Porto Velho (RO) sexta-feira, 23 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Homenagem a todos os políciais federais


SOU UM POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL

Julho de 2007, o despertador soava baixinho dizendo que já estava na hora de levantar. Minha esposa ainda dormia profundamente e em meus pensamentos me sinalizavam à idéia de mais um dia de trabalho, sem saber o que o destino me reservava. Vesti a farda e o coldre com a minha pistola ponto 40 e coloquei o pé na estrada rumo ao sol, que começava acender o dia.

A viagem era longa, pois duzentos quilômetros de distância me separavam da minha delegacia da Policia Rodoviária Federal, ou PRF, como a chamamos. Sim, sou policial rodoviário. Ao chegar, meus companheiros que me aguardavam para a troca de turno me alertaram sobre um acidente horrível ocorrido na madrugada. Consternados falavam de uma mulher que aparentemente teria ingerido uma grande quantidade de álcool e conduzia um veículo em alta velocidade se chocando com um outro que vinha em sentido oposto. A mulher, que aparentava ser jovem, morreu na hora. A família que estava no outro veículo, em estado grave, fora socorrida por nossas viaturas e encontravam-se na UTI do hospital em uma cidade próxima. Não tinha sido fácil ver a cena do acidente, pois destroços dos carros se espalhavam ao longo da pista e evidências de um corpo mutilado e gemidos dos feridos se armazenam na minha memória trazendo-me recordações de dias difíceis. Fora uma fatalidade que o carro dessa pessoa tenha colidido com um outro, mas poderia ter sido qualquer veículo... qualquer pessoa!

A rotina dos agentes da PRF impõe uma luta diária em defesa da sociedade, contra as agonias no trânsito e ilicitudes, pois ser Policial Rodoviário Federal é ser brasileiro, ter garra e vibração, possuir um ideal, ser unido pelo desejo de cumprir a missão a ele destinada e, sobretudo, manter o lema de salvar, combater e fiscalizar.

Ser Policial Rodoviário Federal é participar das dificuldades e sensibilidade que a profissão lhe oferece, pois cada ocorrência tem a sua peculiaridade, cada dia traz a sua surpresa, procedimentos de alto risco e situações emergenciais inesperadas que, na maioria das vezes, exigem um desempenho rápido, correto, preciso e fundamentado em absoluto bom senso.

Ser Policial Rodoviário Federal é viver em defesa da lei, dos direitos humanos e em busca da paz e harmonia dos cidadãos. É estar na linha de frente no combate a violência sem deixar se contaminar, pois cada ser humano merece respeito e bom atendimento. É servir ao próximo, estar disposto a colaborar e preparado para situações conflituosas.

Ser Policial Rodoviário Federal é ter a obrigação de deter um delinqüente ou abordar um suspeito visando prevenir novas ocorrências que prejudiquem o bem estar da sociedade.

Ser Policial Rodoviário Federal é reter sentimentos e lágrimas, abrigar uma criança em seu peito e com toda serenidade e controle dar-lhe os primeiros socorros lhe garantido a vida. É saber renunciar para servir sempre.

Nos dias 23 e 24 de julho a nação brasileira celebra dia do Policial Rodoviário Federal e os 79 anos da Polícia Rodoviária Federal. Assim, saúdo os guardiões das nossas estradas que diariamente, com muito ardor, buscam manter a paz e serenidade aos usuários de nossas rodovias federais,

Márcia Félix de Siqueira


Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.