Porto Velho (RO) sábado, 17 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

Brasil – Portugal: onde Estácio de Sá me levou


João Baptista Herkenhoff

Por um desses caminhos que a vida oferece, sem que saibamos explicar a razão, estou trabalhando, presentemente, numa faculdade que tem o nome de Estácio de Sá, o português que fundou a cidade do Rio de Janeiro e inscreveu seu nome em nossa História.

Estácio de Sá veio para as terras brasileiras, a serviço da Coroa Portuguesa, quando franceses e portugueses lutavam, militarmente, para ter o domínio do Brasil nascente.

Estou empenhado num projeto centrado na Cultura Brasileira e na vocação que sinto haver, tanto no Brasil, quanto em Portugal, para o desenvolvimento de um sadio intercâmbio.

Eis o roteiro de nosso trabalho, em fase de elaboração.

1. Os diversos conceitos de cultura. O conceito de cultura que adotaremos no nosso itinerário intelectual e os objetivos desse itinerário. Por que é importante, tanto para os brasileiros, quanto para os portugueses, uma iniciação ao estudo da Cultura Brasileira.

2. Se existe uma Cultura Brasileira e quais as notas que distinguem essa cultura. Cultura Brasileira e culturas regionais do Brasil. Alguns aspectos da Cultura Brasileira – música, artes em geral, criações do pensamento, o Carnaval, o futebol. Aspectos das culturas regionais brasileiras: o carioca, o paulista, o gaúcho, o capixaba, o baiano, o mineiro, o pernambucano, o potiguar etc.

3. Podemos dizer que existe uma “alma brasileira”? Cultura brasileira e alma brasileira. Características da alma brasileira.

4. Influência de Portugal na cultura brasileira e na alma brasileira. Cidades “portuguesas” no Brasil.

5. Contribuição que o Brasil pode dar para o perfil de uma civilização humanitária.

6. Possibilidades de cooperação entre Brasil e Portugal na construção de um mundo sem barreiras, sem preconceitos, sem ódios, endereçado à paz e à fraternidade.

São objetivos da tarefa a que nos entregamos:

a) despertar os leitores da versão final do texto para a importância da “Cultura Brasileira” e para o significado da atenção sempre mais constante dos portugueses para com o Brasil;

b) debater alguns dos aspectos mais relevantes relacionados com o tema;

c) mostrar a importância da solidariedade entre Brasil e Portugal na luta pela edificação de estruturas de Humanismo e Justiça Social no mundo;

d) cumpridas as etapas anteriores, espero que os leitores sejam capazes de ampliar os conhecimentos adquiridos por meio de leituras complementares, debates, reflexões, engajamento em ações coletivas.

Sou receptivo a sugestões que me sejam apresentadas e a subsídios que me sejam oferecidos.

É livre a divulgação ou reprodução deste texto, por qualquer meio ou veículo, inclusive através da transmissão de pessoa para pessoa.

Ofereço este projeto de pesquisa a quem queira realizá-lo antes que eu possa fazê-lo. Nesta hipótese tenho uma única exigência a formular: que seja registrada a autoria do projeto, onde quer que apareça, inclusive quando a versão final da pesquisa vier a ser publicada.

Seria sumamente gratificante para mim que mestrando ou doutorando de algumas das unidades da Faculdade de Sá espalhadas pelo Brasil viesse a executar a pesquisa.

Para saber mais sobre meu trabalho basta visitar minha homepage, indicada abaixo.

Para quem queira comunicar-se comigo ofereço o endereço eletrônico, a seguir.

João Baptista Herkenhoff, 76 anos, é Supervisor da Coordenação Pedagógica e Professor Pesquisador da Faculdade Estácio de Sá do Espírito Santo, Brasil. Realizou pós-doutoramentos nos Estados Unidos (Wisconsin University) e na França (Université de Rouen). Foi professor universitário na cadeira de Cultura Brasileira. Visitou instituições culturais portuguesas. Escreveu quarenta e cinco livros. Uma de suas mais recentes obras é Filosofia do Direito (GZ Editora, Rio de Janeiro, 2010). Seus livros estão disponíveis em algumas bibliotecas de Portugal e em muitas bibliotecas brasileiras.

E-mail: jbherkenhoff@uol.com.br

 

Mais Sobre Opinião

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual

Vagalumes nas trevas

Vagalumes nas trevas

Mas as trevas não são absolutas: há estrelas, há vagalumes, há réstias de luz