Porto Velho (RO) domingo, 27 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Justiça

Juiz Ilisir Bueno Rodrigues se despede do TRE-RO

O juiz de direito atuou na Corte Eleitoral por dois anos como membro titular


 Juiz Ilisir Bueno Rodrigues se despede do TRE-RO - Gente de Opinião

O juiz Ilisir Bueno Rodrigues se despediu do Tribunal Regional Eleitoral de Rondônia, em sessão virtual realizada na tarde da última terça-feira (28). O magistrado atuou na Corte Eleitoral desde 2018 até esta data como membro titular no biênio 2018/2020. A sessão foi conduzida pelo presidente do TRE-RO, desembargador Marcos Alaor Diniz Grangeia.

Em nome da Corte, o vice-presidente e corregedor geral Alexandre Miguel proferiu palavras ao eminente magistrado, enaltecendo o brilhante desempenho do colega em seu mandato. “O conhecimento jurídico do juiz Ilisir Bueno, aliado à sua sabedoria, capacidade, humildade, delicadeza no trato, mas com profundo conhecimento jurídico trouxe o equilíbrio necessário na tomada das decisões desta Corte ao longo desse biênio que se encerra. Me permito dizer que Rondônia tem muita sorte de possuir magistrados de alto nível como o do juiz Ilisir Bueno que hoje deixa o nosso Tribunal Regional Eleitoral”.

Na ocasião, Ilisir Bueno Rodrigues também teve a sua atuação elogiada pelos demais membros, juiz federal Marcelo Stival, juízes Francisco Borges Ferreira Neto, Edson Bernado Andrade Reis Neto, Noel Nunes de Andrade e o procurador regional eleitoral, Luiz Gustavo Mantovani.

O Juiz Ilisir Bueno iniciou seu discurso agradecendo as palavras generosas, afáveis e amigáveis de pares tão distintos, com os quais teve uma convivência tão harmoniosa, agradável, encorajadora e salutar nos últimos meses. “Hoje eu me despeço, amanhã chega um novo membro, é o ciclo da nossa vida...Tenho a sensação de dever cumprido, não me arredei em nenhum momento do meu compromisso com a Justiça. Ao encerrar o meu período nessa egrégia Corte sinto-me como o apostolo Paulo no fim da sua jornada, quando no livro sagrado, na segunda carta ao Timóteo, capítulo 4 e versículo 7 que disse: Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé, dei o meu melhor em busca da aplicação da Justiça nesta Corte, cumpri minha missão”.

O magistrado também destacou a atuação dos servidores e agradeceu a todos na pessoa da servidora Áurea Cristina Saldanha Oliveira, e destacou também o apoio da servidora já aposentada Elizeth Mesquita, Edgard Manoel Azevedo Filho, Eliane Possamai Leite e Wanderlea Lessa Mariaca. “Agradeço muito especialmente um servidor, Ademar Mendes que me assessorou na jornada, sua contribuição foi inestimável para a realização do trabalho que me foi incubido” concluiu.

Trajetória

Em 1994 foi aprovado no IX Concurso de provas e títulos para ingresso na carreira da magistratura do Estado de Rondônia, exercendo o cargo de Juiz Substituto por dois anos e meio nas Comarcas de Porto Velho, Cacoal, Pimenta Bueno e Espigão D’Oeste. Promovido, por merecimento, para a 2ª entrância, exerceu suas funções nas Comarcas de Pimenta Bueno (um ano) e Cacoal, para onde foi removido a pedido (três anos).

Promovido, por merecimento, para a 3ª entrância em 2001, para o cargo de juiz auxiliar da capital, exerceu suas funções na Vara de Execuções Fiscais, 4ª e 5ª Varas Cíveis e 2ª Vara da Fazenda Pública.

No ano de 2005 foi removido a pedido para a titularidade da 7ª Vara Cível da Comarca de Porto Velho, onde exerce suas funções atualmente.

No período de janeiro/2016 a dezembro/2017, exerceu as funções de Juiz Auxiliar da Presidência do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia.

Além disso, o Juiz Ilisir exerceu nobre função no magistério, no curso de Direito da Universidade Federal de Rondônia (Campus de Cacoal/RO), no ano de 1997 e, desde o ano 2000, é professor da Escola da Magistratura do Estado de Rondônia. Também fora eleito pelo pleno do Tribunal de Justiça de Rondônia para exercer a função de Vice-Diretor da Escola da Magistratura de Rondônia, no biênio 2014/2015.

Na Justiça Eleitoral muito contribuiu com o fortalecimento da democracia tendo atuado como juiz substituto em diversas zonas eleitorais, no período de 1994 a 2000. Foi Juiz Eleitoral Titular da 11ª Zona Eleitoral, no período de 1999 a 2001.

Nas zonas eleitorais da capital foi juiz substituto por diversas ocasiões e titular da 2ª ZE em 2002, bem como da 23ª Zona Eleitoral nos períodos de 2005 a 2007 e de 2008 a 2010.

Na Corte Eleitoral, o juiz teve atuação marcante nas Eleições Gerais de 2018, buscando assegurar a legitimidade do voto e a legalidade do processo eleitoral. Ao longo do biênio 2018/2020, foram distribuídos ao seu gabinete 327 (trezentos e vinte e sete) processos, destes foram relatados 313 (trezentos e treze), restando pendentes apenas 14 processos.

Ilisir Bueno também exerceu a função de diretor da Escola Judiciária Eleitoral de Rondônia, e promoveu ações relevantes de cidadania e capacitação de magistrados e servidores, das quais se destaca o Projeto Patrulha Eleitoral e o Mestrado de Sociologia e Direito.

Em 2019 concluiu o mestrado em Direitos Humanos e Desenvolvimento da Justiça, promovido pela Universidade Federal de Rondônia – UNIR, em parceria com a Escola da Magistratura do Estado de Rondônia.

Mais Sobre Justiça

Honorário advocatício para advogados públicos instituído por lei de Rondônia é inconstitucional, opina MPF

Honorário advocatício para advogados públicos instituído por lei de Rondônia é inconstitucional, opina MPF

O subprocurador-geral da República Wagner Natal Batista encaminhou ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer pelo não conhecimento do Recurso Extrao

Ministério Público de Rondônia, com apoio da Polícia Federal, deflagra operação contra fraudes na aplicação de recursos públicos em Grupo de Trabalho do DER

Ministério Público de Rondônia, com apoio da Polícia Federal, deflagra operação contra fraudes na aplicação de recursos públicos em Grupo de Trabalho do DER

O Ministério Público do Estado de Rondônia, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), com apoio da Polícia Feder

Disputa entre posseiros em área da Fazenda Urupá deve ser julgada pela Justiça Federal em Rondônia, decide TRF1

Disputa entre posseiros em área da Fazenda Urupá deve ser julgada pela Justiça Federal em Rondônia, decide TRF1

Área da Fazenda Urupá, localizada em Candeias do Jamari (RO), é objeto de uma disputa jurídica entre uma fazendeira que alega ter a posse da área e um