Porto Velho (RO) domingo, 25 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Quando os moradores tornam-se protagonistas


 Quando os moradores tornam-se protagonistas - Gente de Opinião

Além de levar circo, música e cinema para comunidades bolivianas e brasileiras do Vale do Guaporé/RO, percorrendo mais de 1.200 km de rio no coração da floresta Amazônica, e de percorrer parte Estrada do Pacífico, no Acre, Peru e Bolívia, a edição Itinerante do Festcineamazônia realizou curtas metragens com crianças das cidades e povoados pelos quais passou.

Inspirado pelo projeto da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Secretaria Nacional dos Direitos Humanos (SNDH), o Inventar com a Diferença - que por meio de exercícios simples de audiovisual trouxe uma profunda reflexão sobre imagem e direitos humanos nas salas de aula e que ocorreu no primeiro semestre de 2014 em todo o Brasil - o jovem cineasta Christyann Ritse, em cada lugar pelo qual a equipe do Festcineamazonia Itinerante passou, realizou em conjunto com as crianças locais, pequenos vídeos que apresentavam a localidade.

Os curtas foram o artifício para discutir o tempo/espaço dos moradores. Por meio das entrevistas diretas e tendo como maior desafio o pouco tempo para se filmar e editar, além de não contar com pesquisa prévia alguma, já que todo a execução ocorre somente no dia do Festival. Ritse, com seu Ipad captou momentos de pura poesia e reflexão.

O mundo revelado pelo olhar infantil graças à maestria do jovem cineasta, que tem a grande vantagem em deixar seus personagens à vontade, extrai depoimentos que dizem muito sobre cada lugar. É o caso quando da visita ao bairro acreano periférico do Taquari, um dos mais violentos da capital Rio Branco, e extrai do menino uma reflexão social sobre o local em que vive. Ou quando ouve do garotinho, morador de um abandonado quilombo nas margens do Rio Guaporé, que ele gostaria de ser uma paca, para ser comida. Sem dúvida, Ritse tem o dom do bom entrevistador. Em apenas um dia, estabelece uma relação de pura intimidade com os entrevistados, que muito lembra a técnica do mestre Coutinho.

O momento sublime é o da projeção, quando o curta filmado e editado na mesma tarde é exibido na comunidade. A possibilidade em ver-se na tela, de reconhecer o lugar que se habita, os personagens.

O Festcineamazônia Itinerante ao desenvolver tal atividade torna os moradores personagens. Naquele instante mágico promovido pelo evento, os moradores tornam-se protagonistas. Ora riem, ora criticam, ora refletem. A imagem tem este poder de encantamento, de provocar a reflexão.
 

Assista aqui um pouco da experiência:

Rio Branco / Bairro Taquari

http://goo.gl/WMF6f5

Buena Vista / Bolívia

http://goo.gl/J7VRDJ

O Festcineamazônia Itinerante tem o patrocínio do BNDES, Ministério da Cultura, Secretaria do Audiovisual, Lei Rouanet, apoio cultural da Fundação Saramago e Iphan. Parceiros de Mídia Rádio Parecis FM e Canal Brasil. O Festcineamazônia é membro do Green Film Network e Fórum dos Festivais.
 

Fonte: Eduardo Kopanakis

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.