Porto Velho (RO) domingo, 18 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Não derrubem os viadutos!


 Não derrubem os viadutos! - Gente de Opinião

Professor Nazareno*

Circulou recentemente na mídia a notícia de que as carcaças dos viadutos que “enfeitam” a entrada, ou a saída, de Porto Velho seriam finalmente implodidas. Quase chorei, pois se isso acontecer a nossa capital não terá mais nenhuma obra de grande porte que a simbolize. Não se pode destruir impunemente o símbolo maior de uma cidade que serve como capital de um Estado. Fala-se que estes viadutos já consumiram mais de 100 milhões de reais do contribuinte. E quem se importa com isso? Dizem que roubaram 57 milhões de reais do Estado de Rondônia, dizem que roubaram bilhões da Petrobras, dizem que desviaram “não sei quantos milhões” no Mensalão. Fico triste, pois não disseram ainda que roubaram alguma coisa da Prefeitura de Porto Velho nesta administração Mauro Nazif. Isto porque hoje mesmo, muito feliz, paguei o meu IPTU.

Se derrubarem as carcaças destes viadutos, como faremos para derrotar o PT de novo nas próximas nas eleições? O povo sempre vota nos petistas por que ainda acredita que eles sempre fizeram e ainda vão fazer muito pelo Brasil e também por Porto Velho e por Rondônia. Vendo os viadutos inacabados sentem raiva e descontam nas urnas como já fizemos duas vezes. Assim como no Espaço Alternativo da cidade. Duas mil pessoas sendo bombardeadas diariamente pelo fantasma daquelas obras inacabadas pensarão duas vezes antes de votar, de novo, em quem produziu mais esta desgraça para a capital. Rua da Beira, Espaço Alternativo, Trevo do Roque, Avenida Três e Meio, Trevo da Campos Sales com a BR 364, viadutos da Prudente de Moraes na saída para Guajará-mirim, etc. etc. etc. Não! Por favor, nem tentem concluir estas “grandes” obras.

Se as autoridades fizerem isto podem até se viciar. Já pensou se iluminam a ponte do rio Madeira? Aí vão querer também iluminar a BR 364 até a Unir e toda a cidade. E se resolvem fazer saneamento básico em Porto Velho? E se começarem a ofertar água tratada para toda a população daqui? Juro que se fizerem isto deixo de pagar impostos. Não pagarei mais o IPTU nem o IPVA só de birra. Como andar de carro numa cidade sem buracos? Eu só pago impostos porque sei que parte do dinheiro destes tributos é desviada e entra no ralo da corrupção. E sem corrupção todos morreríamos de tédio. Não quero viver numa Porto Velho onde a Câmara de Vereadores é composta só de políticos honestos. Meu Deus, quanta monotonia. Tremo só de pensar numa Assembleia Legislativa só com deputados probos. Seríamos todos ridicularizados.

Senhores políticos e autoridades! Por favor, escutem o povo rondoniense. Não façam nada por esta cidade nem por este Estado. Se teimarem, poderão até ser derrotados nas próximas eleições. Ora, se os senhores nunca fizeram nada e sempre se mantiveram no poder e se deram bem, por que fazer alguma coisa agora? O povo eleitor de Rondônia, apesar de muito inteligente e politizado, nem vai notar nada mesmo. Não sei para quê fazer um novo hospital de pronto-socorro. Não sei para quê urbanizar a “orla” da cidade. Em vez de derrubar as carcaças dos viadutos, TOMBEM-NAS para a posteridade. Destruam as Três Caixas d’Água, desviem o rio Madeira para evitar “suas maldades” anuais, desmanchem a ponte, invertam a Sete de Setembro, proíbam a banda, impeçam a transposição e qualquer aumento para os barnabés. Existem mesmo homens públicos em Rondônia? “Quero morar às margens do Sena achando que é o Madeira”.

*É Professor em Porto Velho.
 

http://blogdotionaza.blogspot.com.br/

Mais Sobre Opinião

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual

Vagalumes nas trevas

Vagalumes nas trevas

Mas as trevas não são absolutas: há estrelas, há vagalumes, há réstias de luz