Porto Velho (RO) domingo, 25 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

O desenvolvimento e a realidade dos distritos de Porto Velho


Gente de Opinião
 

Preocupa constantemente a Secretaria de Projetos Especiais e Defesa Civil de Porto Velho (Sempedec) a grande possibilidade de uma nova enchente no rio Madeira, em Porto Velho, por conta do volume intenso de chuva que atingiu nos últimos dias o rio Beni, na Bolívia. Com o nível do rio Madeira subindo e ultrapassando a cota de 15 metros, o prefeito Mauro Nazif (PSB) decretou estado de alerta e já coloca em prática um plano de emergência.

Gente de Opinião
Em 2014, quando o município foi atingido pela enchente histórica, o nível do rio do Madeira, no mês de fevereiro daquele ano, registrava 19 metros, deixando mais de 2 mil famílias desabrigadas no município de Porto Velho e nos distritos do baixo Madeira. Geralmente, no início do mês de fevereiro, o Madeira atinge sua cota máxima. Este ano está acontecendo diferente. O nível do rio começa a subir, deixando o município e os órgãos de Defesa Civil em situação de alerta geral.


No bairro Nacional, por exemplo, algumas famílias procuraram esta semana auxílio da Defesa Civil e começaram o processo de retirada da área de risco. No entanto, na terça-feira última, houve uma recuada, mas não deixa de preocupar o município de Porto Velho. O grande problema é o retorno dessas famílias para essas áreas de risco. A Defesa Civil, em algumas ocasiões, teve que recorrer ao auxílio da Polícia Militar. Muitos não queriam deixar suas residências.

O mês de fevereiro de 2014 nunca mais será esquecido pela população. Na última enchente, toda a produção agrícola no baixo Madeira foi perdida por conta da água e os prejuízos ultrapassaram mais de R$ 10 milhões. O distrito de Nazaré praticamente desapareceu e as famílias da região estão correndo o mesmo perigo de serem expulsos de suas residências. É uma rotina que vai sofrer um grande impacto com frequência.

Outra preocupação constante da Sempedec é um estudo realizado pela Agência Nacional de Águas (Ana) apontando que o nível do lençol freático está muito elevado por causa do reservatório da Usina Jirau. É possível que a construção da usina de Jirau tenha comprometido a rotina do rio Madeira. O tema foi amplamente debatido na Assembleia Legislativa do Amazonas e merece discussão profunda na Assembleia de Rondônia, em especial dos parlamentares eleitos pelo município.

Mais Sobre Opinião

A fogueira das vaidades

A fogueira das vaidades

O que até agora era bravata, “não é insulto, é o jeito dele”

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.