Porto Velho (RO) quinta-feira, 20 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Léo Ladeia

Rua da Beira em pé de guerra


Frase do Dia:


Rua da Beira em pé de guerra - Gente de Opinião
 

“Quando candidato, eu disse que meu projeto era, no segundo dia do ano, começar um mutirão de limpeza na capital. Depois, iria para os pontos mais críticos, como a rua da Beira. Daria um jeito. E se o prefeito me pedir para arrumar a rua da Beira, eu faço um movimento e executo a obra rapidinho”. Mário Português gastando luvas de pelica e preparando a botina estradeira para a próxima campanha política,longe do PPS.   de pelica o prefeito Mauro Nazif.

Gente de Opinião Gente de Opinião

I-Rua da Beira em pé de guerra

Dois dos muitos empresários da Rua da Beira bateram ponto no programa Tempo Real (Vídeo AQUI) e não pouparam pesadas críticas ao DNit, Prefeitura, governo do estado e bancada federal. Vivendo há muito uma situação insustentável desde a paralisação das obras dos viadutos, com perda de vendas e afastamento dos clientes, os empresários estão preparando um movimento para levar o protesto às ruas e mídia em geral. E, pelo andar da carruagem a campanha deve ter todo apoio da população vez que a irritação contra a paralisação das obras dos viadutos une os portovelhenses de todas as tribos, correntes e, creio eu, até os peles curtas e cutubas.    

    

II-Nota (i) Legal

Coisas que exasperam: “Pedimos desculpas aos contribuintes, mas já estamos regularizando essa transferência. Ainda em março iremos pagar mais uma remessa e até o final de abril essa pendência será normalizada”, diz a educada nota do não menos educado DECOM sobre a tal Nota Legal, uma boa ideia que arde na fogueira das boas intenções que não vingaram. E como sempre há uma educada explicação para tudo, que não vinga, o governo revela um detalhe sobre seu planejamento: “além da questão orçamentária houve a elevação do valor a ser pago, passando da média mensal de R$ 200 mil para mais de R$ 1 milhão”. Pois é...

III-O sistema

O “sistema” é uma entidade maléfica que escapa do inferno da burocracia para atazanar a vida do contribuinte. Uma hora ele se traveste de fibra ótica rompida, outra é o “pau na HD” ou “excesso de acesso”. Todo “sistema” carece de tempo para reparo e quando “sai do ar” os gestores criam novidades e fazem testes o que acaba por mantê-lo mais tempo inoperante, para desespero de quem precisa dele. O sistema é impessoal e democrático. Ataca em todo lugar e ferra com todo mundo. Por duas semanas o sistema do Detran deixou os vendedores de veículos – principalmente os da Rua da Beira – irados sem poderem faturar. É o sistema!

IV-Ficha (+/-) limpa

Vem aí mais um projeto parlamentar que promete ser campeão de audiência, de coragem e de decência: o projeto édo Congresso Nacional e visa amarelar um pouco da alvura da ficha limpa, resolvendo os problemas de congressistas que estão no bico do corvo. A coisa lembra a Lei Seca que aceitava um limite de álcool e que depois de quase ser esquecida e engolida pela impunidade foi reativada com a tolerância zero, mas só lembra. No caso da ficha limpa, a possibilidade de uma revisão amainando o “radicalismo” é real e, como tudo no Brasil, que tal a bossa mais que nova da ficha meio limpa? Tolerância zero para o caso, nem pensar...  

Rua da Beira em pé de guerra - Gente de Opinião

V-Turbina nº 13

Em outros tempos o dia de hoje seria de festa e bater tambores para comemorar o início da operação comercial da 13ª turbina de Santo Antonio que passa a gerar royalties para encher os cofres do estado e da prefeitura. Mas com a eleição pintando depois da curva, ninguém quer incensar o PT. Registro feito, acendam-se as luzes em lugar das velas para comemorar mais um feito hi-tech da Santo Antonio que avança e faz testes com sua 15ª turbina. E tem gente que ainda pergunta o que é que Santo Antonio faz... Ora, A Santo Antonio gera renda, emprego, royaltie, conhecimento, oportunidade e de lambuja, até energia elétrica. Ora se...


 

Rua da Beira em pé de guerra - Gente de Opinião

VI-Troca–troca

São favas contadas no governo estadual o remanejamento do titular da área de comunicação para a área do turismo. Outra mudança está prevista na Procuradoria Geral, com a saída que é a mais pedida e aguardada por aliados e opositores. Na poderosa Seduc uma luz pode se apagar por motivos semelhantes e é provável que o troca-troca avance na direção de fusões entre diversas secretarias. Há algum tempo o governador disse que iria avaliar secretários a partir de metas que eles mesmos traçaram. O contratado não é caro e como diz Zé de Nana, “Acunha que o negócio é sério. Se pique pois casa de patrão não é morada de empregado”.

VII-Na mesma toada

Se no governo a coisa já assou, na prefeitura a batata está assando. Tem secretário que se esconde atrás do adjunto deixando o cristão pela broxa, tem adjunto que achou um fio de cabelo na mesa, pegou nojo pelo trabalho e sumiu, tem secretário que malha o chefe, e tem o prefeito que de bobo não tem nada, com a lupa na mão olhando cada um de seus malinos. Já se vão seis meses de nova gestão e até agora nenhuma obra ou atividade de impacto foi mostrada. A equipe canta de galo, amassa barro e o prefeito paga o pato. Sei não... Sei não!

VIII-Funai, a que não vem ao caso

Caiu a presidente da Funai cujo nome é Marta Maria, mas que não vem ao caso, em razão da morte de um índio cujo nome não vem ao caso, num conflito que envolveu a reintegração de posse, que também não vem ao caso, visto que área é reconhecida como terra indígena, mas sem demarcação o que levou a disputa à Justiça. No lugar da Marta Maria entra a Maria Augusta, cujo nome também não vem ao caso. 500 anos depois do país descoberto, manter gente que nunca pisou numa oca pendurada num cabide de emprego é perda de tempo e dinheiro. Acabar com a Funai não vem ao caso. Sua inutilidade já a extinguiu de há muito...  

IX-A mágica do ônibus em Manaus

O prefeito Artur Virgílio de Manaus é o novo queridinho da capital do Amazonas, ao anunciar a redução da tarifa de ônibus dos atuais R$ 3,00 para R$ 2,90. A redução ocorreu após a revisão da planilha de despesas do sistema de transporte coletivo por conta da MP 617, de 31 de maio de 2013 e publicada no Diário Oficial da União em 1º de junho, assinada pela presidente Dilma Rousseff. A mágica na verdade não foi do prefeito e sim da tal desoneração que reduziu a zero as alíquotas para o PIS/PASEP e COFINS - incidentes sobre a receita da prestação de serviços regulares de transporte coletivo municipal rodoviário, metroviário e ferroviário de passageiros. Se não foi mágico, foi corajoso. Artur Virgílio, herói manauara.

X-Papo com Zé de Nana

X1-A Rua da Beira morreu de causa desconhecida: natimorta, velhice ou morte matada.

X2-Os viadutos poderiam também morrer ou desaparecer. Por encanto ou decurso de prazo. 

X2-Há quem diga que as greves são isonômicas. Governo e prefeitura teriam parado antes.  

[email protected]

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Léo Ladeia

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Recomendo vigorosamente àqueles que gostam das entranhas da vida partidária a leitura do livro “COMO MORREM AS DEMOCRACIAS”, um mergulho profundo no

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

As reportagens sobre pessoas em busca de restos de comida no lixo ou comprando ossos estão proliferando pelas TVS e redes de internet como algo novo

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Começo com a frase muito difundida no mundo cibernético: se você acha que é um cliente que recebe um produto de graça via internet, acredite: você é

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Disse o presidente da poderosa CBIC-Câmara Brasileira da Construção Civil que o setor está operando “como se fosse uma Ferrari andando com o freio d