Porto Velho (RO) sexta-feira, 23 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

O belo ao alcance de cada um



Gabriel Bocorny Guidotti
Jornalista e escritor
Porto Alegre – RS (Brasil)


------------------------------

“A pessoa vistosa se destaca em um ambiente”. Frase corriqueira no cotidiano. O consenso é claro: ser bonito garante uma vantagem, pois independentemente de sua competência, você dará um motivo a mais para as pessoas lhe olharem com atenção. A busca exagerada pela beleza, todavia, pode se tornar um grilhão. Ser deu lugar ao parecer. O uso de máscaras esconde quem as pessoas realmente são.

Em uma academia qualquer, uma mulher malhava freneticamente. O ritmo frenético condenava a frequência a qual permanecia no ambiente. Muito tempo, desde cedo pela manhã. Tornar-se ‘malhada’ era sua ambição e, paralelamente, sua maldição. Sem perder a pose, se via obrigada a reforçar a pesada maquiagem a cada exibição. O suadouro fazia a máscara entrar em colapso. O personagem precisava ser mantido.

Sem a maquiagem, a mulher era uma; com, era outra completamente diferente. Isso afora o fato de ela sofrer para a realização das séries. A beleza nunca insurgiu com tanta evidência como nos tempos atuais. Estar fora do padrão é sentir-se excluído. Talvez seja essa a razão para tantas pessoas de idade desejarem permanecer jovens. Alguns casos são alarmantes: a cara está tão repuxada que se mostra incapaz de demonstrar sentimentos.

Ser bonito está arraigado na sociedade. Para tanto, surgiram nos últimos anos inúmeros tratamentos estéticos que tornaram o corpo humano uma verdadeira massinha de modelar. Muitos têm dificuldade de encontrar a beleza da idade e, menos ainda, aceitar que os anos passam sem que possamos congelá-lo. Se um estilo ou jeito é imposto, eis o desafio pessoal de cada um. Afinal, interessa o que você pensa de si ou o que os outros pensam de você?

A beleza, a bem da verdade, está ao alcance de cada de um. Não existe regra ou padrão. Existem, sim, pessoas que desejam lhe vender algo. Não há pessoa feia. Feia é a pessoa que se sente infeliz do jeito que é. Se você quiser mudar, faça isso. Mas ceda à otimização de traços naturais, isto é, evite a submissão a identidades artificiais. De outro modo, você nunca será feliz. Os padrões mudam constantemente. Você, por outro lado, é único para o resto da vida.

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.