Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Desfile Monobloco deve reunir 400 mil pessoas, estima Riotur



Vinicius Lisboa - Repórter da Agência Brasil

Último grande bloco a desfilar no centro do Rio de Janeiro, o Monobloco deixou a concentração e começou a percorrer a Rua Primeiro de Março por volta de 9h de hoje (14). O percurso, em linha reta, inclui ainda a Avenida Presidente Antônio Carlos. O bloco deve reunir 400 mil pessoas até 12h30, segundo a expectativa da Riotur.

O coordenador de produção do bloco, Reinaldo Galvão, destacou que o desfile é um trabalho que se estende ao longo de todo o ano, com as oficinas de batuqueiros e os preparativos da organização. Para ela, fechar o carnaval do Rio é uma grande responsabilidade.

"O público que vem aqui vai encontrar muita música boa e uma festa que a gente trabalhou muito para organizar", disse Galvão, que considera natural a escolha da rainha Emanuelle Araújo, a primeira em 16 anos de Monobloco: "Queriamos alguém que participasse, que ficasse junto e cantasse".

A música boa é o que leva a auxiliar administrativa Liana Rimas ao bloco ano após ano. Aos 31 anos, ela foi acompanhada da irmã e destaca que o fim do desfile é a melhor parte: "É o melhor bloco do Rio. Tem uma mistura de ritmos ótima, com samba, música nordestina. O final é maravilhoso, com Jorge Ben Jor e as músicas mais animadas."

Por trás de tanta animação estão os batuqueiros, que participam das oficinas ao longo do ano e desfilam com o Monobloco no carnaval. Para um grupo, o desfile representa a "formatura". É o caso da médica Mônica Rodrigues, de 43 anos, que teve seu primeiro contato com música na oficina de batuqueiros. "Comecei no curso em 2014 e estou desfilando hoje pela primeira vez, muito emocionada. Representa um grande esforço de dedicação o ano inteiro, uma grande conquista."

A funcionária pública Roselene Padilha, de 51 anos, também vai estrear no Monobloco hoje e passou o sábado tentando conter o nervosismo. "A preparação é ficar em casa descansando e tentando relaxar", diz ela, que não vê a hora de a multidão pular ao som do seu batuque. "Vou me arrepiar, com certeza."

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual