Porto Velho (RO) sábado, 28 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Amazônia indefesa + Coisas impensáveis + As especulações com a reeleição de Hildon


Amazônia indefesa + Coisas impensáveis + As especulações com a reeleição  de Hildon - Gente de Opinião

Amazônia indefesa

Quando os EUA finalmente decidem apoiar o ingresso do Brasil na OCDE, tido como o clube dos países ricos, o presidente Jair Bolsonaro decide não comparecer ao Fórum Econômico de Davos, reunião fundamental em que os países ricos decidem o futuro do planeta, seja ele plano ou redondo.

A ausência do chefe de Estado e de governo do Brasil nesse importante conclave, para o qual os olhos do mundo estarão focados, será muito sentida. Primeiro, o assunto principal do encontro deste ano é o meio ambiente e seu impacto no clima. Segundo, justamente por isso, a Amazônia será um foco central.

O presidente deve ter motivos para evitar ir à reunião, mas é lamentável que num evento mais sobre meio ambiente do que sobre economia em geral não siga na delegação brasileira, chefiada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, nenhum representante do setor ambiental.

Há dúvidas sobre se o ministro Paulo Guedes vai se ater aos temas ambientais, dada à prioridade que ele dá – e precisa dar – à atração de investimentos em infraestrutura e concessões. Uma vitrine privilegiada para vender bons projetos ambientais e de sustentabilidade, Davos poderia ser o palco decisivo para exibir e vender o melhor da Amazônia como a solução para os piores pesadelos da humanidade. A “pirralha” ativista Greta Thunberg estará lá para outra vez ser a estrelinha da festa.

................................................

Coisas impensáveis

As eleições municipais de 2020 prometem desde alianças frankstênicas envolvendo o DEM de Cesar Maia com o PDT de Ciro Gomes nas principais capitais do Nordeste, como Salvador, Fortaleza e São Luis, até a conversão dos petistas aos evangélicos, com a inclusão do segmento na legenda de Lula, algo impensável nos últimos anos. O que o futuro nos reserva? Na política nada mais surprende.

As especulações

Alguns aliados dizem que o prefeito Hildon Chaves (PSDB) teria desistido da reeleição. A versão oficial que só anunciará sua decisão se concorre ou não em julho, prestes as convenções partidárias continua, mas como alguns dos seus pretendentes a à vice procuram outras moitas para se acudir dá para concluir que a coisa esta rolando. Oposicionistas consultados consideram jogo de estratégia para aliviar as pressões tão comuns durante a estação das chuvas.

Opções tucanas

Tucanos buscam novas opções para a eventualidade de Hildon Chaves pular fora do barco. O ex-prefeito José Guedes sempre se mostra uma segunda opção em casos de desistências e vale para todos os cargos eletivos, desde prefeito até o governo. Também foram iniciados entendimentos com o ex-governador Daniel Pereira (Solidariedade) com  Expedito Junior trabalhando na articulação. Ainda tem Lindomar Garçon, indicação da Igreja Universal.

Segurança no campo

Diante dos graves problemas de segurança pública enfrentados pelos proprietários rurais – sobretudo no Vale do Jamari polarizado por Ariquemes – o presidente da Federação da Agricultura Hélio Dias busca junto às autoridades soluções para o roubo de gado, caminhonetes e maquinário agricola. O problema tem aumentado ano a ano e as comunidades do campo sofrendo as consequencias da elevada criminalidade em Rondônia.

O narcotráfico

Com os cartéis bolivianos, peruanos e colombianos cada vez mais ousados, o roubo de aeronaves nas fronteiras do Mato Grosso e Rondônia têm aumentado nos últimos anos. Em solo rondoniense em menos de uma semana dois aviões foram roubados. Acredita-se que serão utilizados como moeda de troca por cocaina ou no transporte da droga dos paises vizinhos para o Sudeste do Brasil, ou seja, para atender os morros do Rio de Janeiro e São Paulo.

 

Via Direta

*** Neste mês de janeiro a roda da economia girou, girou e empacou em Porto Velho. Os comerciantes estão se queixando de vendas fracas com o baixo movimento *** O ex- governador Confúcio Moura vai até  quase aos 80 anos no Senado. Com isto deve abrir para Mosquini a candidatura ao governo de Rondônia em 2022 pelo MDB *** O deputado federal Lucio Mosquini já está faceiro e mordido pelo carapanã azul para a peleja de 2022 *** Até o Paraguai age com mais seriedade com as fugas nos peesídios do que o Brasil. Lá quem facilia fuga vai preso *** A lista de candidatos a prefeitura de Porto Velho cai caindo mês a mês com tantas desistências já anunciadas no ano passado e neste mês de janeiro *** Ao final teremos menos de seis postulações competitivas. A conferir.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

...E até quando? + O pesadelo da Covid-19 + Baita desafio + O isolamento

...E até quando? + O pesadelo da Covid-19 + Baita desafio + O isolamento

...E até quando?É de conhecimento até do migrante mais recente, que o município de Porto Velho com seus mais de 20 distritos –alguns distantes 350

Fama de preguiçosos + Tempos difíceis para as teúdas e manteúdas dos políticos + Amazônia tudo é urgente

Fama de preguiçosos + Tempos difíceis para as teúdas e manteúdas dos políticos + Amazônia tudo é urgente

Fama de preguiçososO folclore político rondoniense registra que uma das maiores dificuldades dos candidatos ao governo do estado de Rondônia oriundo

A união preventiva + O jeitinho + Em cascata + Buraco Negro + A desobediência

A união preventiva + O jeitinho + Em cascata + Buraco Negro + A desobediência

A união preventivaFoi preciso um vírus assustador para mostrar a estupidez e a infantilidade dos radicais que gritavam uns nas caras dos outros e se

Bem cotados a prefeito em Porto Velho + Nos idos da colonização + O manejo + As costuras

Bem cotados a prefeito em Porto Velho + Nos idos da colonização + O manejo + As costuras

Nos idos da colonizaçãoFazer campanha eleitoral nos idos da colonização rondoniense,  nas décadas de 60,70 e 80 era uma tarefa inglória para a opos