Porto Velho (RO) sábado, 21 de maio de 2022
×
Gente de Opinião

Léo Ladeia

Política & Murupi - Uma mentira contada mil vezes acabaria em tese por se transformar em verdade?


Política & Murupi - Uma mentira contada mil vezes acabaria em tese por se transformar em verdade?  - Gente de Opinião

Uma mentira contada mil vezes acabaria em tese por se transformar em verdade? Não. Não é bem assim. As Forças Armadas têm um calendário planejado de ações que inclui manobras   militares, treinamento na selva, patrulhamento nas fronteiras, na Amazônia, nos rios, bacias, vacinações, ou seja, a cada período predeterminado - militar tem essa prática muito salutar de planejar o que fará - executam aquilo que foi desenhado no papel. Em Formosa, região ao norte de Brasília há um campo de treinamento que é utilizado pelas Forças Armadas desde 1988 e apenas para reforçar, usado a partir do planejamento militar feito com antecedência.  A Marinha no seu jargão, “levantou ferros” saindo da água para o treinar seus Fuzileiros Navais em terra, no local indicado e preparado para tal fim, lá em Formosa. Brasília está no caminho de Formosa. É importante que se diga que para ir a Formosa não é preciso passar na frente do Palácio do Planalto que fica de frente para o prédio do STF e próximo ao prédio do Congresso Nacional. Nunca, desde 1988 um comboio militar dirigindo-se a Formosa fez tal trajeto. Mas, desta feita fez e mais, o comandante da força que se deslocava fez algo inédito: subiu a rampa e entregou um convite ao presidente Bolsonaro para assistir as manobras militares.

Fosse o presidente um civil, sem qualquer formação militar, mesmo sendo o chefe supremo das Forças Armadas e o fato não teria acontecido, mas Bolsonaro é umbilicalmente ligado aos militares e, além de gostar, incentiva o estilo “militares no governo”. Em tempos de paz seria esta a explicação e nenhuma mentira, fake news, boataria ou qualquer outro nome que se queira dar, seria agregada ao fato e a carroça continuaria seguindo e ajeitando as abóboras, mas aí surgiu a história de que a Marinha havia desfeiteado os poderes constituídos.

Ocorre que há uma guerra de poder entre os Três Poderes, mas em especial entre o STF, o TSE e Executivo encarnada nas figuras do Presidente Bolsonaro e do Presidente do TSE, Ministro Barroso e, convenhamos que quem foi à rinha quer ver um galo trucidando o outro com pé d’orêia, cangapé e rabo de arraia e se não tem nada disso, é hora de “tacá fogo na zona” e foi o que aconteceu. A tchurma que apaga fogo com gasolina adicionou à mentira da desfeita da marinha ao TSE outra inverdade que seria a mentira de que a passagem do comboio militar -e de novo repito - desnecessário, havia sido programado para ocorrer justamente no dia em que a Câmara dos Deputados deve votar a pouco provável instituição do voto impresso, que o TSE e em especial o Ministro Barroso que preside a casa, não concorda.

Ora, a questão do voto impresso já foi julgada antes pelo STF, é matéria pacificada e só está na pauta por conta do voluntarismo do Presidente Bolsonaro que aliás foi eleito nove vezes pelo sistema de urna eletrônica. Dizer que há fraude eleitoral porque não há voto impresso é uma balela, mentira, fake news, boataria e ainda que dita mil vezes não irá se transformar    em verdade. De igual forma dizer que a passagem do comboio militar da Marinha pela frente do Palácio do Planalto é atentar contra a democracia, é também uma balela, mentira, fake news, boataria e ainda que dita mil vezes também não se transformaria em verdade.

Há ainda no Brasil o trauma por conta da divisão ocorrida em 1964 e que continua incendiando alguns corações e mentes que torcem pelo quanto pior melhor e que acreditam que existe uma luta sem tréguas do bem contra o mal, entre o comunismo – hoje seria a ala de políticos ditos progressistas – e o capitalismo a ala de políticos voltados ao agronegócio e ao mercado. Alijado desta guerra, mas sofrendo as dores o povo paga caro por sua manutenção.

Vale lembrar que os pobres de Brasília vivem como pobres que são nas cidades satélites e que não existem Chefe de Poder, Senador, Deputado Federal, Presidente, vice e/ou autoridades ministeriais pobres, independentes de terem ou não partido, ou de serem direita ou esquerda.   No fundo, todos são iguais. Ou como diz o povo, é “tudo farinha do mesmo saco” e só querem o voto para se perpetuarem como seus representantes. E você se sente representado por eles?     

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Léo Ladeia

POLÍTICA & MURUPI - Rondônia sob o domínio das facções criminosas.

POLÍTICA & MURUPI - Rondônia sob o domínio das facções criminosas.

1-O ovo da serpente      Foram dois anos entre projeto e conclusão ao custo de 25 milhões. Nos padrões brasileiros uma obra rápida e cara, mais a

POLÍTICA & MURUPI - O sanatório geral saiu na Avenida Brasil

POLÍTICA & MURUPI - O sanatório geral saiu na Avenida Brasil

O Brasil só começa a funcionar após o carnaval e num ano pós-pandêmico o carnaval enlouqueceu a política. Sem carnaval de verdade, a política abriu

Política & Murupi -  Poderes independentes e harmonicamente dissociados

Política & Murupi - Poderes independentes e harmonicamente dissociados

Abstendo-me de comentar sobre as causas que levam a um possível vício de origem, o caso Daniel Silveira deveria ser um daqueles casos comuns a algué

Política & Murupi - Heróis da Pátria

Política & Murupi - Heróis da Pátria

Que qualidades, feitos, lutas, obras, exemplos, sacrifícios, entregas, estilos crenças podem transformar um homem comum num herói? Seria tal ou tais