Porto Velho (RO) sábado, 24 de outubro de 2020
×
Gente de Opinião

Opinião

PRIORIDADE ERRADA


A sociedade brasileira precisa estabelecer critérios bem objetivos para
defender seus valores e definitivamente não aceitar mais a omissão das
autoridades quando deveriam agir e não aceitar mais ações que firam todos,
por mais insensível que seja.

O escândalo da vez, título de um texto sobre o SIVAM, é a notícia do jornal
O Globo de 28 de novembro de 2006 do repasse de 260 (duzentos e sessenta
milhões de reais) para mais uma reforma do Poder Judiciário. E o pior, essa
montanha de dinheiro será destinada apenas à construção ou reforma de
prédios.

Com certeza absoluta, não é por falta de prédio e de instalações que a
Justiça brasileira não funciona, e quando funciona, é a passo de tartaruga.
Um exemplo recente do escárnio foi o recebimento de uma denúncia contra
Jader barbalho após 18 anos. O fato ocorreu no ano que minha filha nasceu e
ela já está na faculdade. Só no Brasil um acinte destes não merece uma
repulsa imediata das instituições e dos formadores de opinião. A mesma coisa
seria a notícia de quase trezentos milhões para suntuosos prédios sem nenhum
contra-argumento, se não seria mais úteis se aplicados na criação do tal
banco de dados nacional para registrar os nomes dos criminosos condenados e
até mesmo na informatização universal do Judiciário.

Questionar quantas bibliotecas seriam construídas com esse dinheiro, já que
75% das escolas brasileiras não possuem; quantos computadores seriam
colocados em centro de treinamento de jovens; quantos centros esportivos
comunitários seriam construídos; quantas favelas deixariam de existir com a
construção de casas populares. Nada disso ao menos é questionado quando uma
montanha de dinheiro vai para destinação completamente supérflua de
construção de prédios.

Tem se tornado abusiva a cantilena das autoridades do Poder Judiciário e
todas correlacionadas em colocar a responsabilidade apenas em questões
materiais. A imprensa se cala; os rádios e televisões apenas narram e não
debatem nada. Uma mudança de postura subjetiva se faz necessária. Aprimorar
os serviços e cobrar mais agilidade e aprimoramento técnico dos servidores.
Firmar convênios com as instituições de ensino superior para que todos os
alunos dos últimos anos façam estágio prático nos fóruns.

Culpar apenas e sempre os parlamentares pela quantidade de recursos torna-se
ingênuo, vez que são os principais beneficiários com processos sem
julgamento. Fundamental seriam todas as instâncias julgarem com celeridade.
Processos sendo julgados depois de décadas, por si, já é uma tremenda
injustiça. E a solução cabe às autoridades, não aos cidadãos comuns. Essa
morosidade vergonhosa precisa de um basta! E não será solucionada pela
quantidade ou tamanho de prédios. Centenas de milhões apenas para construir
gabinetes gigantes sem nenhum benefício à sociedade, decisivamente é um
desperdício.

Pedro Cardoso da Costa - Bel. Direito

Mais Sobre Opinião

Corporativismo quer salvar o mandato do senador cuequeiro

Corporativismo quer salvar o mandato do senador cuequeiro

Quando se trata de fazer arranjos políticos, o Congresso Nacional não deixa por menos – com as devidas exceções -, apesar de essa não ser uma caract

Para quem tem cloroquina, quem se importa com vacinação?

Para quem tem cloroquina, quem se importa com vacinação?

Diante de severas crises que costumam abalar as Nações, tudo que se espera dos seus governantes, são ações, atitudes e comportamentos sensatos, equi

Campanha eleitoral não empolga eleitor

Campanha eleitoral não empolga eleitor

Em novembro próximo, o eleitor de Porto Velho terá um encontro marcado com as urnas. Vamos escolher prefeito e vinte e um vereadores. A campanha, poré

Tributo ao ativista e abolicionista contemporâneo, Dr. Wllian Johnes - Presidente da Ordem dos Bacharéis do Brasil- OBB

Tributo ao ativista e abolicionista contemporâneo, Dr. Wllian Johnes - Presidente da Ordem dos Bacharéis do Brasil- OBB

Mas uma vítima do trabalho análogo à de escravos a escravidão moderna da OAB, acaba de tombar. Com tristeza tomei conhecimento que no último dia 16.10