Porto Velho (RO) quinta-feira, 22 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

'Bandido bom é bandido...' - Por Professor Nazareno


 
'Bandido bom é bandido...' - Por Professor Nazareno - Gente de Opinião 
 
 
 
Professor Nazareno*

Os massacres ocorridos em menos de uma semana neste início de ano nos complexos penitenciários de Manaus no Amazonas e em Boa Vista/Roraima e que vitimaram quase uma centena de presos numa suposta luta entre facções rivais, mostraram ao mundo a fragilidade de nossas cadeias e do sistema carcerário do Brasil. O pior é que quase a totalidade dos cidadãos brasileiros ficou alegre e satisfeita com as mortes e defende a absurda e ultrapassada ideia de que “bandido bom é bandido morto”. As redes sociais foram inundadas com frases apoiando a matança e comemorando a carnificina como se fosse a coisa mais normal do mundo. No Brasil, país de última categoria em relação aos direitos humanos, pode ser até normal. O Estado é responsável por todos os seus presos e a vida de cada um deles está sob a tutela do Poder Público.
 
Até uma autoridade do governo golpista de Michel Temer ficou feliz com a desgraça alheia. Filiado ao PMDB, Bruno Júlio, o secretário nacional de juventude afirmou que “tinha era que matar mais” e que “tinha que fazer uma chacina por semana nas penitenciárias” depois reafirmou tudo o que dissera. Bruno teria pedido demissão logo após as desastradas declarações. Se o Estado prende o criminoso e se responsabiliza por sua integridade, esse mesmo Estado tem que ser punido se algo acontecer ao infeliz. É a lei. Não é o bandido que prende o Estado. É o contrário. Bandido age como quiser, por isso é bandido. O Estado tem que ser íntegro. Quando acontecem mortes em nossos presídios, pagamos pesadíssimas indenizações ao Conselho Interamericano de Direitos Humanos da OEA e também a outros organismos.
 
Muitas das pessoas que defendem o horror geralmente não têm nenhum parente entre os mortos. Dizem-se cristãs, pouco ou nada entendem de leis e desconhecem, por exemplo, a passagem da mulher adúltera. Essa reação criminosa não resolve em nada o complexo problema da violência e mancha com sangue ainda mais a pouca imagem que o Brasil tem perante os países mais civilizados do mundo. A Holanda está fechando prisões por falta de criminosos. Rui Barbosa disse há mais de cem anos que “uma nação que não constrói escolas, deveria construir presídios”. Não construímos nem uma coisa nem outra. Vemos com muita tristeza até jornalistas defenderem a barbárie e fazer chacotas sobre a política de direitos humanos. Ignorantes e de má índole, parece que desconhecem os horrores do Nazismo e do Fascismo. E defendem ainda a Lei de Talião.
 
Violência só gera mais violência e não leva a nada. As chacinas de Canudos, Carandiru, Urso Branco e tantas outras não evitaram agora as matanças de Manaus e Boa Vista. O Estado está falido e precisa se fortalecer com uma boa e justa política carcerária. O atual governador do Amazonas, José Melo, que dentre outras coisas foi incapaz de evitar o caos, disse que entre os mortos não havia nenhum santo. E entre os políticos há algum? O Estado não prende santos, só bandidos. E não adianta mandar  levá-los para a nossa casa. É um argumento chulo e desprovido de qualquer inteligência. O mesmo se diz quando, às vezes, mostro as verdades de Porto Velho: “não gosta da cidade, vá embora”. Mas o que esperar de uma sociedade onde muitos de seus cidadãos são burros e alienados? Bandido bom não é bandido morto. É bandido preso, julgado, condenado e cumprindo legalmente a sua pena. E sem nenhum privilégio dado a ele.
 

*É Professor em Porto Velho.

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.