Porto Velho (RO) sábado, 17 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

OPINIÃO DO CIDADÃO: Somente com metáforas se entende o Brasil



Acompanhando a ‘novelinha’ entre o governo federal e a FAB, na escolha entre o absolutamente caro caça Francês Dassault Rafale F3, e o de valor mais acessível tanto na compra como na manutenção e preferido da FAB o Saab Gripen NG da Suécia, faz lembrar o bordão da série mexicana ‘Chapolin Colorado’, que diz: “E agora quem poderá nos defender?”. 

O Haiti nos fez lembrar outra série a la México, o ‘Chaves’ em que o personagem ‘Quico’ adora uma ostentação, sempre mostra aos outros que é mais rico e pode mais. 

O Brasil estava há anos em missão de paz no Haiti, quando o Haiti era apenas o Haiti; uma ilha pequena, pobre ignorada, repleta de miséria e sem nenhuma visibilidade internacional. Foi somente acontecer o abalo sísmico que abalou também o poder brasileiro por lá. 

Os EUA chegaram com tudo. Dominaram o aeroporto decidindo quem entra e quem sai; levaram porta aviões, navio/hospital de última geração, helicópteros e um enorme contingente de militares. Colocou o Brasil ‘no bolso’, de protagonistas passamos a coadjuvantes. Os americanos transformaram o Haiti em Hollywood, tudo para mostrar ao mundo que tem poder tanto para força de ocupação em guerras, quanto para ‘ajudas humanitárias’. 

Qual é poder bélico do Brasil? O país que tem boa parte da Amazônia para ser defendida, é a quinta maior nação do mundo, estamos preparados para o pior? 

Enquanto a FAB e o governo federal discutem a marca dos caças a serem comprados, os EUA fabricam seus próprios caças e já mostraram que quando entram em cena, não é para fazer figuração. 

Metaforicamente falando, ficamos assim: Os brasileiros perguntam ao estilo de uma boa série latina americana - Quem poderá nos defender?. Já os EUA dizem ao estilo de um clássico desenho animado norte americano: “Vamos dominar o mundo”. 

Moral da história: Fica a frase que ouvi um dia de um grande amigo na disputa por uma namorada. “Quem pode mais, chora menos!” 

Fonte:  Laércio Guidio 

Mais Sobre Opinião

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual

Vagalumes nas trevas

Vagalumes nas trevas

Mas as trevas não são absolutas: há estrelas, há vagalumes, há réstias de luz