Porto Velho (RO) quarta-feira, 21 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

A INSENSATEZ DA PRESIDENTE DA REPÚBLICA


 A INSENSATEZ DA PRESIDENTE DA REPÚBLICA - Gente de Opinião

Francisco das C. Lima Filho[1]

A Senhora Presidente da República, vem se comportando de forma no mínimo insensata e imprudente, ao lançar mão de um discurso que, a par de inverídico, compromete a imagem das instituições brasileiras e fere a Constituição da República, que Sua Excelência jurou defender ao ser empossada no mais honroso e alto cargo do Governo.

Não conseguindo barrar na Câmara dos Deputados o processo de impedimento, apela a Chefe da Nação para o discurso do “golpe” que sabe não ser verdadeiro e a chega ao desatino de pretender usar de um espaço internacional de diálogo e de defesa de direitos, especialmente dos direitos humanos, para tentar passar uma imagem do Brasil e das instituições brasileiras que, de sã consciência, sabe não corresponder à verdade, comprometendo de forma irresponsável, o nome e a imagem do País que tem o dever de defender, numa desesperada tentativa de se manter no poder.

Tem a Chefe da Nação, cuja legitimidade parece ser comprometida a cada dia, o dever de respeitar e fazer cumprir a Constituição, não podendo se valer do honroso cargo que ocupa para fazer afirmações não verdadeiras, especialmente num foro internacional.

O jogo político deve ser jogado de forma leal e com observância às normas e aos princípios legais e constitucionais.

Desse modo, a narrativa construída pela Presidente e seus seguidores, de que o processo de impedimento em tramitação no Congresso Nacional, chancelado pela mais alta Corte do Judiciário brasileiro, seria um “golpe”, é de fato, como afirmado por alguns Ministros do Pretório Excelso, um gravíssimo erro que a nação não pode admitir. E tanto é assim, que Sua Excelência ausenta-se do País num momento de grave crise que exige equilíbrio e prudência, e seu Vice assume, sem qualquer trauma, a Presidência, enquanto o Congresso. o Judiciário e todas as instituições seguem funcionando normalmente.

Nesse quadro, se mostra absolutamente inadmissível o discurso de “golpe” que a Presidente pretende passar manchando irresponsavelmente a imagem das instituições brasileiras, especialmente quando isso se dá foros internacionais.

Não existe nenhum “golpe”, mas um processo de impedimento da Chefe da Nação que teria violado a lei e a Constituição e que, pelo menos até agora, cumpriu todas as exigências legais e constitucionais. E mais que isso, foi chancelado pela Corte Suprema em duas oportunidades em foi chamada a se manifestar.

Necessário, assim, que a Presidente recobre o equilíbrio para lutar pelo seu mandato lançando mão dos mecanismos legais e constitucionais que o ordenamento jurídico lhe garante. O que não pode é construir uma narrativa inverídica que compromete a imagem e a credibilidade das instituições nacionais, menos ainda usar de espaços internacionais que a todas as luzes não se prestam a esse desiderato.

Presidente, quando Vossa Excelência foi eleita, o povo não lhe outorgou o poder de macular a imagem do Brasil; antes, lhe credenciou para a defesa da Constituição, das Leis e da imagem do Brasil. Não descumpra esse dever, sob pena de cometimento de um grave erro que a História certamente lhe cobrará. Não a história de vida que Vossa Excelência tem invocado nos últimos dias. Prudência Presidente! 



[1]  Desembargador do TRT da 24ª Região.

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.