Porto Velho (RO) domingo, 25 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

O plano para fraudar os institutos de Previdência



A descoberta de um plano para desviar R$ 80 milhões do Fundo de Previdência do Município de Porto Velho e do município de Ji-Paraná não é inédito e muito menos um caso isolado em Rondônia. Outras gestões municipais tiveram problemas nos últimos anos com o desvio de recursos públicos do fundo de previdência do servidor público.

Em São Luiz, as investigações revelaram em 2012 esquema de falsificação de documentos públicos para obtenção de benefícios da Previdência Social com titulares virtuais. A Operação Vultos identificou um prejuízo de R$ 1,9 milhão e pelo menos 36 benefícios de amparo social ao idoso com endereço e CPF de titulares constavam na residência de um advogado especialista em causas previdenciárias.

Gente de Opinião


A Polícia Federal deflagrou na manhã da última terça-feira (6) a operação Contumácia II, para desarticular uma organização criminosa especializada em fraudes na Previdência Social no Pará. As investigações revelaram ainda fraudes na concessão de benefícios de prestação continuada, amparo assistencial ao idoso e deficiente físico. Os crimes praticados pelos membros da organização criminosa são diversos, como uso de documentos falsos, inserção de dados falsos nos sistemas informativos do INSS, corrupção ativa e passiva.

Em Alvorada do Oeste, no interior do Estado, a Polícia Civil, com apoio do Ministério Público Estadual, deflagrou em 2012 a operação policial Olimpo, que fez busca e apreensão no Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (Impres), estabelecimentos particulares e residências de alguns dos investigados.

A tentativa de desviar os recursos da previdência do município de Porto Velho só não foi consolidada graças a colaboração dos servidores públicos e ao serviço de investigação da Polícia Federal, mas todos os envolvidos devem responder pela tentativa de fraudar o dinheiro do funcionalismo público municipal.

Ontem, durante a coletiva na sede da Polícia Federal em Porto Velho, os delegados destacaram a importância do funcionalismo público do Ipam em colaborar de forma efetiva com as investigações dos policiais. De fato, o servidor público tem uma relevância importante em desarticular esquemas criminosos que rondam as secretárias municipais e estaduais. Com certeza, ainda existe servidor público disposto a contribuir para um Brasil melhor.

Mais Sobre Opinião

A fogueira das vaidades

A fogueira das vaidades

O que até agora era bravata, “não é insulto, é o jeito dele”

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.