Porto Velho (RO) quinta-feira, 23 de janeiro de 2020
×
Gente de Opinião

Silvio Persivo

A RÚSSIA SOBROU NO PRIMEIRO JOGO DO MUNDIAL - Por Sílvio Persivo


Camisa 2 da seleção da casa, Mário Fernandes, brasileiro naturalizado russo, comemora goleada sobre a Arábia Saudita (Yuri Kochetkov/EFE/Direitos Reservados) - Gente de Opinião
Camisa 2 da seleção da casa, Mário Fernandes, brasileiro naturalizado russo, comemora goleada sobre a Arábia Saudita (Yuri Kochetkov/EFE/Direitos Reservados)

No primeiro confronto do Mundial a Rússia, num jogo marcado por um futebol sofrível, rompeu, pelo menos temporariamente, o pessimismo que envolvia o seu time ao aplicar uma goleada por 5 a 0 sobre a Arábia Saudita. Sorte do técnico Stanislav Cherchesov, que, de uma hora para a outra, teve sua cotação subindo no conceito de seus compatriotas, que o apontavam como o responsável pela má fase da equipe. Com duas substituições fundamentais para a construção do resultado ao colocar em campo Cheryshev, quando Dzagoev precisou sair por conta de lesão - e Dzyuba, que foram responsáveis por três gols dos russos. De quebra também ficou com o galardão de ter aplicado a maior goleada de uma Copa desde que passou a ser disputada com uma só partida inicial.

A Rússia, considerando o placar, não poderia ter começado melhor. Porém, a verdade é que a Arábia Saudita foi, é, um time fraco. Até toca a bola, mas, sem objetividade. No começo do jogo já mostrava sua fragilidade, embora ainda desse sinais de que poderia se constituir em obstáculo. Ilusão que só durou até quando, depois da cobrança de um escanteio, a zaga afastou, e a  bola voltou para a Rússia. Golovin pegou na entrada da área e cruzou para Gazinskiy, que subiu, desviando de testa, no canto para abrir o placar. Foi o primeiro gol da Copa do Mundo de 2018 e o canto de cisne da Arábia que, mesmo com muito maior posse de bola, não avançava em direção ao gol russo. Os russos, quando tomavam a bola, eram muito mais eficazes tanto que não só ameaçaram mais como fizeram o segundo gol numa bela jogada de Cheryshev, após limpar a marcação, aos 42' do 1º tempo. Se já estava confortável com um gol apenas, daí, para a frente o time russo se refestelou. No 2º tempo, com o time saudita sem o mesmo ímpeto inicial, somente controlou o jogo e os outros gols saíram como uma decorrência da fraqueza do adversário. A Rússia aproveitou a oportunidade e começa um mundial com uma chocolotada que fez a alegria de sua torcida. Muitos gols e festa. Um começo melhor seria impossível.

(Original do Blog ‘Um Estranho no Ninho’ - https://spersivo.blogspot.com)


* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Silvio Persivo

Arte para quê?

Arte para quê?

A questão do que é a arte e da beleza da arte tem sido um tema sempre permanente nas discussões intelectuais.

REVEILLON: comemoração será multimusical + Lenha na Fogueria

REVEILLON: comemoração será multimusical + Lenha na Fogueria

Lenha na FogueiraNo apagar das luzes ou como se diz no jargão futebolístico, nos acréscimos, a polêmica entre a Sejucel (leia-se, superintendente Jobs

MAKTUB

MAKTUB

Este time do Flamengo é um grande time?

As mudanças no mundo do trabalho reclamam novas formas de pensar

As mudanças no mundo do trabalho reclamam novas formas de pensar

Leio no jornal português “O Público” que uma pesquisa do Instituto Nacional de Estatística (INE) revela que as empresas portuguesas contatam mais fr