Porto Velho (RO) segunda-feira, 26 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Negacionismo petista + Ibope comprovou + Pau canta + Linha de frente


Negacionismo petista + Ibope comprovou + Pau canta + Linha de frente - Gente de Opinião

Negacionismo petista

Para o deputado Francelino Pereira, a Arena, agremiação que sustentava a ditadura nos chamados anos de chumbo, era “o maior partido do Ocidente”. Vencia quase todas as eleições nas capitais e estados, sobretudo nordestinos, até 1976, quando o país já mergulhava numa crise sem volta.

Acusado de todos os problemas do país, seu partido decidiu se extinguir, deixando filhotes que hoje se distribuem entre os partidos do Centrão. Depois de vencer facilmente eleições no Nordeste por mais de uma década, o PT vive agora um processo de decadência que poderá levar a sigla à derrota eleitoral em regiões metropolitanas nas quais sempre foi muito forte.

O enfraquecimento petista até driblou o Mensalão, mas piorou com o Petrolão e a Operação Lava Jato, que minaram seu capital político. O desprestígio se deveu a três causas que foram suas virtudes: pressionado pela sociedade, fortaleceu a apuração de crimes de corrupção, não limitou a liberdade de imprensa e preferiu se manter na esfera da democracia, aceitando a alternância no poder.

Beneficiado pela velha corrupção do “maior partido do Ocidente”, à qual se rendeu ao chegar ao poder, o PT também sucumbiu a ela e só não vai morrer, como a Arena, se suas qualidades prevalecerem. Isso inclui vencer o negacionismo: negar os erros cometidos só vai manter as tendências ao declínio.

.....................................................................

A comprovação

A pesquisa Ibope comprovou o que foi relatado nesta coluna ainda na semana passada. O prefeito de Porto Velho Hildon Chaves (PSDB) com teto muito baixo (23 por cento de intenções de votos) e elevada taxa de rejeição, beirando os 34 por cento. Embora liderando a corrida sucessória, estes são indícios, que desembarcando no segundo turno pode se dar mal contra a oposição. E ele ainda tem as chuvas e alagações pela frente, pau dobrado dos oposicionistas nas próximas semanas.

Revertendo o jogo

O prefeito tucano da capital vai precisar de suar a camisa para melhorar a situação até o pleito de 15 de novembro. Tem alguns trunfos que precisam ser melhor explorados pelo seu marketing: Nas tendências e projeções de campanha, constato que se fala de tudo do alcaide, mas ninguém diz que seja ladrão ou desonesto. Para este colunista, isto vale mais do que ganhar a eleição. Vamos ver se a inauguração de obras importantes podem reverter o quadro. Os ingredientes iniciais, no entanto, são de sofrência até para chegar ao segundo turno.

Voto útil

Já estamos a um mês da eleição de 15 de novembro. A partir da semana que vem o eleitorado começa a pensar no chamado voto útil, que seria a escolha do candidato oposicionista em melhores condições de enfrentar o prefeito Hildon Chaves (PSDB) no segundo turno. Nesta corrida, Vinicius Miguel (Cidadania) largou bem e tende aumentar a vantagem sobre os oponentes. Ainda teremos pela frente o efeito manada nos últimos dias de campanha podendo avariar as asas tanto de Hildon como de Vinicius para o segundo turno cada vez mais previsível.

Pau canta

O pau começa a cantar na cabeça do oposicionista Vinicius Miguel, mostrando que realmente é um nome em ascensão. Ninguém chuta cachorro morto, tampouco acende vela para defunto ruim. Breno Mendes e cia já no início da campanha tentaram alijá-lo com uma impugnação repleta de fakes e se deram mal. Os adversários exploram a juventude do candidato, sua possível inexperiência, taxando ele de cabaço. Mas no currículo ele é o candidato mais preparado da atual campanha, até com mestrados no exterior.

Linha de frente

O pelotão de frente listado pelo Ibope vem com Hildon Chaves (PSDB), Vinicius Miguel (Cidadania), Cristiane Lopes (Progressistas). E até aí nada de surpreendente. Mas entendo, que apesar da elevada rejeição o Ibope se equivocou com Garçom (Republicanos), bem cotado nas Zonas Leste e Sul. Macaco velho, Garçom não está fazendo feio, apesar de mal afamado perante os formadores de opinião.

 

Via Direta

*** Manaus que foi a primeira grande região afetada pelo coronavirus no Brasil, se obrigando a cavar centenas de covas em seus cemitérios para atender tantas vítimas, agora também é a pioneira na segunda onda da pandemia *** Manaus acompanha os países europeus, como Itália, França e Espanha já afetados pela segunda onda do covid desde a semana passada *** No Paraná, um vice-prefeito que assumiu fez uma verdadeira limpa nos cofres do erário. Vamos ver os vices de Rondônia que assumiram neste mandato tampão de pouco mais de dois meses e meio como se comportam *** Todo dia aparecem políticos bamburrando com dinheiro nas cuecas, em sacos, em malas e até em salas repletas do vil metal *** E a eles estão soltos, perambulando por aí. É coisa de louco!

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Prefeitos do tipo Biden + Batalhão de indecisos + Carta prejudicada + Frases políticas

Prefeitos do tipo Biden + Batalhão de indecisos + Carta prejudicada + Frases políticas

Prefeitos do tipo Biden Disraeli dizia que há “mentiras, mentiras deslavadas e estatísticas”, as piores. Há também o que se diz nas campanhas eleit

Dinheiro íntimo + Cenário no estado + A polarização em Ariquemes + Em pé de guerra

Dinheiro íntimo + Cenário no estado + A polarização em Ariquemes + Em pé de guerra

Dinheiro íntimoExiste a “nova política”? A julgar pelas operações policiais que apanham malfeitores ligados tanto à “velha” quanto à “nova”, ficou

Jogo de guerra + MDB rachado + Linguicinha com prestígio + Já tem uma zebra vitaminada +

Jogo de guerra + MDB rachado + Linguicinha com prestígio + Já tem uma zebra vitaminada +

Jogo de guerraAs tragédias e crises foram tantas nas últimas décadas, coroadas pela Covid-19, que não piorar já é motivo de comemoração. É natural,

Localismo prevalece + Barrados no baile + Poucas propostas + Cavalos de Tróia instalados nos comitês

Localismo prevalece + Barrados no baile + Poucas propostas + Cavalos de Tróia instalados nos comitês

Localismo prevaleceSempre há facilidade eleitoral para quem está no poder. Mesmo sem corrupção grossa, no aumentativo de um Petrolão, ou da quirera