Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

A OAB e o pedido de impeachment de Temer


 
Gente de Opinião

A sociedade brasileira precisa de uma resposta urgente sobre o destino do empresário Joesley Batista, dono da JBS e principal responsável pelo tsunami político que abalou a estrutura do Palácio do Planalto. O empresário gravou o presidente da República, Michel Temer (PMDB) em uma conversa comprometedora que pode resultar no impedimento da presidência. 

Batista fez delação premiada e revelou como funcionou o esquema de pagamento de propina para partidos políticos. Ele deixou o Brasil na semana passada sem o conhecimento da Polícia Federal, mas com autorização da Justiça. O empresário temia pela sua vida pelo fato de ter delatado ao Ministério Público Federal (MPF) políticos considerados influentes no cenário nacional.
 
Ontem, a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) nacional fez o mesmo questionamento durante coletiva realizada à imprensa para explicar o pedido de impeachment do presidente Michel Temer. O dono da JBS causou um turbilhão no meio político - e respingou em Porto Velho no último final de semana, com o pedido de afastamento do vice-prefeito da capital, Edgar Nilo Tonial (PSDC), o popular Edgar do Boi. Após a delação, Batista desapareceu e só a Justiça tem conhecimento do seu destino. Tudo indica que novas operações irão surgir no Brasil por conta dos depoimentos de Batista.

Para a OAB, o que está em discussão nesse momento não é saber se a gravação do empresário com o presidente da República foi editada. O que está em jogo é o teor da conversa. Ao tomar conhecimento das informações prestadas pelo empresário, o presidente Michel Temer tem por obrigação de denunciar os atos praticados por Batista.

O fato é que o peemedebista teve um comportamento que não é digno de representante da população. Nada fez para barrar e denunciar o empresário por tentativa de  obstrução da Justiça. A voz que surge nas gravações com o trecho “você tem que manter isso” é o suficiente para deixar o peemedebista bem longe do comando do Brasil. Temer se referiu ao pagamento de uma mesada gorda no valor de R$ 500 mil ao ex-deputado Eduardo Cunha, preso durante a operação Lava Jato, em troca do silêncio.

Diante de todo o cenário de corrupção, a Constituição Federal é uma verdadeira mãe e garante aos acusados o direito de ampla defesa. Os legisladores só não esperavam que os eleitos pela vontade democrática ultrapassassem os limites. Eles foram muito além e hoje quem sofre com todo esse escândalo de corrupção é a população brasileira. 

Quando a OAB protocolou o impeachment da então presidente Dilma Rousseff (PT), existia como justificativa as chamadas “pedaladas fiscais”. O pedido contra Temer protocolado ontem deve seguir o mesmo rito, mas poderia merecer um tratamento diferenciado na Câmara Federal pelo fator de reunir requisitos de alta gravidade.

 

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual