Porto Velho (RO) domingo, 23 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Opinião

Professor da UFRJ contesta falso contencioso com a Bolívia


Em artigo publicado no jornal "O Globo", o professor  Francisco Carlos Teixeira da Silva (foto), que leciona História Contemporânea na Universidade Federal do Rio de Janeiro, defende a idéia que organizações não governamentais internacionais estão tentando transferir para o âmbito do Direito Internacional a decisão do Brasil construir as hidrelétricas do Rio Madeira, interferindo em uma questão de soberania nacional.

Para Francisco Carlos, "derrotados em impedir as audiências públicas, entidades descompromissadas com a população e com o desenvolvimento do Brasil insistem em impor aqui uma velha e falsa oposição – típicas de países de alto IDH, cujas populações vivem da predação dos recursos naturais o planeta – entre agenda social e agenda ambiental".

Sobre a tentativa de inviabilizar o Projeto Madeira, difundindo que o reservatório de Jirau vai inundar o país vizinho, o professor diz que "não é possível aceitar a mal-intencionada tentativa de fazer do projeto uma espécie de "novo contencioso"da relação bilateral Brasil-Bolívia, uma vez que não há impactos naquele país. Nestas condições, é de esperar que, assim como o Brasil respeitou a decisão soberana da Bolívia quando da nacionalização das suas reservas de hidrocarbonetos, a Bolívia também respeite a soberania brasileira quando do desenvolvimento do Projeto madeira, não cedendo a um jogo de ingerências veladas que tende somente a gerar vulnerabilidade na região".

O professor encerra o artigo alertando os brasileiros. "Não podemos cair na armadilha de abrir mão do bem-estar de milhões de cidadãos brasileiros em nome do consumo incomensurável das elites ricas do planeta. O desafio possível – para o Estado, para os empresários e para o movimento social autônomo – é alinhar a questão social e a questão ambiental no âmbito da agenda do Estado-Nação".

Fonte: Jornal O Globo
Foto: UFRJ

Mais Sobre Opinião

Votar através do Correio - Uma alternativa que a legislação não consente aos portugueses + Filhos têm o direito de saber quem é o pai biológico

Votar através do Correio - Uma alternativa que a legislação não consente aos portugueses + Filhos têm o direito de saber quem é o pai biológico

VOTAR ATRAVÉS DO CORREIO – UMA ALTERNATIVA QUE A LEGISLA ÇÃO NÃO CONSENTE AOS PORTUGUESESAtraso de vida! O voto pelo correio ou voto antecipado por

O João Paulo de hoje é o mesmo de 19 anos atrás

O João Paulo de hoje é o mesmo de 19 anos atrás

No dia 20 de janeiro de 2003, portanto, há 19 anos, uma emissora de televisão local mostrou um homem, deitado em uma maca, num dos corredores do hos

Prevaleceu o bom-senso

Prevaleceu o bom-senso

Pressionado por servidores federais, que ameaçaram paralisar suas atividades caso o presidente Jair Bolsonaro insistisse na ideia estapafúrdia de da

Servidores de primeira e de segunda classe

Servidores de primeira e de segunda classe

Informações dão conta de que o presidente Jair Bolsonaro, orientado pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, estaria propenso a conceder reajuste sa