Porto Velho (RO) domingo, 18 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Evangelizar é sofrer oposição


 

Todos aqueles que falam a cerca de Deus, invariavelmente sofrem oposição. Como qualquer cristão disposto a pregar o Evangelho, com frequência constato que não é fácil falar àqueles que não querem mudar seus hábitos, nem modificar sua vidinha tranquila.

“Mudar prá que, se tá tão bom, assim!” É o que dizem! É o que ouço!

Mas a oposição gera mais oração dentro da Igreja. E oração agrada ao Senhor, e faz com que Deus cuide de cada um de nós com muito carinho. Ele nos cuida muito além do que podemos sequer imaginar!

Em Atos 12, lemos sobre a libertação de Pedro, o qual se encontrava preso a mando do rei Herodes Agripa, que conquistou muitos judeus em razão de sua ferrenha perseguição aos cristãos. Incrível, não é?

Mas, enquanto Pedro estava na prisão, a Igreja orava fervorosamente a Deus, em favor dele, e na noite, véspera de seu julgamento, o apóstolo Pedro dormia entre dois soldados vigilantes, com algemas presas a duas correntes, e as sentinelas guardavam o cárcere, diante da porta.

Subitamente surgiu um anjo do Senhor, e sua luz resplandeceu na prisão. E o anjo tocou Pedro e ordenou: “Levanta-te, depressa!”. E, imediatamente, as algemas caíram dos punhos de Pedro, que vestindo-se rapidamente, saíram da prisão, passando pelas sentinelas que não os percebiam, e chegaram ao portão de ferro que dava acesso à cidade. Este se abriu por si mesmo, para que passassem o anjo e Pedro, que seguiram ao longo de uma estrada, e de repente, o anjo desapareceu dos olhos de Pedro.

E Pedro ficou sozinho, no meio daquela noite escura!

Então, decidiu tomar o rumo da casa de Maria, mãe de Marcos, onde muitas pessoas oravam e intercediam por ele.

E Pedro chega à casa de Maria, e bate à porta do alpendre, e uma serva chamada Rode veio atender. E, ao reconhecer a voz do apóstolo, ela correu de volta, exclamando: “É Pedro! Ele está lá fora, à porta!”

E Pedro entrou, encontrou seus amigos, e explicou a todos da casa de Maria, como o Senhor o havia libertado do cárcere. Foi uma festa!

Porém, no dia seguinte, ao tomar conhecimento da fuga e da ignorância do paradeiro de Pedro, o rei Herodes Agripa ficou muito irritado.

Como pudera Pedro fugir, sem deixar rastros, apesar da extrema vigilância a que era submetido? E, logo na noite que antecedia seu julgamento e condenação?

Ferido por um anjo do Senhor, Herodes morreu logo após estes fatos. Morreu comido por vermes porque Deus castiga severamente o homem arrogante e presunçoso. Quem destruir homem de Deus, Deus o destruirá. Isso não fica impune. Não fica mesmo!

E, em função das perseguições terríveis que sofria, Pedro fugiu, e seguiu para Roma, aonde veio a morrer. Cumprira com fidelidade e amor a Jesus, a sua missão. Glória a Deus!

E, a partir do capítulo 13 do livro de Atos, inicia-se o ministério de Paulo, sempre acompanhado de seu fiel amigo Barnabé, outro valoroso homem de Deus.

E eles logo verão que o trabalho missionário sempre enfrenta oposição. Oposição duríssima!

Em Atos 13 : 18, Paulo esclarece-nos sobre a remissão (perdão) dos pecados: “Ficai cientes de que mediante Jesus, vos é anunciado o perdão dos pecados.”

O Espírito Santo é nosso consolador e nosso melhor amigo. Ele não desiste de nós, entretanto, é preciso alertar que não é o nosso esforço próprio que nos levará a Deus. Para chegar a Deus e permanecer em sua presença, precisamos da sua graça (bênçãos), precisamos de sua misericórdia, precisamos do perdão do Senhor.

Só então, seremos restaurados, e restaurados, nós nos dobraremos perante Deus. E a Ele, sómente a Ele, daremos toda a honra e toda a glória!

Aleluia!
 

João Antonio Pagliosa

www.palestrantejoaopagliosa.blogspot.com.br

joaoantoniopagliosa@gmail.com

Curitiba, 17 de junho de 2016.
 

Mais Sobre Opinião

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual

Vagalumes nas trevas

Vagalumes nas trevas

Mas as trevas não são absolutas: há estrelas, há vagalumes, há réstias de luz