Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Churrasquinho do Té: Mais um patrimônio de Guajará-Mirim


Churrasquinho do Té: Mais um patrimônio de Guajará-Mirim - Gente de Opinião     

Por Ariel Argobe (*)
 
 

            São inúmeras as atrações turísticas de Guajará-Mirim, o que faz da urbe tupiniquim localizada às margens do Rio Mamoré, na fronteira com a República da Bolívia, uma das cidades mais visitada do Estado de Rondônia.

            A Catedral N. S. do Seringueiro, o Festival Folclórico Duelo na Fronteira, os carnavais tradicional e fora de época, a Estação da EFMM e o Museu Municipal, a região central e histórica da cidade, o Estádio Municipal João Saldanha, a Serra do Parecias e toda área verde de preservação permanente do município (93% das terras de Guajará), dentre outros monumentos, são atrações turísticas que encantam visitantes de todo o Estado e de diversas regiões do país.Churrasquinho do Té: Mais um patrimônio de Guajará-Mirim - Gente de Opinião

            Porém, Guajará tem atrativos turísticos alternativos que poucos conhecem, particularmente no campo culinário. Um dos mais procurados pelo morador local e por visitantes que com frequência aportam em Guajará e conhecem a cidade, é o churrasquinho do Té.

            Sua Banca de Churrasco costuma circular por toda cidade, se estabelecendo momentaneamente onde estiver acontecendo eventos com grande concentração de público. É só procurar: lá está o Té, com seu suculento e farto espeto de churrasquinho, invariavelmente rodeado por muitos e incondicionais clientes, que devoram seu espetacular espetinho.

            Fora dos grandes eventos, Té costuma estabelecer sua banca e churrasqueira na esquina das Avenidas Costa Marques com Leopoldo de Matos, próximo ao Bar do Clóvis, logo pela manhã, e lá receber vorazes amigos e clientes que não passam sem seu suculento e macio churrasquinho, um verdadeiro patrimônio cultural da culinária popular local.

            Não tenho dúvidas que a figura do Té - de corpanzil opulento, sorriso largo, gentil e popular - assim como seu espetacular espetinho de churrasco, com sabor inigualável, farto e textura macia, fazem parte do acervo cultural imaterial da cidade de Guajará-Mirim. Saborear e promover o registro desse patrimônio cultural imaterial é um dever (delicioso) de todo cidade e do ente público.

Quem tem alguma dúvida, é só pedir o espetinho do Té, desgostá-lo e, como eu, defender o Té, sua banca e seu Espetinho de Churrasco como mais um símbolo e patrimônio cultural imaterial da Pérola do Mamoré. Quem provar verá que tenho razão.

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual