Porto Velho (RO) sexta-feira, 30 de julho de 2021
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Comida x Covid + Eleições 2022 + Audiência publica sobre a BR 319 + Penduraram as chuteiras


Comida x Covid + Eleições 2022 + Audiência publica sobre a BR 319 + Penduraram as chuteiras  - Gente de Opinião

Comida x Covid

Os danos causados pela polarização eleitoral pioram à medida que um ano sem eleições é ocupado por palanques sem fim. Há pouco, o Brasil brilhou no exterior e poderia ter aproveitado esse fato para gerar calor e melhorar nossa imagem lá fora, que continua lastimável, assustando investidores, turistas e clientes.

Pena que enquanto o show de horrores exposto na CPI da Covid ocupava o cenário, o brilho da participação brasileira em recente workshop dos países do G-20 ficou obscurecido. No longo prazo, entretanto, o fogo da CPI vai se apagar e o brilho brasileiro vencerá. No workshop do G-20, a primeira ótima notícia foi que o governo revigorou a Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional (Caisan), desativada desde o início do governo, quando o Conselho Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional foi extinto.

O ponto maior a destacar nesse caso é a presença do Brasil em um consenso mundial, deixando de ser o “pária” que virou na gestão de Ernesto Araújo no Ministério das Relações Exteriores. Deu relevo imenso à participação brasileira na redução do desperdício de alimentos, importante fator para a neutralidade de carbono. Com a valorização da tese de que a piora do clima e a perda de biodiversidade são as duas faces da mesma moeda e requerem soluções urgentes, reduzir as perdas de alimentos funcionará bem em todos os sentidos.

..........................................................................

Eleições 2022

Alguns clássicos políticos regionais já animam as torcidas para as eleições do ano que vem. Em Vilhena, para federal Natan Donadon x Evandro Padovani; em Ariquemes vão se enfrentar o ex-prefeito Thiago Flores contra seu vice-prefeito Lucas Follador, em Ji-Paraná Silvia Cristina x Jesualdo Pires, em Ouro Preto do Oeste Lucio Mosquini x Carlos Magno. Já, na disputa a Câmara dos Deputados na capital vai ser como uma guerra de cego em tiroteio: Mariana Carvalho, Mauro Nazif e Chrisóstomo tendo muitos predadores para ameaçar suas reeleições, entre eles, Breno Mendes.

Audiência publica

O Congresso Nacional volta a discutir a pavimentação da BR 319, rodovia que conecta Porto Velho a Manaus, em audiência pública marcada para esta quarta-feira, dia 23. Autoridades ligadas aos ministérios dos Transportes, Meio Ambiente, ao Dnitt foram convocadas para prestar depoimentos as comissões técnicas da Casa de Leis. Já existe um pequeno trecho da rodovia em licitação, algo em torno de 50 quilômetros e a meta do governo federal é liberar o chamado meião da BR, que é o maior trecho sem asfaltado e que no inverno amazônico fica intransitável.

Pela hegemonia

No ano que vem em alguns polos regionais os deputados estaduais em busca de reeleição vão tentar consolidar a hegemonia conquistada no pleito anterior em suas regiões. No caso de Vilhena, Luizinho Goebel x Rosana Donadon, já em Ariquemes, o bicho-papão é o deputado estadual Alex Redano atual presidente da Assembleia Legislativa. Mas lá ele terá vários predadores, e pelo menos três deputados estaduais na sua cola, além de ex-deputados voltando para a peleja na região do Vale do Jamari.

O eleitorado

Dos quase 1.200.000 eleitores do estado de Rondônia, mais de dois terços estão radicados no interior. A capital, com cerca de 550 mil votantes, proporcionalmente tem conquistado boa representatividade, já que tem dez deputados estaduais (contando com a posse de Ribamar Araújo) dos 24 parlamentares com assento na Assembleia Legislativa e cinco deputados federais na Câmara dos Deputados. Os senadores são todos com domicilio eleitoral do interior, Acir Gurgacz (Ji-Paraná), Confúcio Moura (Ariquemes), Marcos Rogério (Ji-Paraná).

As chuteiras

Antigas e expressivas lideranças rondonienses penduraram de vez as chuteiras na política e nem querem saber mais de falar em voltar a disputar cargos eletivos. Desde o ex-governador José Bianco (Ji-Paraná) ao ex-prefeito de Porto Velho José Guedes, os ex-deputados federais Eurípedes Miranda (Ji-Paraná), Francisco Sales (Ariquemes), Assis Canuto (Ji-Paraná), ex-governador Oswaldo Piana Filho (Porto Velho), o ex-prefeito de Cacoal Divino Cardoso, o ex-prefeito e ex-deputado César Cassol (Rolim de Moura), o ex-deputado federal Edison Fidelis (Ji-Paraná), ex-prefeita Sueli Aragão (Cacoal) entre tantos outros nomes conhecidos.

Via Direta

*** Repercutiu intensamente as notícias negativas contra a esfera estadual em Rondônia com o afrouxamento do combate ao covid e a superlotação de pacientes no Pronto Socorro João Paulo II *** Uma situação que se não for reparada logo pode trazer prejuízos para o projeto de reeleição do governador Marcos Rocha. Mas algumas providências já foram tomadas ***Aumenta a procura pelas lideranças nacionais para uma terceira via na disputa presidencial, como alternativa as candidaturas do presidente Jair Bolsonaro e do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva *** Até agora a fogueira de vaidades não permitiu avanço de um nome que unifique os partidos antiBolsonaro e antiLula *** Os paraenses comemoram a entrega de 50 mil títulos de regularização fundiária. Em Rondônia temos uma longa espera.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

Mundo assustado + Disputa feroz + A polarização de candidatos + Briga ao Senado

Mundo assustado + Disputa feroz + A polarização de candidatos + Briga ao Senado

Mundo assustadoChina e Cuba se queixarem de boicotes dos EUA ou o Brasil reclamar de concorrentes agrícolas até serve aos nacionalistas internos, m

 O MDB já não esconde sua decisão + As lições vão ensinando + Coração dividido + Entrando em campo +

O MDB já não esconde sua decisão + As lições vão ensinando + Coração dividido + Entrando em campo +

As lições vão ensinandoNa política, está claro como água ao cabo das mudanças ministeriais que o Centrão controla os cordéis do Congresso, amolda-s

Nem tragédia, nem farsa + Obras federais + Feiras e fezes + Grandes traições

Nem tragédia, nem farsa + Obras federais + Feiras e fezes + Grandes traições

Nem tragédia, nem farsaOs filósofos argumentaram sem contestação, tantas vezes aconteceu, que a história se repete. Para Hegel, apenas se repete. P

Magias da crise + Cenário nublado + Uma novela de Bolsonaro + Eleições 2022

Magias da crise + Cenário nublado + Uma novela de Bolsonaro + Eleições 2022

Magias da crise Há coisas que aparecem muito quando há crises: profetas oferecendo salvação, discos voadores, remédios falsamente milagrosos e par