Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Pimenta Murupi

Generalizar é burrice + Combinaram com o povo? + O feitiço contra o feiticeiro + O jogo somente acaba quando o juiz apita


Generalizar é burrice + Combinaram com o povo? + O feitiço contra o feiticeiro + O jogo somente acaba quando o juiz apita - Gente de Opinião

GENERALIZAR É BURRICE

Toda generalização é burra. No entanto, dada a simplicidade de generalizar é muito comum  que conceitos pouco reais sejam utilizados até por interesses politiqueiros. Agora mesmo se alastra a generalização de que todos os políticos são iguais e, por isto, não se deve reeleger ninguém. É um dos conceitos mais prejudiciais ao desenvolvimento de uma sociedade que anda, infelizmente, sendo difundido no país. Basta ver, por exemplo, que há muita diferença entre Ulysses Guimarães e Jáder Barbalho ou Mario Covas e  Paulo Maluf. Também, por exemplo, agora o atual prefeito de Belo Horizonte, e candidato à reeleição, Alexandre Kalil (PSD), aparece com mais de 60% das intenções de votos em todas as pesquisas. Será que não se trata de um bom político? Será que não se trata de um bom administrador? Como se a população, praticamente, já o reelegeu. Este é um exemplo, mas, em todos os estados e municípios há prefeitos e vereadores que fizeram um bom trabalho e devem sim ser reeleitos. Isto não quer dizer que não existam os maus políticos. Existem e são muitos, a maioria mesmo. Mas, é preciso separar o joio do trigo: reconhecer os bons, reelegendo-os e punindo os maus, afastando da vida pública.

 

COMBINARAM COM O POVO?

Parece que os aprendizes de feiticeiro do CPA vão mesmo levar o atual governador a enterrar sua carreira política. Se, depois das eleições, fizerem, como estão ameaçando, um retrocesso nas medidas relativas ao novo coronavírus será improvável que o governador não saía muito chamuscado. O candidato que ele apoia não tem, segundo as pesquisas existentes, condições de ser eleito, logo, aumentar as restrições em Porto Velho depois de uma derrota eleitoral não será muito bem recebido. A realidade é que, desde março confinado, o povo, que dizem que é gado, mas, não é, não suporta mais ficar em casa sem lazer. Até reunião de políticos virou motivo para flanar. Recentemente, uma pessoa foi assistir uma reunião de um vereador e questionaram sua ida: -Fulano vc já tem candidato. Por que ir lá? A resposta foi que, depois de tanto tempo sem sair de casa, até para ouvir besteiras vale a pena sair. A verdade é que o povo perdeu o medo da pandemia (ainda mais que a grande maioria dos novos casos tem baixa periculosidade) e não quer saber de ficar em casa. O grande prejudicado será, como sempre, o comércio, que terá mais restrições e será penalizado no final do ano. No setor de bares e restaurantes a revolta é grande. Estimam, os que sobreviveram, que cerca de 40% das empresas do setor fecharam suas portas. Retroceder agora, depois que abriram a porteira, logo depois das eleições vai dar a ótima impressão de que ou o governador deixou tudo livre por interesse no período eleitoral ou agirá como vingança. Qualquer das hipóteses não é boa para ele. Nem os efeitos na economia, porém, os comissionados não precisam vender nem tem folha de pagamentos, quanto mais pensar em termos econômicos e políticos. Sempre pensam que o governo é eterno. Somente me faz lembrar o que disse uma aeromoça sobre o desembarque por fileiras (demora do cacete): “O que é que adianta fazer isto?  No aeroporto se amontoam!! Cansada desta babaquice!”.  É similar: fecham o comércio, mas, combinaram com o povo para não se amontoar em outros cantos?

 

O FEITIÇO CONTRA O FEITICEIRO

A grande verdade é que pesquisa é pesquisa e eleição é eleição. Só se sabe o que sai das urnas quando se abre. Mas, pelo menos, na atual eleição as principais pesquisas mostram resultados muito parecidos que colocam o atual prefeito bem próximo de ser reeleito. No entanto, há uma parte do eleitorado, que chamamos de uma “parcela silenciosa” que se define somente nas urnas, bem como as dúvidas que pairam sobre o comparecimento- se será menor ou maior. Nas pesquisas de qualidade, porém, se destaca o fato de que “experiência” é um fator de peso na decisão do eleitor e também há o peso do conhecimento: quase todos os candidatos são “desconhecidos” do eleitor e, por incrível que pareça, o que poderia ser o grande opositor do prefeito (por ter experiência) é muito mal avaliado por seu comportamento. Por tudo isto é muito engraçado ver a pregação de alguns pelo “voto útil”. Na atual situação o voto útil pode mesmo é levar a não ter segundo turno.

 

O JOGO SOMENTE ACABA QUANDO O JUIZ APITA

Na última terça-feira (10), a secretária de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, disse que a campanha de Donald Trump tem evidências que provam irregularidades nas eleições de 2020. Sua  aparição no programa de Sean Hannity, na Fox News, ocorreu um dia depois que a emissora cortou McEnany enquanto falava sobre as alegações de fraude dizendo que eram infundadas. Agora McEnany revelou que a campanha possui 11 mil testemunhas e 500 depoimentos juramentados, até o momento, que mostram a fraude eleitoral. A porta-voz tinha consigo as 234 páginas dos depoimentos provenientes do condado de Wayne, no Michigan e os exibiu como prova em várias ocasiões enquanto repreendia a mídia, que ignorou os relatórios. Entre outras coisas, software que roubava os votos de Trump, lotes de votos onde 60% das cédulas tinham as mesmas assinaturas, outros que não tinham registro de eleitores, as mesmas cédulas processadas várias vezes e, pasmem, até votos de mortos.  Na Georgia haverá recontagem manual dos votos, o que foi pedido em outros estados, pois, onde os democratas controlam houve “comparecimento incomum’ de eleitores. A grande mídia que elegeu Binden está calada. Não dá notícia de coisa alguma, mas, não poderá ficar assim por muito tempo. Somente alguns sites, uma outra matéria no Youtube aparece a respeito, mas, a coisa está pegando fogo. No Brasil somente se fala um pouco no Pingo nos Ís. Uma forma de ver é assistir ou ir no site Terça Livre (https://tercalivre.com.br/). A grande imprensa brasileira, como sempre, só noticia o que é de seu interesse. E uma vitória de Trump, decisivamente, não é de seu agrado. 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Pimenta Murupi

Queimadas eleitorais

Queimadas eleitorais

Não são as queimadas e a fumaça que fazem de Rondônia um local polêmico

SALVAI-NOS SENHOR!

SALVAI-NOS SENHOR!

Ah! Facebook terrível! Como deixa os viciados digitais assim desamparados!

Sinjur repudia opinião e restabelece verdade sobre a gestão sindical

Sinjur repudia opinião e restabelece verdade sobre a gestão sindical

A despeito da opinião publicada nesta segunda-feira, 26, por este respeitável jornalístico, o Sindicato dos Servidores no Poder Judiciário de Rondôn

2018 – O Pior Ano da História do Sinjur

2018 – O Pior Ano da História do Sinjur

Uma eleição marcada por polêmicas e vícios de formalidade levaram a atual diretoria ao comando do Sinjur – Sindicato dos Trabalhadores do Poder Judi