Porto Velho (RO) segunda-feira, 19 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AOS NOVOS PREFEITOS


DESAFIOS DA EDUCAÇÃO AOS NOVOS PREFEITOS  - Gente de Opinião

Mozart Neves Ramos*


No próximo dia 2 de outubro, o País elegerá seus novos prefeitos para os próximos quatros anos. A expectativa é que haja uma grande renovação nos quadros atuais, com mais de 70% de troca. Os novos mandatários municipais irão assumir num cenário muito difícil da vida política e econômica brasileira. Mas não menos difícil no campo da Educação, levando-se em conta os últimos resultados divulgados pelo Ministério da Educação, relativos ao Ideb 2015 (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica). A restrição orçamentária será significativa para demandas crescentes em relação à Educação Infantil, tanto em relação ao acessoa creche e pré-escola, quanto no que se refere à qualidade do ensino. E isto passa pela valorização do professor.Por isso,o atual cenário vai exigir, como nunca dos futuros prefeitos, foco nos gastos, planejamento e saber fazer a escolha correta do secretário de Educação.

É indiscutível que os primeiros anos são determinantes para o futuro dos indivíduos, e não apenas em termos de desempenho escolar, mas também em uma série de indicadores como renda, bem-estar e redução de envolvimento em atividades de risco – como criminalidade e drogas. Mas ainda falta o País ampliar o acesso à creche e a pré-escola, especialmente para as crianças de mais baixa renda.A título de exemplo, o déficit de creches numa cidade como São Paulo chega a ser superior a 100 mil vagas.

Não obstante a melhora nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, única etapa da Educação Básica em que o Brasil vem apresentado bons resultados – e cuja oferta é de maior responsabilidade dos municípios – ainda temos problemas de equidade. Um levantamento recente feito pelo Instituto Ayrton Senna mostrou que, nos últimos dez anos, mais que dobrou a diferença de desempenho entre os alunos mais ricos e mais pobres, considerando as disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática. São dados que dão a dimensão do desafio que o País ainda tem na oferta de uma educação de qualidade e com equidade para todos.

O enfrentamento deste desafio passa por uma escola com educação integral, uma escola que promova o desenvolvimento dos alunos não só no aspecto cognitivo – vinculado à aprendizagem escolar –, mas também o desenvolvimento das chamadas habilidades para a vida, como criatividade, pensamento crítico, trabalho colaborativo e abertura ao novo, entre outras.

Os novos prefeitos precisam preparar as nossas crianças para o século 21 e, assim, romper com uma escola que ainda está no século 19.
_________________________________________________

*Mozart Neves Ramos é diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna. Foi reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), secretário de Educação de Pernambuco (2003-2006), presidente do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação) e também foi presidente do Todos Pela Educação (2007-2010).

[Fonte: IstoÉ]

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual