Porto Velho (RO) quinta-feira, 22 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Opinião

3G ainda domina investimentos da Vivo em 2015, mas 4G será foco em 2016


A Telefônica/Vivo já riscou de sua planilha de investimentos a tecnologia 2G. Não há mais aporte de recursos para a rede de segunda geração ou sequer para a compra de terminais 2G. "O que queremos é incentivar o nossos clientes para migrar do 2G para o 3G e para o 4G. Nosso foco em aparelhos é em smartphones 3G e 4G", conta o diretor-geral da Telefônica/Vivo, Paulo Cesar Teixeira.

No ano que vem, o 3G ainda terá, segundo Teixeira, "um pequeno domínio sobre o 4G nos investimentos" da Telefônica/Vivo. "Isso porque vamos cumprir as metas rurais (de cobertura) com o 3G. No 4G, em 2,5 GHz, os investimentos serão mais focados em densificar (instalar mais antenas) nas cidades em que já estamos. Mas em 2016 o 4G já será a maior parte dos investimentos", revela.

Teixeira está otimista com relação à liberação de frequências de 700 MHz para o 4G. Quando questionado se os investimentos para a faixa só viriam em três anos, quando a faixa estivesse desocupada pela radiodifusão, ele sinalizou que talvez não. "Temos de trabalhar com o governo para tentar antecipar isso, acho que é possível."

Terminais

Por trás da estratégia de não vender mais celulares apenas 2G, além de incentivar o uso de dados e a inclusão digital pelos telefones móveis, a Vivo tem no horizonte para o futuro desocupar a faixa hoje usada pelo GSM, reduzindo custos operacionais e possibilitando um eventual refarming de frequências para uso de outras tecnologias. Mas essa não é uma tarefa fácil. "O Brasil tem hoje cerca de 50% da base ainda com 2G, e esse índice se refletido na base da Vivo, como líder de mercado. Estamos tentando incentivar (a migração) com oferta de smartphones de 3G e 4G", diz.

O preço dos terminais 4G, no entanto, continua sendo uma barreira. "O preço já caiu muito, mas ainda pago por um terminal 4G o dobro do que pago em um 3G. E estou falando de aparelhos praticamente iguais, apenas com a diferença do chip para funcionar com o 4G. Quero entender o porque dessa diferença", reclamou.

Fonte:  Teletimes
 

Mais Sobre Opinião

O bom do silêncio

O bom do silêncio

Bolsonaro disse que não adianta exigir dele a postura de estadista, por que não é estadista.

Meu cargo, minha vida

Meu cargo, minha vida

Bolsonaro se revelou um profundo conhecedor da natureza humana

Cada quadrado no seu quadrado

Cada quadrado no seu quadrado

Os argentinos são como são. E não querem nem aceitam conselhos.

Feliz dia de quem matou os pais!

Feliz dia de quem matou os pais!

Dia em que Suzane von Richthofen e Alexandre Nardoni estão de férias da prisão.