Porto Velho (RO) quinta-feira, 2 de abril de 2020
×
Gente de Opinião

Silvio Persivo

NO THE RISING SUN EXPERIENCE SERÁ LANÇADO O 'MEMORIAL DO ALFERES JOSÉ DE LUNA RAMALHO'


 NO THE RISING SUN EXPERIENCE SERÁ LANÇADO O 'MEMORIAL DO ALFERES JOSÉ DE LUNA RAMALHO' - Gente de Opinião

No próximo dia 30 de Agosto de 2017 (Quarta-feira), a partir das 20:00 horas, no The Rising Sun Experience, Av. dos Imigrantes, 5021 -Bairro Costa e Silva, será feito o lançamento do livro livro “Memorial do Alferes José de Luna Ramalho”, de Silvio Persivo e José Ramalho de Lima, com um show surpresa de artistas locais convidados. A entrada será gratuita, porém, a consumação será por conta dos convidados. O livro é uma homenagem a um herói esquecido que, para ser lembrado pelo neto, foi preciso fazer uma pesquisa de reconstituição e resgate pelos sertões de Pernambuco, Paraíba e Ceará.

É um livro direto, simples, gostoso de ler e surpreendente, pois, apesar de tratar da perseguição do Alferes José de Luna Ramalho ao famoso cangaceiro Antônio Silvino não trata apenas deste tema, de vez que passeia também pela história dos Ramalhos e de outras famílias. Tem toda uma ambientação nordestina, é claro, mas, não se encontra também distante de Rondônia, de vez que o Alferes é avó de José Ramalho de Lima, um dos autores, pecuarista, ambientalista e corretor de imóveis, entre outras coisas, que, mora em Porto Velho. Por sinal, uma das cidades que serve de palco da história, Monteiro da Paraíba, também teve seu grande poeta, Pinto de Monteiro, vivendo e fazendo história na capital de Rondônia. Afinal o Nordeste sempre viveu na Amazônia e, por consequência, ambos possuem muita coisa em comum, inclusive o tipo de vida e a luta pela sobrevivência. Por isto “O Memorial do Destemido Alferes José de Luna Ramalho” é um livro diferente, documentário, eclético, de histórias de famílias, mas, também com uma visão do cangaço de outra perspectiva: da perspectiva dos que lutaram contra ele e foram esquecidos por não ter tido a folclorização, nem o marketing que o cangaço teve. Segundo Persivo “possui de tudo um pouco: relatos de viagens, poesias, histórias imprevisíveis e um certo romantismo nordestino: árido, seco e doce”.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Silvio Persivo

O mundo não é justo, my sweet girl

O mundo não é justo, my sweet girl

O filme “O Poço”, dirigido por Galder Gaztelu-Urrutia, recentemente lançado pela Netflix, é uma metáfora fascinante, grotesca e perturbadora. Embora

O custo (quase) invisível do isolamento

O custo (quase) invisível do isolamento

O presidente Bolsonaro não é um homem que se possa dizer que seja refinado, nem culto, nem que se destaque por manejar as palavras, enfim, por ser u

Rondônia tem o maior rendimento domiciliar per capita da Região Norte

Rondônia tem o maior rendimento domiciliar per capita da Região Norte

O IBGE divulgou hoje os valores dos rendimentos domiciliares per capita referentes a 2019, para o Brasil e unidades da federação, calculados com bas

Arte para quê?

Arte para quê?

A questão do que é a arte e da beleza da arte tem sido um tema sempre permanente nas discussões intelectuais.