Porto Velho (RO) sexta-feira, 3 de julho de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

As vespas e o Conselhão + Os deportados + Muita confusão + Os parentes


As vespas e o Conselhão + Os deportados + Muita confusão + Os parentes - Gente de Opinião

As vespas e o Conselhão

Quais as chances de um filme de Hollywood em que as aranhas fossem as inocentes vítimas de terríveis vilãs? Aranhas em geral não convencem muito no papel de vítimas, mas neste caso há, já descobertas, cerca de duas dezenas de espécies de vespas amazônicas Acrotaphus cujas fêmeas atacam aranhas na própria teia e as paralisam com sua picada venenosa. Para aumentar o horror, a vespa deposita um ovo na aranha. Dele sai uma larva de vespa que vai se alimentar da aranha.

Essas agressivas vespas são estudadas com empenho por cientistas da Finlândia associados ao Inpa. No universo humano, já se sabe, há interesses que, a exemplo das vespas cruéis, desenvolvem intenções venenosas, cometem crimes ambientais e sacrificam vidas, parasitando terras da União e dos índios, nas quais “chocam” ovos que lhes dão riqueza e poder.

Em vias de ser criado, o Conselho da Amazônia, com o apoio da esperada Força Nacional Ambiental, dará fim à parasitagem? Conseguirá garantir aos povos da região usar suas terras em benefício de todos e não apenas de “vespas” venenosas que parasitam e sugam suas vítimas, mantendo-as na pobreza e perpetuando desigualdades? Espera-se muito do Conselhão. Se entregar a redução da parasitagem, proporcionando um desenvolvimento equalizado para a região e sua gente, será uma grande vitória para o governo Bolsonaro-Mourão.

....................................................................

Muita confusão

Se  for levada em conta o que o ministro  da Fazenda Paulo Guedes pensa do funcionalismo público, os 15 mil servidores rondonienses que sonham ainda com a transposição  nestas bandas estão fritinhos da silva e não existe bancada federal que dê jeito na coisa. O ministro vê no funcionalismo um bando de parasitas e vive desde o início do governo Jair Bolsonaro caçando encrencas com os mais diversos segmentos da sociedade, seja com os funcionários públicos ou com a classe empresarial, estudantes, professores. classe artística etc.

Os parentes

Pela eleição de tantos políticos corruptos ao longo de mais de 30 anos, desde as primeiras eleições gerais em 82, depois da criação do estado, o eleitorado rondoniense gosta mesmo é dos pilantras juramentados. Já contaram quantas esposas, irmãs, e filhos de políticos de políticos flagrados em operações policiais já foram eleitos em Rondônia, nos últimos anos? Teve desde bancada do pó, a bancada do dominó. E para 2020 alguns clãs políticos aparecem até revigorados nas disputas municipais. A coisa é assim: o político dá o golpe, fica inelegível e então lança parentes – e elege!

A diferença

Enquanto o governo acreano revitalizou a Arena da Amazônia, seu belo estádio para 20 mil espectadores em Rio Branco, o governo de Rondônia sequer começou a reforma do seu acanhado estádio Aluízio Ferreira  com a limitada capacidade para 3 mil torcedores. Em termos de estádio e rodoviária, a vizinha Rio Branco é show. E não se pode responsabilizar o atual governador de Rondônia Marcos Rocha e o  atual prefeito da capital Hildon Chaves pelo atraso. Governadores e prefeitos anteriores deixaram esta herança e as desigualdades.

Os deportados

Os brasileiros deportados dos Estados Unidos, depois de terem atravessado a fronteira com o México e serem presos nos estados Unidos, estão voltando em vôos fretados pelo presidente Trump e revoltados com o tratamento dispensado pelo governo estadunidense. No caso dos ilegais rondonienses - um de União Bandeirantes e outro de Jaru – o desembarque aconteceu em Belo Horizonte, largados, sem dinheiro para voltar para casa. Os dois disseram que  ainda existem centenas de brasileiros para serem deportados nos próximos meses.

A economia

Com bom preço no mercado, a colheita da soja vai despejar bilhões de reais na economia do Paraná  e de outros estados produtores da oleoginosa nesta safra. Num outro viés, a venda de imóveis em Manaus aumentou 30 por cento neste ano, comparado a anos anteriores. A indústria hoteleira prevê elevada taxas de ocupação neste carnaval em Fortaleza, Rio de Janeiro e Salvador. Em Rondônia o ramo supermercadista bombou em 2019. Como se vê, alguns setores da economia  já estão reagindo e a partir de março a expectativa é de melhoras no crescimento econômico no estado.

 

Via Direta

*** O papo nos meios políticos é que existem 5 deputados  estaduais já no bico do corvo *** Os casos fakes do coronavírus e do recolhimento dos livros nas escolas e bibliotecas públicas em Rondônia foram objeto de grande desgaste para o governo estadual nos últimos dias *** Depois de tudo isto, como aceitar secretários trapalhões como estes? E olha, que um deles quer ser candidato a prefeito na capital. Pobre Porto Velho já tão maltratada*** O PC do B já tem um candidato a prefeito para chamar de seu na capital. Trata-se de Samuel Costa, aquele que se envolveu em bate-boca com bolsonaristas *** Até pouco tempo era funcionário nomeado no gabinete do deputado estadual Jair Montes na Assembleia Legislativa onde foi demitido ***Aos poucos vai se descartando uma nova cheia no Rio Madeira nesta temporada. Mas ainda existe o chamado repiquete antes da Páscoa para conferir. 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Sem velório + O sofrimento + A rejeição +  Ex-governadores

Sem velório + O sofrimento + A rejeição + Ex-governadores

Sem velórioÉ saliente demais para não causar reflexão e necessárias preocupações o fato de quatro dos cinco estados da região serem os que mais apre

Máscara eterna + Só no lucro + Pau no favorito! + O beneficiário

Máscara eterna + Só no lucro + Pau no favorito! + O beneficiário

Máscara eternaOs satélites mostram uma escura e grossa nuvem de poeira se deslocando da África em direção à América do Sul. Ao contrário do novo co

Políticas de estado + A revanche + No interior + Os confrontos

Políticas de estado + A revanche + No interior + Os confrontos

Políticas de estadoEm um ano e meio de governo Bolsonaro, o balanço mais óbvio verificado é que as crises, os erros graves, a má imagem e as defici

Evitar o que prejudica + Grave ameaça + A influência + Tamborim

Evitar o que prejudica + Grave ameaça + A influência + Tamborim

Evitar o que prejudicaA desastrosa diplomacia “ideológica” e “antiglobalista” do governo brasileiro ameaça destroçar a economia no mesmo nível da p