Porto Velho (RO) quarta-feira, 2 de dezembro de 2020
×
Gente de Opinião

Opinião

A História de O(AB) - Por Vinícius Miguel


 

Gente de Opinião

Por Vinícius Miguel

” Você nunca a amarrou?
_ Não, nunca.
_ Nem a chicoteou?

_ Também não, mas justamente …

Era seu amante quem respondia.

_ Justamente _ disse a outra voz _ amarrá-la algumas vezes, chicoteá-la um pouco, e permitir que tome gosto nisso, não. É preciso ultrapassar o momento do prazer, para se obterem as lágrimas.”

O livro, um clássico da literatura erótica francesa, da lavra de Pauline Reage abalou o mundo em 1954.

A narrativa é um primor e merece ser lida. Na obra, a anti-heroína “O” é levada por René e, depois, pelo meio irmão deste, Sir Stephan, a conhecer o ambíguo submundo do prazer obtido pela dor: ela é seviciada e submetida a todas as tormentas possíveis.

Sua resignação (interpretada como uma das tantas formas do amar) impõe até mesmo a marcação a ferro quente com as iniciais de seu dono.

Assim, na lógica contraditória do prazer e da dor deve ser examinado o posicionamento externado dia (09/02/2017) pela representação da Ordem dos Advogados do Brasil no Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura.

A História de O(AB)  - Por Vinícius Miguel - Gente de Opinião


Reveja entrevista, de março de 2016, com Sylvia Dias e Vinícios Raduan na SIC TV,
a abordagem da entrevista de Léo Ladeia foi sobre a prevenção a tortura.

A História de O(AB), nesse caso, se apresenta com a posição defendida contra nota de repúdio à indicação de Alexandre de Moraes ao STF, nota proposta por inúmeras organizações.

A nota menciona(va) exclusivamente que Moraes não é um nome adequado por apresentar posições que afrontam os direitos fundamentais.

No caso da Advocacia (com A maiúsculo), a posição colidente de Moraes enquanto Ministro da (In)Justiça é ainda mais evidente.

Foi sob sua gestão que emergiu portaria (n. 04, de 28/06/2016) que 1) limitou o número de atendimentos do advogado a um por semana, 2) restringindo a um único causídico, 3) coartando o tempo de atendimento a uma única hora. A malfadada normativa também 4) impedia que advogados ingressassem com cópias dos processos.

Não menos polêmica, foi a proposta do próprio Ministro para que os atendimentos do advogado com o réu/cliente fossem gravados, sodomizando (tal qual “O” o fora) o Estatuto da Advocacia.

A posição da OAB no referido colegiado é em desacordo com a totalidade da leitura da sociedade civil (todas as outras onze organizações nacionais de direitos humanos foram favoráveis à nota). É um contrassenso com a defesa a de prerrogativas advocatícias.

Outrossim, tal qual “O”, a Advocacia parece deleitar-se com a sensação de ser aviltada e, disso, obter o gozo.

Só essa dinâmica masoquista que permite compreender a votação em questão.

Da obra de Pauline Reage, a conclusão: “como se ele próprio estivesse no seu corpo e tivesse experimentado a inquietação, a angústia, a vergonha, mas também o orgulho secreto e o prazer dilacerante (…)”.
 

Vinícius Miguel é advogado em Rondônia, membro do Comitê Nacional de Proteção e Combate à Tortura

Mais Sobre Opinião

O tribunal europeu (TEDH) dá andamento à queixa "Acção Climática" das crianças portuguesas + Restauração de Portugal independente

O tribunal europeu (TEDH) dá andamento à queixa "Acção Climática" das crianças portuguesas + Restauração de Portugal independente

O TRIBUNAL EUROPEU (TEDH) DÁ ANDAMENTO À  QUEIXA “ACÇÃO CLIMÁTICA” DAS CRIANÇAS PORTUGUESASNo rescaldo de Pedrogão Grande onde o Fogo matou 110 Pessoa

Começou a batalha pela presidência da Câmara em Porto Velho

Começou a batalha pela presidência da Câmara em Porto Velho

Acirra-se a briga pela presidência da Câmara Municipal de Porto Velho. O atual presidente Edwilson Negreiros está articulando um grupo forte para gara

Sua Excelência a abstenção

Sua Excelência a abstenção

Independente de quem saía consagrado das urnas no segundo turno do pleito para a prefeitura de Porto Velho (Hildon Chaves ou Cristiane Lopes), certo

A cidade foi a grande ausente no debate

A cidade foi a grande ausente no debate

Se o Ibope estiver certo em sua aferição, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) vai permanecer por mais quatro anos no comando do município de Porto Velho