Porto Velho (RO) segunda-feira, 25 de janeiro de 2021
×
Gente de Opinião

Silvio Persivo

O importante não é a rosa, é o escândalo


O importante não é a rosa, é o escândalo  - Gente de Opinião

Com os avanços da internet, da comunicação on-line, da instantaneidade estamos, cada vez mais, expostos à eliminação das barreiras, das paredes, das distâncias e se torna também muito mais difícil a privacidade, a linha entre o público e o privado, entre o certo e o errado, o aberto e o fechado. Também quase que nos obriga a tomar decisões com pressa, a decidir sem refletir, a tomar partido em causas que não precisamos participar, a agir, e com rapidez, porque as pessoas esperam, mais do que esperam, nos coagem por respostas. Sou dos que fogem desta loucura moderna. Muitas vezes, desligo o celular e o micro e deixo que o mundo corra sem precisar de minhas intervenções (que, aliás, penso que pesam menos a cada dia). O problema é que, muitas vezes, o meu isolamento, que se dá porque me basto, incomoda. Posso viver lendo, escrevendo ou apenas dormindo e bebendo um vinho sem grandes problemas, o que deve preocupar os outros. Já recebi até o elogio de ser anti-social, porém, a verdade é que se preciso do amor e das amizades, também preciso, às vezes, me isolar para poder compensar os desgastes ou me equilibrar quando não estou num dia bom. O inferno pode não ser os outros-como pensava Sartre-mas, também pode ser.

E, muitas vezes, é num mundo onde tudo parece causar indignação. Quando vejo as movimentações, os comentários, as participações das pessoas nas mídias sociais, parece sempre ser a indignação que os move, os orienta. Parece que todo mundo está preocupado com o que é ofensivo ou injusto e se porta como o reparador das dores, que amplifica indignação e, não raro, deseja, através de sua voz, transformá-la num escândalo. E tudo se simplifica, se torna raso, infantil até se transmudar em um like ou um emoji raivoso. A comunicação via mídias sociais é uma conversa de surdos e, com razão ou sem, somente os próprios iniciadores se consideram o juiz do mundo até o ponto de, por exemplo, expulsar o outro de seu espaço, bloquear o próximo por não concordar com suas opiniões. Não há mesmo espaço, nem gentileza, para entender as razões do outro ou buscar mudar de opinião. No mundo da indignação somos envolvidos pela rapidez e o importante é a participação. É se render ao uso da nossa voz como irado contra o escândalo de alguém, pois, só atendendo à velocidade exigente do ciberespaço, onde todo mundo fala tudo  ao mesmo tempo, todo mundo precisa mostrar sua ira, cada vez mais forte, cada vez  mais boiada, para transformar o ultraje num escândalo.  De fato, as redes sociais é um espaço selvagem. É o espaço do grito dos sem voz. Dos inconformados sem razão, de vez que também, cada vez mais, não há diferença entre o que é relevante, ou não, do que deve ser prioridade ou relevado. Tudo nos causa indignação, um pequeno incidente ou uma grande injustiça. Porque nas redes sociais a reação imediata, estridente  e multiplicada iguala tudo.  Já não se protesta contra algo em específico, contra alguma coisa significativa. Se protesta por protestar (e há sempre motivos para o protesto) ainda mais quando o que importa é a rapidez com que manifestamos o desacordo. É o grito virtual, primeiro e forte que nos define e traz like e aprovações. Tenho saudades das passeatas, das marchas onde gritávamos slogans que tinham sentido, que buscavam soluções, manifestavam um desejo declarado de mudanças. Agora não se precisa de reflexão, nem motivos, nem de ter soluções. O que se precisa é de ter uma plateia que concorde que o importante é um grande escândalo. O importante não é o discurso, a reflexão, a mudança, a coerência ou a rosa. O importante é o tamanho do escândalo. 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Silvio Persivo

Lenha na Fogueira com o debate e com as Placas indicativas de pontos turísticos

Lenha na Fogueira com o debate e com as Placas indicativas de pontos turísticos

Lenha na Fogueira A pesquisa Ibope divulgada pela Rede Amazônica na noite de ontem 27, foi como se diz no jogo de xadrez, o CHEQUE MATE de Hildon Chav

As lições de um mestre

As lições de um mestre

O ex-técnico do Santos, Jesualdo Ferreira, sem dúvida um grande técnico, um ser humano educado e competente, em entrevista ao Globo Esporte, demonst

A liberdade de expressão e suas nuances

A liberdade de expressão e suas nuances

Sem dúvida muitas coisas no mundo mudaram para melhor. Apesar de todo o clamor que as reclamações por justiça e por igualdade reverberam, no entanto

A economia comportamental, a mistura de economia com psicologia

A economia comportamental, a mistura de economia com psicologia

É verdade que, desde Keynes, os progressos na economia tem sido feitos, fundamentalmente, por agregação. São, de fato, por assim dizer, incrementais,