Porto Velho (RO) sexta-feira, 27 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Opinião

A CIDADE EM SUAS MÃOS


   
Faustino  Vicente *

A complexidade do mundo dos negócios tem no marketing um valor agregado de grande importância na conquista e na fidelização dos clientes. “Marketing não é uma batalha de produtos. Marketing é uma batalha de percepção”. A tecnologia está fazendo com que os produtos, de uma mesma categoria, cada vez  mais se assemelhem. Exemplo? Como distinguir a marca de um televisor, entre vários deles funcionando, sem a identificação do fabricante? Posicionar a figura do candidato na mente do eleitor é o objetivo principal do marketing político.

As atuais determinações do TSE - Tribunal Superior Eleitoral -, válidas para a próxima eleição têm, entre outros, o objetivo de reduzir o custo das campanhas,dar transparência as proposta, facilitar a controle público sobre os gastos dos partidos e reduzir a desigualdade financeira entre os candidatos. Maior transparência sobre as doações, com restrições à entidades que recebam recursos públicos e a prestação de contas pela Internet são medidas que, se não vão eliminar possíveis simulações contábeis,irão pelo menos dificulta-las. As novas regras do jogo visam erradicar o superficial e valorizar o essencial, ou seja, a biografia do candidato – novo enfoque do marketing político.

O programa, qualitativo e quantitativo,dos partidos, è de fundamental importância não apenas para o planejamento estratégico, mas para que o eleitor saiba,em detalhes, como ele será viabilizado. Não basta revelar o que será feito, isto a sociedade já sabe: investimentos em educação, saúde, saneamento básico, infra-estrutura, transporte, segurança pública,preservação ambiental, moradias urbanas e geração de empregos,mas,principalmente, como será feito. Os vereadores e prefeitos, que estão pleiteando reeleição, devem prestar contas  das promessas que fizeram por ocasião da eleição passada. Na realidade o que interessa à maioria da população é saber o que será feito para reduzir a mais cruel das violências -  a desigualdade econômica e social – linha divisória entre o oceano de pobres e a  ilha de ricos. Em Jundiaí, louve-se o posicionamento do nosso bispo, Dom  Gil Antônio Moreira,sobre a próxima eleição.

Os programas dos partidos não devem conter apenas o que será feito, mas qual a origem dos recursos, sem que se aumente a já elevadíssima carga tributária, que mina o poder aquisitivo da classe de baixa renda. O detalhamento das propostas  deverão chegar ao conhecimento dos eleitores pelos mais diversos meios,principalmente, através dos debates pela TV. A mídia, a Internet, as reuniões nos bairros e  a conversa com eleitores nas ruas,também, são meios de tornar as propostas transparentes. Entidades de classe,faculdades, igrejas,clubes,ONGs,entre outras,devem convidar os candidatos para que o eleitor possa conhecer,analisar,comparar,refletir, julgar e decidir em quem votar. Conduta ética e competência técnica deverão encabeçar os pré-requisitos de uma candidatura.

Para os que julgam que as pessoas simples não têm a devida compreensão da realidade, relatamos uma pequena história. Um ilustre político convidou um famoso  economista para fazer uma palestra e no final da brilhante apresentação do professor, o anfitrião apanhou o microfone e sugeriu que os participantes fizessem perguntas ao palestrante.Apesar da insistência ninguém se atrevia a falar, até que um cidadão,carinhosamente, conhecido como Zé do Mato levantou-se e falou: “Eu intendi tudinho: si nóis gasta mai do que nóis ganha,nóis quebra”.”Somente os incautos menosprezam a sabedoria popular.”

Uma simples reflexão sobre cidadania nos leva à concluir que temos o direito de exigir conduta ética dos candidatos e, paralelamente, temos o dever moral de não  vender a nossa consciência por qualquer espécie de vantagem pessoal futura ou em pagamento de benefício já recebido.

* Faustino  Vicente  - Consultor de Empresas e de Órgãos Públicos– e-mail: faustino.vicente@uol.com.br

Mais Sobre Opinião

Hildon Chaves deverá vencer as eleições muito facilmente, se a Cristiane não se reposicionar junto aos eleitores

Hildon Chaves deverá vencer as eleições muito facilmente, se a Cristiane não se reposicionar junto aos eleitores

Até o momento, ao que tudo indica, parece que a definição sobre quem será o próximo prefeito ou prefeita de Porto Velho é “favas contadas”. O atual

Respeito a decisão do Vinícius, mas não concordo

Respeito a decisão do Vinícius, mas não concordo

Recebi de um amigo um vídeo em que o candidato à prefeitura de Porto Velho, Vinicius Miguel - em quem votei no primeiro turno da eleição de domingo (1

Os náufragos de 2020

Os náufragos de 2020

Não foi apenas o presidente Jair Bolsonaro que saiu perdendo nas eleições municipais de 2020. A esquerda foi massacrada nas urnas. Exemplo disso é o

O recado das urnas

O recado das urnas

A renovação substancial da Câmara Municipal de Porto Velho, além da decepção causada a muitos dos que atualmente exercem mandato de vereador, há de