Porto Velho (RO) sexta-feira, 1 de julho de 2022
×
Gente de Opinião

Léo Ladeia

POLÍTICA & MURUPI 21/10/10


Frase do dia
 

"Eu nunca tive coragem de dizer contra os meus adversários 10% do que a hipocrisia que uma parte dos tucanos está dizendo da Dilma". – Lula, o santo, que chamava Sarney de ladrão e dizia que no Congresso havia 300 picaretas.

01-Caveira de burro

A justiça mandou parar o novo pregão para a compra de material hospitalar para o Hospital de Cacoal. A medida atende a empresa que ganhou a licitação, que se queixa de que a Sesau que não teria informado as medidas exatas para a fabricação dos equipamentos. É macumba gente. Deve ter alguma caveira de burro enterrada ali, além da dinheirama que já desceu pelo ralo. Tem que fazer um milagre urgente . Não quero por minhoca na cabeça de ninguém, mas já passou da hora de chamar Raimundinho de Oxóssi pra abrir os caminhos, “mizifi”. E é muita coisa. Fidoca, Teatro, Hospital de Cacoal, CPA, IML, serviço de esgoto e água... Chama o pai Raimundinho gente! E acunha antes que TCU, TCE, MP, etc. entrem pra azedar o jogo. Rê rê mizifi...Hummm!

02-Mais caveira de burro

Olha aí a oportunidade. Se o Governo do Estado e as Prefeituras de Pimenta Bueno e Porto Velho se juntarem dá para fazer uma baita duma economia. De uma só tacada Raimundinho de Oxóssi resolve o nó do viaduto de Pimenta, a ligação da Farquar com o Nacional, a Vieira Cahula, os viadutos da BR 364 e de lambuja, afasta o encosto das campanhas eleitorais. Olha o caso da duplicação da ponte em Jiparaná. Foi promoção do pitaco eleitoral: um charrão, um marafu e a ponte saiu de lambuja. Mais urgente que milagre do apóstolo chapeludo. “Oi aí mizifi. Num caçoa di nêgo véio. Rê, rê. Hummm!      

03-Glossário do Leo

Com tanta coisa versando sobre eleições, eis aqui o que você precisa saber para ficar por dentro. Macumba: feitiço; pesquisa eleitoral alternativa; mesmo que adivinhação. Codó: cidade do Maranhão; ninho de macumba. Apócrifo: suspeito, texto não autêntico; o mesmo que missa encomendada. Eleição: escolha pelo voto; em inglês, street fight; em carioquês, briga de rua; em baianês, porrada. Reta final: fim da jornada; hora da onça beber água. Desespero: desesperança com irritação; para macumbeiros, “coisa feita”; para cristãos, o inferno (Lucas 13, 28). Léo: semeador de cultura inútil e religião.

04-Um novo partido?

"Em respeito à nossa Militância e aos muitos Dirigentes que tanto admiro e por total falta de identidade com as posições assumidas nos últimos meses pela maioria das Instâncias Nacionais (culminando com o apoio a Candidatura de Dilma!) tenho clareza que melhor será para a organização e estruturação do Partido o meu afastamento", é o que diz um trecho da nota da ex-senadora Heloísa Helena, líder, fundadora e estrela maior do PSol. Heloísa está cuspindo marimbondos. Depois da sua voluntária e pública sangria, o PT travou na goela. Está pintando o P2H: Partido da Heloisa Helena. Eita...

05-Lá e cá, “tudo iguá”...

Independente de quem venha ganhar as eleições presidenciais, o povo já é vitorioso. A idéia de matar a eleição no primeiro turno foi pras cucuias e Lula colhe uma lição para o resto da vida. Ponto para a nossa fragilíssima democracia que rejeitou o caudilhismo. A outra lição foi passada aos poderosos e infalíveis institutos de pesquisas que devem ter aprendido que a verdadeira pesquisa mesmo é a urna. O pau que dá em Chico é o mesmo que dá em Francisco e o que vale para Dilma e Lula também vale para Cassol e Cahula. Pena que as lições não sejam vistas pela ceguinha que continua no breu.

06-E a luta continua...

“Não existe solução mágica”, diz o economista Delfim Neto para conter a especulação financeira ou a “guerra cambial”. Com juros estratoféricos e sem espaço para baixas substanciais, o Brasil é o paraíso para especuladores. Para Delfim, medidas adotadas pelo governo federal para tentar frear a valorização do real frente ao dólar só devem ter eficácia no curto prazo. Dentre elas, a elevação da alíquota do IOF de investimentos estrangeiros nas aplicações de renda fixa de 4% para 6%, duas semanas após elevar a alíquota de 2% para 4%. A luta continua e nessa hora ainda há o fator eleitoral. Cruel   

07-Enquanto isso...

A indústria nacional sangra. Com o dólar baixo ficou barato viajar e comprar importados e aí a indústria nacional tem que reduzir custos para continuar sobrevivendo. O Brasil das commodities porém, vai muito bem graças ao monumental consumo chinês. Um nó na cabeça de quem se interessa por economia. Ironia: vendemos muito ferro ao mundo e recebemos as máquinas prontas. E quem compra as nossas commodities, manda o seu rico dinheirinho dar uma passeada por aqui para ganhar os altos juros que o Brasil paga. Ou seja, no mundo globalizado continuamos a enriquecer quem tem grana, como no tempo em que éramos colônia. Mas – que grande vantagem – não devemos ao FMI.       

08-Val Ferreira e a justiça atrasada.

A justiça tarda mas não falha. Mas se tarda é falha. Val Ferreira, esposa de Expedito Jr disputou a eleição pendurada, por falta de decisão judicial, como ficha suja. O processo é o mesmo em que Cassol foi absolvido. 18 dias depois da eleição a nomenklatura do TSE descobriu que Val Ferreira sempre esteve em dia com a justiça e portanto, não deveria estar entre os impugnados com base na Lei Ficha Limpa. Isso me lembra uma velha piada de um chefe de polícia do interior que depois de ter dado voz de prisão a coitado, não quis voltar atrás e decretou: “Tá com razão mas vai preso assim mesmo”.       

09-Para quem gosta de pesquisa

Até o dia das eleições teremos três tipos de pesquisa eleitoral. Uma dará a vitória para Cahulla, outra a Confúcio Moura e outra se aproxima do resultado das urnas. Não olho e não acredito em nenhuma. Tenho minha própria avaliação baseada no feeling e que confronto com medições da Seção Norte Pesquisa. Detalhe: Francisco Matias, um dos fundadores do Gente de Opinião não publica sua pesquisa. As medições de tendências obedecem a critérios iguais aos dos grandes institutos de pesquisas mas a divisão do trabalho de campo é totalmente caripuna. “É ferramenta para avaliação. O resultado é nu e cru, sem retoques. A eleição está definida”, me diz Matias pelo telefone 84013631. 

10-Serra, na cabeça

Acho que algum petista resolveu testar o bordão do Serra, “cabeça boa e coração livre” e tascou-lhe uma bordoada bem no alto do cocuruto. O susto foi grande mas o coração agüentou Já a cabeça, se é boa ou não se sabe mas, o alvo é perfeito, visível. De perto não dá para errar pois além de grande é lustrosa. Não diria brilhante, tendo em vista a sucessão de erros que imprimiu na sua campanha. Serra tenta sua última cartada na política, levado por Marina Silva. Daí em diante fica difícil. A idade conspira contra ele e favorece a Aécio. Por falar nisso, onde está a juventude para oxigenar a política?   

 

Siga o Gentedeopinião no Gente de Opinião



Fonte: Léo Ladeia - [email protected] 
 Gentedeopinião   /  AMAZÔNIAS   /  RondôniaINCA   /   OpiniaoTV
 Energia & Meio Ambiente   /  YouTube  /  Turismo   /  Imagens da História 
 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Léo Ladeia

POLÍTICA & MURUPI - Brasil pulando a fogueira e soltando rojão

POLÍTICA & MURUPI - Brasil pulando a fogueira e soltando rojão

1-Vida de gado e o cipoal tributárioÉ básico em economia que os preços de produtos e serviços sofrem a influência da lei de oferta e procura. É básic

POLÍTICA & MURUPI - Injustiça com a saúde do povo

POLÍTICA & MURUPI - Injustiça com a saúde do povo

1-ANS – Uma loteria desenhada para o plano de saúdeCaro leitor, pela relevância, conveniência e profundidade com que o tema foi tratado pelo advogad

POLÍTICA & MURUPI - Segurança pública o nó do Brasil

POLÍTICA & MURUPI - Segurança pública o nó do Brasil

1-A canetada na PRF Por conta de um evento reprovável e abusivo de agentes da Polícia Rodoviária Federal em Sergipe, e de uma operação trágica com

POLÍTICA & MURUPI - A autodeterminação do povo é um fenômeno natural.

POLÍTICA & MURUPI - A autodeterminação do povo é um fenômeno natural.

1-O governo ajuda e muito quando não atrapalha A 9ª Rondonia Rural Show Internacional organizada pelo governo do estado de Rondônia festeja o re