Porto Velho (RO) quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Silvio Persivo

NO CAMINHO DO RETORNO DA ESPERANÇA



Silvio Persivo(*)

Apesar do ex-presidente Lula ainda afirmar, numa coletiva a veículos internacionais, que o governo deve buscar uma “coalizão” com parte do PMDB que ajudará a barrar o impeachment da presidente Dilma Rousseff, esta hipótese parece, cada vez mais, remota diante do andar da carruagem. Sua avaliação se assenta no passado, no tempo em que possuía credibilidade e governava. Hoje, ele e o governo gastaram seu capital de confiabilidade e passaram da hora de mudar. Não dá mais. Ainda que vá continuar lutando até o fim com o apoio de sindicalistas e militantes, não se tem mais dúvidas, segundo os melhores analistas, que, agora, a queda é só uma questão de tempo. Não adianta mais agrupar militantes para impedir um novo pedido de impeachment da OAB, nem buscar denegrir a entidade. O moinho da política se moveu e, até mesmo o ex-presidente Collor, que já passou por isto, sabe de sua inexorabilidade. Com Dilma, as coisas só piorarão e a população está avida por esperança que este governo não tem condições de suprir.

O anúncio de que o PMDB do Rio Janeiro se vergou à realidade foi a gota d’água. Com sua adesão irá todo o PMDB, e no seu rastro todos os partidos da base aliada abandonarão o governo. Com certeza só o PCdoB pode ser exceção por sua natureza, intrinsecamente, de esquerda, mas, ninguém, de sã consciência, nem internamente no governo, avalia, com realismo, que o governo não conseguirá obter 171 votos para impedir o impeachment, que será aprovado pela Câmara folgadamente. O Senado somente confirmará o afastamento, como o próprio presidente Renan Calheiros, mesmo contragosto,  já admitiu. No Congresso, todos já trabalham com um governo de união nacional de Michel Temer, que tentará repetir a formula de Itamar Franco. Como não é Itamar Franco, e conviveu com o PT e seus desvios e erros, é inevitável que, no decorrer do processo, como já se iniciou com a fala do líder do governo no Senado, Humberto Costa (PT-PE) comecem a acusá-lo, por diversos meios, e tentar impedir o processo com o “risco Temer”, como afirmou Costa que o vice-presidente Michel Temer “será o próximo a cair” caso a presidente Dilma Rousseff sofra o que ele chamou de um “golpe constitucional” (pelo menos, já admitiu que o golpe não é golpe com a adjetivação).

Porém, um olhar para o futuro mostra que Michel Temer já se prepara para convocar um governo de união nacional. Ou seja, vai convocar todos os partidos para governar junto, indicar ministros e integrantes dos primeiros escalões do Executivo. É o mesmo método de Itamar que, na época, somente encontrou recusa por parte do PT. Talvez, agora, só o PSOL recuse, pois, o PCdoB não tem um histórico de resistir a cargos públicos. O novo governo deve enfrentar a “herança maldita” do PT: a maior crise econômica da história, o mais alto patamar de gastos públicos, uma inflação alta, o descontrole da dívida pública e a falta de investimentos. Será preciso tomar medidas difíceis, porém, é preciso dar o primeiro passo para recriar as condições para o país crescer. Não será um caminho fácil nem de recuperação rápida, mas, pelo menos, se acena com a esperança, que estava morrendo à míngua com um governo que, nos últimos três anos, somente cuidou de tentar se manter no poder.

 (*) É professor de Economia com doutorado em Desenvolvimento Sócio-Econômico Ambiental pelo NAEA/UFPª.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Silvio Persivo

Arte para quê?

Arte para quê?

A questão do que é a arte e da beleza da arte tem sido um tema sempre permanente nas discussões intelectuais.

REVEILLON: comemoração será multimusical + Lenha na Fogueria

REVEILLON: comemoração será multimusical + Lenha na Fogueria

Lenha na FogueiraNo apagar das luzes ou como se diz no jargão futebolístico, nos acréscimos, a polêmica entre a Sejucel (leia-se, superintendente Jobs

MAKTUB

MAKTUB

Este time do Flamengo é um grande time?

As mudanças no mundo do trabalho reclamam novas formas de pensar

As mudanças no mundo do trabalho reclamam novas formas de pensar

Leio no jornal português “O Público” que uma pesquisa do Instituto Nacional de Estatística (INE) revela que as empresas portuguesas contatam mais fr