Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Chega de perder + A revitalização + Cartas no MDB + Construção civil


Chega de perder + A revitalização + Cartas no MDB + Construção civil - Gente de Opinião

Chega de perder

A péssima imagem do Brasil não é falta de propaganda cara no exterior sobre as maravilhas da Amazônia e do país. É preciso reconhecer que a diplomacia falhou: na hora em que a Amazônia é o principal assunto do mundo – ONU, G7, Sínodo, cobertura inigualável da imprensa global –, tamanha relevância deveria levar o Brasil à liderança do esforço mundial pela salvação da humanidade, jamais a uma posição submissa e negativa, cheia de ressentimentos, mal entendidos e erros infantis na diplomacia.

A melhor diplomata brasileira é a ministra Tereza Cristina, da Agricultura, que faz um inteligente papel de “bombeira”, apagando o fogaréu ideológico no qual bilhões de dólares foram queimados a toa. De fato, na ótica também correta do empresário Newton Simões, a crise criada com as incompreensões sobre a Amazônia foi desnecessária: “Não conquistamos nada com isso”. Além de não ganhar nada, o Brasil perdeu muito e ainda não se sabe até que ponto as perdas poderão ir.

Entrou na pauta do parlamento britânico petição para que a União Europeia e a ONU apliquem sanções ao Brasil por favorecer o desmatamento. Na França, a ministra do Ambiente da França, Élisabeth Borne, disse que seu país não vai assinar o acordo entre a União Europeia e os países do Mercosul se o Brasil não ceder às exigências. Chamá-la grosseiramente de “feia” não vai resolver a situação.

............................................................................


A revitalização

Aproveitei o final de semana para bisbilhotar a região portuária e o centro histórico. Os comerciantes da Av. Sete de Setembro reclamam da prefeitura de Porto Velho pela falta de um projeto de revitalização naquela importante via, cujo comércio só tem regredido nos últimos anos. Também chiam sobre a falta de decorações temáticas no Natal, Páscoa, Dia das Crianças etc. Neste caso a coisa já é também com a Associação Comercial.


Nem aí...

Ainda na capital, percorrendo a populosa região do Jardim Santana, na Zona Leste e Aeroclube, região da Zona Sul, foi possivel constatar que o povo não está nem aí para as eleições do ano que vem. Ainda falta passar o Natal, o carnaval do inicio de ano e analisar como o atual prefeito vai enfrentar o inverno amazônico na temporada de alagações para a coisa começar a definir quem é quem na ordem do dia.


Cartas no MDB

 Unidos, o senador Confucio Moura e o deputado federal Lucio Mosquini – este coordenador da bancada federal na Câmara dos Deputados - começam a dar as cartas no MDB de Rondônia que durante muitos anos esteve sob o jugo do casal Raupp, então senador Valdir e deputada Marinha.  A nova dupla já esta traçando alianças pelos municípios. Em Porto Velho ainda não existem nomes cogitados pelo partido.


Construção civil

 Em várias capitais brasileiras – inclusive em São Paulo - a construção civil e o segmento imobiliário finalmente começaram a reagir.  Uma tendencia que pode chegar a Porto Velho em meados do ano que vem com a reação da economia. Com os estoques de barbadas e “galinhas mortas” acabando, tudo se encaminha também para um aumento no preço dos imoveis depois de cinco anos em queda livre.


Saneamento

O prefeito de Vilhena Eduardo Japonês (PV) comemora o lançamento do edital de licitação para o sistema de saneamento básico do município, o quarto mais populoso do estado, orçado em R$ 80 milhões, uma das maiores obras da municipalidade. Com entrosamento junto à bancada federal e bem articulado com a Assembléia Legislativa, o alcade tem obtido bons resultados com sua política de boa vizinhaça com a classe política.


Via Direta

*** Os taxistas portovelhenses estão revoltados com a vulgarização dos aplicativos e a pirataria instalada no mercado na capital *** É que a fragmentação deste segmento esta causando prejuizo para todo mundo. O ano de 2019 foi muito ruim para a categoria *** As lideranças de União Bandeirantes reclamam das demandas sociais não atendidas,principalmente da saúde e na esfera educacional *** Aumentou geometricamente o numero de protestos em cartórios contra consumidores de energia em Porto Velho *** Fala-se até em 2 mil protestos diariamente, um absurdo *** Vilhena abriu concurso público. As inscrições começam hoje. Salários de até quase R$ 9.000,00 *** Bagatolli continua choraminguando por ter sido expulso do PSL pelo ex-aliado governador Marcos Rocha *** Talvez não se recorde que tem infernizado o governador com intrigas de Jacinopolis a Colina Verde...  

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Do cisne ao boto + Taca-lhe o pau + Perdendo terreno + Chiadeira dos dirigentes das escolas de samba

Do cisne ao boto + Taca-lhe o pau + Perdendo terreno + Chiadeira dos dirigentes das escolas de samba

Do cisne ao botoO suíço BIS, considerado o “banco dos Bancos Centrais”, publicou há pouco um livro que será muito lido, não pela qualidade literári

Magia por consenso + Troca-troca + Farra partidária + Uma revoada

Magia por consenso + Troca-troca + Farra partidária + Uma revoada

Magia por consensoNa Escola de Magia e Bruxaria do Brasil, localizada no interior de São Paulo, há um confuso “quadribol” jogado com cinco bolas, c

Da ficção à realidade + Levas de deportados + A cariocarização das facções + A militarização

Da ficção à realidade + Levas de deportados + A cariocarização das facções + A militarização

Da ficção à realidadeO sonho de extrair minérios abundantes e caros das terras indígenas tromba com o pesadelo mundial de que a degradação da Amazô

Expedito e Ivo pulam cirandinha + A cobiçada Amazônia + Vai que cola! + É candidatíssimo!

Expedito e Ivo pulam cirandinha + A cobiçada Amazônia + Vai que cola! + É candidatíssimo!

A cobiçada AmazôniaSerá ridículo um bafafá internacional entre militares brasileiros e franceses por conta do vazamento da “minuta sigilosa” na qual a