Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Crônica

Compensa poupar?


Humberto Pinho da Silva - Gente de Opinião
Humberto Pinho da Silva

No século passado chegou-me às mãos, pequeno jornal local, que incluía curiosa crónica de alguém, cujo nome se varreu completamente.

Contava o articulista, que havia na Beira dois irmãos, que cansados de labutar a terra, com: enxada charrua e ancinho, assentaram abalar até à Capital

Instalados em Lisboa, buscaram emprego. O mais velho alcançou num armazém; o outro dedicou-se à construção civil, e fazia biscates, nas horas livres.

Enquanto o mais velho trabalhava sem cessar, para pagar arrenda do modesto apartamento, o irmão, resolveu erguer abarraco clandestino, na preferia. Receoso que a renda subisse, resolveu adquirir casa, pedindo dinheiro ao banco.

Lentamente surgiram novas despesas: além do empréstimo, apareceram: seguros, IMI, condomínio, obra no prédio e consertos urgentes, no apartamento.

Preocupado, sempre que podia fazia horas extraordinárias, e poupava o máximo no: vestuário, alimentação e até nos dias de folga e férias permanecia em casa, para economizar.

Por sua vez o irmão, liberto de aluguer e encargos, comprou carro, almoçava em restaurantes caros, e todos os anos ia de férias para o Algarve. Como era pobre, recebia, ainda, vários auxílios

Certa ocasião o camartelo arrasou o barraquito, para se urbanizar o terreno.

Gritou, protestou, declarando que ia morar na rua com os filhos.... Condoídos deram-lhe casa ampla, e de renda simbólica.

O irmão, enredado em despesas, trabalhava desesperadamente, e pouco auxílios obtinha, por ser proprietário.

Perguntava o articulista: Vale a pena poupar? Economizar? Para ter a sua rica casinha?

Gente de OpiniãoSegunda-feira, 26 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Quando meu pai foi advertido pela PIDE

Quando meu pai foi advertido pela PIDE

Certa ocasião acompanhei meu pai a exposição coletiva de fotografia. Tratava-se de trabalhos a preto e branco – na época ainda não existiam rolos a

Desvio ou ladrão?

Desvio ou ladrão?

Anda o País (que digo eu?) o mundo, preocupado com a corrupção, e é mal difícil de estripar.Já o nosso Sá de Miranda, em carta a El-Rei, lamentava:

A Bateria Nuclear de Thaiana e Significado das Cinzas pós Carnaval

A Bateria Nuclear de Thaiana e Significado das Cinzas pós Carnaval

Pés doendo, olhos caídos, um sorriso no rosto. Assim chega Thaiana, em casa, depois de mais uma note de carnaval nos blocos de Porto Velho. Ela foi

Convívio ou hereditariedade?

Convívio ou hereditariedade?

Disse, com razão, em 1871, Ramalho Ortigão, in: " As Farpas", que: “Metade daquilo que valemos moralmente e intelectualmente, devemos aos contactos

Gente de Opinião Segunda-feira, 26 de fevereiro de 2024 | Porto Velho (RO)