Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Corrupção, onde ela está?


Corrupção, onde ela está? - Gente de Opinião 
 

Professor Nazareno*

Segundo a ONG Transparência Internacional, o Brasil é um dos países mais corruptos do mundo. Numa recente lista de 180 nações divulgada pela entidade, ficamos num número nada invejável ao lado de republiquetas africanas. Com um PIB que o coloca entre as dez maiores economias do planeta, o nosso país patina de forma vergonhosa quando o assunto é a qualidade de vida de sua população, que hoje já ultrapassa os duzentos e seis milhões de indivíduos. O professor Leandro Karnal, um dos ícones do pensamento esquerdista, afirma que “não existe sociedade honesta com governo corrupto ou vice-versa”. No Brasil, infelizmente, tem sido muito comum as pessoas apontarem o dedo sempre para os outros quando se quer encontrar os culpados pelo mau uso do dinheiro público, principalmente. Aqui, o corrupto sempre é o outro.

Para a maioria dos nossos cidadãos, no entanto, “o roubo vem de fora, dos outros”. Pior: são os políticos os maiores responsáveis pela corrupção que assola o país há séculos. E entre os próprios políticos e autoridades, é comum apontar sempre o outro poder como o maior responsável pela roubalheira. Mas todos estão redondamente enganados. Somos um dos povos mais ladrões e desonestos do mundo e a culpa, como se pensa, não é dos portugueses que a partir de 1500 trouxeram para cá os seus degredados. Só que a nossa desonestidade com o alheio é algo próprio de nós mesmos. Praticamente só pensamos em nós e depois em nós. A corrupção está no Executivo, no Legislativo, no Judiciário, na Igreja, nas escolas, nas instituições e em cada Estado e município deste país. Dizem até que nas nossas veias corre um sangue já corrompido.

Execrar apenas o Congresso Nacional ou o Poder Executivo por causa da corrupção é uma injustiça. Dentro do próprio Judiciário deve haver “coisas tão cabeludas” que envergonhariam um ladrão de chinelos. Por que um juiz como o Sérgio Moro só apareceu agora 514 anos depois de descoberto o país? Este estado de coisas só foi possível por que houve vistas grossas por parte do Judiciário durante todo este tempo. E isto não é corrupção? Um cidadão ganhar 100 mil reais por mês ou mais num país de famintos e miseráveis não é corrupção? Os supersalários do Brasil, em quase todos os setores da vida pública e que sangram mais de 10 bilhões de reais por mês é algo decente e aceitável? Quase todos querem sempre ganhar acima do teto fixado por lei sem se importar de onde saem os recursos. “Farinha pouca, meu pirão primeiro!”

Na iniciativa privada, a “festa” é até pior do que no setor público. No Brasil, o importante é levar vantagem em tudo. Não interessa quem vai sair perdendo. O individualismo reinante na nossa mentalidade é uma praga que já foi abolida há anos nos países civilizados. Nunca se pensa no coletivo, apenas no “EU”. E quando os dois setores se encontram a desgraça está feita sempre em desvantagem para os mais pobres. Veja-se o exemplo da Operação Lava Jato e as relações incestuosas onde não se define claramente o que público nem o que é privado. E as “punições” dadas aos juízes brasileiros? E os privilégios dados a outros setores? E os conchavos espúrios envolvendo os mandatários do país? Tudo isso não seria também um tipo velado de corrupção e de privilégios? Deram um golpe numa presidente eleita para botar no poder pessoas igualmente corruptas. A Odebrecht delatou todos e o país caiu na vala comum.

*É Professor em Porto Velho.

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual