos técnicos do planejamento.

Vivaldo nas paradas

O ex-presidente da Câmara de Vereadores, ex-secretário de Obras Vivaldo Garcia, festejado radialista na década de 80 e cantor de forró (seu maior sucesso foi a menina do pacu grande) é mais um na lista de possíveis candidatos à prefeitura de Porto Velho nas eleições de outubro. Vivaldo reside hoje estrategicamente no bairro Esperança da Comunidade, um dos mais populosos da Zona Leste

Eleições 2020

O MDB de Porto Velho, que tem em sua direção o empresário Dirceu Fernandes – raro político pitoco no partido – começa as tratativas para as eleições municipais de outubro buscando uma candidatura própria. É a forma da legenda reforçar a boa chapa de candidatos a vereança da legenda, bem competitiva. A confirmar a iniciativa o MDB muda a estratégia local, que foi sempre buscando alianças indicando vices.

Ungidos do PSL

Inicialmente o PSL, partido do governador Marcos Rocha tinha dois pré-candidatos a prefeito na capital: o deputado federal Crisóstomo e o estadual Eyder Brasil. Tudo indica que nenhum tem as bênçãos do mandatário rondoniense que busca um nome da sua confiança nas esferas estaduais para entrar na peleja. A escolha está sendo feita entre três nomes do primeiro escalão de Marcos Rocha e a decisão vai deixar os concorrentes do PSL em pé de guerra.

Via Direta

*** A dengue volta a preocupar as autoridades de saúde em Rondônia e no Acre *** Em Porto Velho os maiores focos de infestação estão na Zona Leste *** Nada decidido ainda sobre a nova concessionária que vai assumir o caótico sistema dos transportes coletivos na capital rondoniense *** E assim que assumir a nova empresa já trará um presente de grego para a população local que será o reajuste na tarifa *** A inauguração do projeto beira- rio com a urbanização da orla do Rio Madeira já foi chutada para julho *** Isto caso o fenômeno das terras caídas não desbarranque  novamente  o enroncamento realizado pelo Consórcio da Usina Santo Antônio *** Percorri alguns bairros em Porto Velho e constatei os efeitos das chuvas: buracos e alagações para todo lado numa cidade onde se vê  ainda até as fezes pululando nas ruas.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Um símbolo brasileiro + Centrão vitaminado + O prefeito Hildon Chaves tinha duas cartas + Uma reação

Um símbolo brasileiro + Centrão vitaminado + O prefeito Hildon Chaves tinha duas cartas + Uma reação

Um símbolo brasileiroHá slogans muito repetidos em campanhas eleitorais, geralmente entre marchinhas de louvor e aplausos de claque. Um deles foi “m

Radicais do dinheiro + As falsianes + Podem atrasar + Coisa de louco!

Radicais do dinheiro + As falsianes + Podem atrasar + Coisa de louco!

Radicais do dinheiro Caiu a máscara: quem repudiava cuidados ambientais alegando que seriam exageros de esquerdistas radicais passou a sofrer a pre

Chuva de ações + Nova aposta do PT + Obras esperadas + As pragas

Chuva de ações + Nova aposta do PT + Obras esperadas + As pragas

Chuva de açõesA disputa entre polos antagônicos se alastrou tanto que ficou difícil para o público distinguir entre as notícias falsas e as verdade

Saídas existem + Clãs políticos + Puro sangue + Eleições 2020

Saídas existem + Clãs políticos + Puro sangue + Eleições 2020

Saídas existemQuem descartar os extremos complicadores da polarização encontrará um fértil debate sobre as opções da Amazônia para evitar o triplo