Porto Velho (RO) sábado, 28 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Rezarão para chover + Assis Canuto, 50 anos de história em Rondônia + PT com faísca atrasada


Rezarão para chover + Assis Canuto, 50 anos de história em Rondônia + PT com faísca atrasada - Gente de Opinião

Rezarão para chover

A possibilidade de produzir duas safras de grãos por ano no mesmo local é um milagre geográfico do Sul amazônico. Milagres, entretanto, podem se inviabilizar na ausência do milagreiro – e no caso da safra dupla um de seus componentes é a manutenção das condições climáticas propícias que permitem os dois plantios por ano. 

Há um fator que já ameaça a varinha de condão climática do milagreiro, a julgar por estudo dos pesquisadores mineiros Marcos Heil Costa e Argemiro Leite Filho. Em artigo publicado na revista científica International Journal of Climatology, em 15 anos (1998 a 2012), a estação das chuvas passou a começar seis dias mais tarde e a terminar 20 dias mais cedo.

Se suas assustadoras conclusões estiverem corretas, o milagreiro poderá ter a varinha quebrada em um futuro próximo, pois isso representa quase um sétimo do período propício – os cerca de sete meses de chuva que a partir de outubro permitem plantar soja e em seguida o milho. Encurtar progressivamente o período ótimo ameaça o milagre das duas safras.

O vilão, no caso, é um velho conhecido: a causa que encurta o período propício é o desmatamento. No resumo das contas dos pesquisadores, menos mata resulta em menos chuvas. Claro, há quem negue essa conclusão. Enquanto chover um dilúvio sobre o Sudeste haverá gente rezando para chover menos.

.................................................................

Meio século

No meio da semana, o ex-prefeito de Ji-Paraná, ex-deputado federal e ex-vice-governador Assis Canuto foi lembrado nas mídias sociais por meio século de Rondônia por suas grandes realizações. Um destaque merecido e para se ter ideia da importância de Canuto no contexto histórico rondoniense ele foi o responsável pelos embriões de mais de 40 cidades – Rondônia tem 52 municípios – nestes seus 50 anos de história. Trata-se do maior colonizador rondoniense ainda vivo e  mesmo beirando os 80  anos ainda forte como um pinheiro.

As especulações

Já rolam todas as especulações para as eleições municipais de outubro mesmo antes das folias de Momo. Entre elas, a formação de grandes coalizões para a disputa da prefeitura de Porto Velho, mas uma chapa me chamou atenção. Vinicius Miguel a prefeito com Alex Palitot a vice, com as bênçãos do deputado federal Léo Moraes (Podemos). Uma composição pitoca, irretocável e com grande identidade com a população, deixando o plano da zebra para ares de favoritismo. Neste caso Léo se reservaria a  peleja da cadeira ao Senado em 2022.

Faísca atrasada

O PT de Rondônia anda com a faísca atrasada para as eleições municipais, bem diferente dos bons tempos de Eduardo Valverde, Roberto Sobrinho, Odair Cordeiro, José Neumar, etc. A legenda se apequenou em Rondônia nos últimos pleitos, depois de uma década de hegemonia com a senadora Fátima Cleide, o prefeito  Sobrinho, os deputados federais Valverde e Padre Tom e uma baita bancada de parlamentares na Assembleia Legislativa. Um PT que busca recuperar terreno nesta década, mas já sem a onda vermelha de Lula.

Fé  e esperança

Na expectativa de leite e mel, de melhorias rápidas para suas comunidades junto aos órgãos públicos de Porto Velho, as lideranças das invasões  na capital rondoniense vem apelando para denominações  bíblicas para seus bairros: Monte Sinai, Porto Cristo, Terra Prometida são algumas ocupações consolidadas, mas os nomes bíblicos não sensibilizaram sucessivos prefeitos na capital no sentido de botar a infraestrutura tão sonhada. A esperança é melhorias em temporada de eleição.

Censo 2020

Depois de estimativas precárias há vários anos, o IBGE começa a contratar servidores para a realização do grande censo 2020. Uma contagem populacional que deverá confirmar em Rondônia o despovoamento de algumas regiões – casos de localidades do Cone Sul rondoniense, Zona da Mata e outras - que não conseguiram prosperar depois do ciclo da madeira. Embora o gado, a soja e o peixe vitaminem a economia de polos regionais importantes, municípios pequenos estão padecendo e já ameaçados de se transformar em cidades fantasmas.

 

Via Direta

*** Alguns dragueiros e balseiros estão largando Rondônia para comprar ouro na fronteira com a Venezuela com bons ganhos na revenda Brasil afora. Haja ouro nas cuecas *** O prefeito de Hilton Chaves (PSDB) acelera o asfaltamento das ruas em pleno inverno amazônico na capital rondoniense *** São várias frentes de trabalho em andamento *** A Zona Leste de Porto Velho aguarda com expectativa a inauguração do Shopping dos Gonçalves na av. Amazonas, região do Jardim Santana *** O presidente do Diretório Municipal do PDT de Porto Velho Ruy Motta voltou das férias e já está se movimentando para a formação de chapa a vereança no partido *** O centro histórico  de Porto Velho deteriorado proporciona má impressão aos visitantes e segue se acabando *** Urge a revitalização *** Vem aí uma chapa a prefeito e vice para receber os votos de protestos. Para prefeito Pedro Soares, presidente dos cornos, para vice a Bailarina da Praça *** E assim caminha a humanidade! 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

...E até quando? + O pesadelo da Covid-19 + Baita desafio + O isolamento

...E até quando? + O pesadelo da Covid-19 + Baita desafio + O isolamento

...E até quando?É de conhecimento até do migrante mais recente, que o município de Porto Velho com seus mais de 20 distritos –alguns distantes 350

Fama de preguiçosos + Tempos difíceis para as teúdas e manteúdas dos políticos + Amazônia tudo é urgente

Fama de preguiçosos + Tempos difíceis para as teúdas e manteúdas dos políticos + Amazônia tudo é urgente

Fama de preguiçososO folclore político rondoniense registra que uma das maiores dificuldades dos candidatos ao governo do estado de Rondônia oriundo

A união preventiva + O jeitinho + Em cascata + Buraco Negro + A desobediência

A união preventiva + O jeitinho + Em cascata + Buraco Negro + A desobediência

A união preventivaFoi preciso um vírus assustador para mostrar a estupidez e a infantilidade dos radicais que gritavam uns nas caras dos outros e se

Bem cotados a prefeito em Porto Velho + Nos idos da colonização + O manejo + As costuras

Bem cotados a prefeito em Porto Velho + Nos idos da colonização + O manejo + As costuras

Nos idos da colonizaçãoFazer campanha eleitoral nos idos da colonização rondoniense,  nas décadas de 60,70 e 80 era uma tarefa inglória para a opos