Porto Velho (RO) segunda-feira, 19 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

A CAMPANHA EM GUAJARÁ E A INAUGURAÇÃO DA REPÚBLICA DA SURUBA TUPINIQUIM - Por Ariel Argobe


A CAMPANHA EM GUAJARÁ E A INAUGURAÇÃO DA REPÚBLICA DA SURUBA TUPINIQUIM - Por Ariel Argobe - Gente de Opinião 

ARIEL ARGOBE


Em novembro passado a população de Guajará-Mirim, como em todo Brasil, foi às urnas para eleger prefeito. Naquele pleito, disputavam o cargo de prefeito, em uma peleja feroz, de combate mútuo e com sangue no olho: Antônio Bento, Rodrigo Nogueira e Gerson Maia. O vencedor não tomou posse em razão conhecida por todos.

No próximo dia 2 de abril Guajará voltará às urnas, em eleição suplementar. Antônio Bento, Rodrigo Nogueira e Gerson Maia, há pouquíssimo tempo adversários políticos desde tenra idade, inconciliáveis, agora, milagrosamente unidos e irmanados carnal, espiritual e politicamente – tipo assim: farinha do mesmo saco e banana do mesmo cacho – ocupam o mesmo palanque, buscam os mesmos votos e constroem o mesmo projeto político percorrendo as ruas da Pérola do Mamoré, frenética e incansavelmente (nem tanto Antônio Bento), para eleger o atual prefeito que provisoriamente ocupa o cargo máximo do Palácio Pérola do Mamoré.

Para ficar na palavra da moda - que hoje define os acordos políticos firmados no planalto central para governar o Brasil –, e assim definir a plástica da campanha perolense suplementar, usarei um termo cunhado por Romero Jucá, ao definir as bases dos acordos vantajosos e a partilha do poder político central, em benefício de todos os salafrários envolvidos com o Projeto “Uma Ponte Para o Futuro”, que nos conduziu ao golpe jurídico-parlamenta-midiátio: SURUBA.

Não é possível definir as costuras firmadas pelos grupos políticos que interinamente conduzem o município, a partir de distribuição de cargos e divisão de secretarias com os ‘parça’ da hora – grupos que há pouco tempo eram adversários viscerais -, senão como um acordo político que traduz a mais verdadeira e promíscua suruba de loteamento do poder político municipal.

E o eleitor, suas necessidades, desejos e sonhos como ficam? Nesta suruba eleitoral perolense cabe ao eleitor pouco exigente entrar com o cu, desprovido de camisinha, munido apenas de cuspe e um saquinho de areia, para uma polvilhada básica em seu próprio frogoió, pro voto entrar macio.

E assim, com esta campanha eleitoral suplementar de conchavos promíscuos, declaramos inaugurada a República da Suruba da Pérola do Mamoré.

 

Mais Sobre Opinião

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.

Brasil,  192 anos dos Cursos  Jurídicos  Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

Brasil, 192 anos dos Cursos Jurídicos Salve o dia 11 de agosto, dia dos advogados

O Brasil, último país a acabar com a escravidão tem uma perversidade intrínseca na sua herança, que torna a nossa classe dominante enferma de desigual