Porto Velho (RO) sexta-feira, 23 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Na Contramão dos Dogmas


 Na Contramão dos Dogmas - Gente de Opinião

Jullyane Saldanha
Monteiro de Souza

Certamente, neste artigo posso estar tocando em um vespeiro. Entendo que certamente, este assunto é digno de discussão pela repercussão que o caso obteve. Certo é que como brasileiros, temos o devido respeito a Constituição Federal , a nossa legislação maior e que ela nos garante a liberdade de crença religiosa, o direito ao livre exercício de cultos, aos locais aonde são exercidos e sua liturgia,além da ampla proteção referente a sua inviolável liberdade de consciência, o que em resumo disponibiliza a certeza de que o Brasil é oficialmente um Estado Laico.

Certamente que imiscuir Estado e Religião, não teremos uma certeza de resolução rápida e eficiente. As pessoas, com suas convicções religiosas, bem como as instituições que representam, sempre exerceram influência na organização da sociedade. E desta feita, o Deputado Federal Benevenuto Daciolo Fonseca dos Santos,eleito pelo PSOL/RJ com 49831 votos, e através da PEC DOS APÓSTOLOS (PEC 12/2015), pretende criar uma discussão sobre um tema que, mal foi apresentado, já recebeu duras críticas e inclusive ameaças de expulsão do partido, por propor a mudança do texto do artigo primeiro da Carta Magna de “Todo poder emana do povo” para “Todo poder emana de Deus”.

Em nota oficial o Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) reafirmou a defesa dos princípios de respeito à diversidade e da manutenção intransigente da laicidade do Estado, sem vinculação ou submissão a qualquer manifestação religiosa, e da defesa das liberdades conquistadas e consolidadas na Constituição Federal de 1988. São elas que nos garantem a livre expressão do pensamento e nos abrem os horizontes para o desenvolvimento. Obviamente, uma das certezas que temos é que a religiosidade do povo brasileiro, e independente de ser católica, evangélica ou espírita, não há dúvidas de que ela é arraigada, verdadeira, pujante e deve auxiliar apromover no Brasil a continuação da luta pela igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade sustentável e comprometida com a solução pacífica das controvérsias.

Com certeza a proposta, não visa diminuir as conquistas do povo ao longo da história e sim motivarmo-nos em discutir muitos outros assuntos que pesam no nosso cotidiano (até porque a nossa fé, nem o amor que temos, precisam ser discutidos) e procurar os reais desafios para a nossa sociedade que clama por redução na corrupção, na taxa de juros, no consumo racional da energia, atuando com responsabilidade social, visando aumento da oferta de emprego e nos mecanismos que possam proporcionar a convivência em uma sociedade, com amor ao próximo e cheia de oportunidades.

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.