Porto Velho (RO) sábado, 28 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Gore, o pirralhão + Projeto definido do MDB + PSB com a maior bancada + Puro sangue


Gore, o pirralhão + Projeto definido do MDB + PSB com a maior bancada + Puro sangue - Gente de Opinião

Gore, o pirralhão

Não se pode considerar o ex-vice-presidente dos EUA, Al Gore, um “pirralho”, embora defenda argumentos como os da jovem ativista sueca Greta Thunberg. Além disso, Greta não tem poder, apesar da influência sobre a juventude, ao contrário de Gore. Ele pertence a um dos partidos mais poderosos do mundo – o Democrata, contrário à política ambiental brasileira.

Em campanha pelo impeachment do presidente Donald Trump ou sua derrota nas eleições de novembro, os democratas têm maioria na Câmara dos Deputados. Mesmo com Trump reeleito, há sinais de que terão maioria também no Senado, passando a controlar as duas casas. Não se pode peitar esse poderoso partido como se fez com o frágil presidente francês, Emmanuel Macron, acossado pelo próprio povo nas ruas.

Com Al Gore, mais que insultos e ironias, há necessidade de argumentos científicos e informações precisas. A influência que ele tem não é desprezível. Poucos no mundo o conheciam quando foi vice-presidente, mas seu documentário “A Verdade Inconveniente” é conhecido nos quatro cantos do mundo.

Por sua influência e força, Al Gore, membro da “raça em extinção” dos jornalistas, precisa ser respondido com verdades convenientes. Espera-se que o recém-criado Conselho da Amazônia seja capaz de respondê-lo à altura. Ou seja, com respeito, exatidão e qualidade.

.......................................................

Projeto definido

O MDB começa a se preparar para as eleições de outubro em Rondônia com sucessivas reuniões no interior do estado e já conta com um projeto definido para reconquistar o governo estadual em 2022. O partido que já esteve no  antigo Palácio Presidente Vargas com Ângelo Angelim (Nomeado-Vilhena), Jerônimo Santana (Porto Velho), Valdir Raupp (Rolim de Moura) e Confúcio Moura (Ariquemes- também reeleito)  pretende lançar o deputado federal Lucio Mosquini (Jaru) para o CPA.

Ungido de Confúcio

O deputado federal Lucio Mosquini, que é o atual coordenador da bancada federal rondoniense no Congresso Nacional, é uma aposta do ex-governador e atual senador Confúcio Moura que tenta unificar a legenda em torno deste nome para disputar o governo estadual. É bem possível que a ala Raupp entre em entendimento com os confucionistas, já que as mágoas ocorridas na convenção - e a  derrota de 2018 com Maurão e Raupp - já foram superadas.

Puro sangue

O PC do B, liderado pelo ativista Pantera, festeja 98 anos de criação em março e promete ir para o pleito de outubro com chapa puro sangue para a peleja da prefeitura de Porto Velho e com formação completa de 32 candidatos a vereança. O partido segue recrutando reforços e tem na vereadora Elis Regina que disputou a reeleição seu nome mais forte. É uma tendência dos pequenos partidos lançar candidatura própria a prefeito para reforçar as chapas a vereança.

Maior bancada

O PSB de Porto Velho tem a maior bancada de vereadores no Poder Legislativo local com quatro representantes e o presidente regional Mauro Nazif espera ampliar sua representação na eleição de outubro vindouro. Para tanto, a legenda contará na capital com candidatura própria  numa aliança com vários partidos de oposição. O pré-candidato a prefeito é o próprio deputado federal Mauro Nazif que já começa a trabalhar no processo de escolha do seu vice.

Nome do PSL

Como o deputado federal Crisóstomo lidera a formação do Aliança pelo Brasil em Rondônia, junto com Bagatolli e cia, já fica descartada sua candidatura a prefeito pelo PSL. O nome mais forte para a disputa no partido governista é do deputado estadual Eyder Brasil, no entanto o que rola nos bastidores do CPA é que ele não tem a confiança do governador Marcos Rocha que intramuros conspira para que um secretário da sua gestão entre na disputa sucessória local.

 

Via Direta

*** Finalmente a prefeitura de Porto Velho e o governo do estado de Rondônia firmaram parceria para a recuperação da estrada do Belmont *** Foi um jogo de empurra que se prolongou por várias administrações municipais e estaduais *** O prefeito Hildon Chaves (PSDB) colocou várias equipes para dinamizar a operação tapa buracos nas ruas e avenidas na capital afetadas pela estação das chuvas *** As gatinhas, teúdas e manteúdas dos políticos que ocupavam apartamentos num prédio nas imediações da antiga Esplanada das Secretarias foram “rebaixadas” para quartos de uma “estância” no Embratel *** São tempos de crise até os políticos – e os traficantes estão economizando *** O Rio Madeira segue  uma gangorra, subindo e descendo conforme o volume das chuvas nos altiplanos bolivianos.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

...E até quando? + O pesadelo da Covid-19 + Baita desafio + O isolamento

...E até quando? + O pesadelo da Covid-19 + Baita desafio + O isolamento

...E até quando?É de conhecimento até do migrante mais recente, que o município de Porto Velho com seus mais de 20 distritos –alguns distantes 350

Fama de preguiçosos + Tempos difíceis para as teúdas e manteúdas dos políticos + Amazônia tudo é urgente

Fama de preguiçosos + Tempos difíceis para as teúdas e manteúdas dos políticos + Amazônia tudo é urgente

Fama de preguiçososO folclore político rondoniense registra que uma das maiores dificuldades dos candidatos ao governo do estado de Rondônia oriundo

A união preventiva + O jeitinho + Em cascata + Buraco Negro + A desobediência

A união preventiva + O jeitinho + Em cascata + Buraco Negro + A desobediência

A união preventivaFoi preciso um vírus assustador para mostrar a estupidez e a infantilidade dos radicais que gritavam uns nas caras dos outros e se

Bem cotados a prefeito em Porto Velho + Nos idos da colonização + O manejo + As costuras

Bem cotados a prefeito em Porto Velho + Nos idos da colonização + O manejo + As costuras

Nos idos da colonizaçãoFazer campanha eleitoral nos idos da colonização rondoniense,  nas décadas de 60,70 e 80 era uma tarefa inglória para a opos