Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de outubro de 2021
×
Gente de Opinião

Léo Ladeia

Murupi da Páscoa 06/04/15



Um dia, ali pela páscoa, um coelhinho solitário entrou num galinheiro fugindo do frio pascoal - acho que em algum lugar durante a páscoa faz frio e foi justo nesse lugar que o fato ocorreu - e se acomodou debaixo de uma galinha quentinha. Assustada mas solidária - afinal era a páscoa - a galinácea aceitou o intruso e passou a transferir calor ao engelhado coelhinho.

Mal sabia aquele jovem macho da família dos leporídeos que o sisudo e mau humorado velho galo, que a ninguém perdoa, a tudo observava e principalmente à patuscada armada pelo coelho no seu harém até por conta de um detalhe conhecido no reino animal. É que o coelho é tido e havido como um emérito atleta sexual e o galo sentiu que seu império poderia sofrer um baque. Espora vá lá mas chifre nem pensar.
Com um olho na galinha e outro no coelho e com aquele jeito cafajeste que todo "galo véio" tem, preparou o ataque. Foi-se aproximando pé ante e pé e antes que o coelho se desse conta do que acontecia, acertou violenta bicada na cabeça da galinha que no reflexo e sem nada entender, só faltou enterrar o bico no chão, fechando a única possibilidade de saída do coelho intruso.

A partir desse ponto deixo de contar a história em razão dos detalhes sórdidos que fariam corar a estátua de bronze de algum santo e segue sem mais delongas para a parte final, poupando crianças,  senhoras pudicas e os idosos para não a avivar a memória, se me fiz entender. 

Não vou me perder em minudências agro-silvo-pastoris ou biológicas, mas o certo é que o coelho pôs um baita ovo - não sem muito sofrimento, é preciso que se diga - e que os galináceos já não formam nas mesas cristãs na páscoa a mais concorrida opção de almoço.

Outra e definitiva observação: a  partir desse evento os leporídeos - lebres e coelhos de todos os tipos e cores - passaram a agir de forma estranha: vivem em tocas, se assustam facilmente e disparam a correr como loucos por qualquer motivo, mesmo nas situações em que tecnicamente teriam enormes vantagens sobre eventuais adversários (vide "O Coelho e a Tartaruga" de Esopo).

Feliz Páscoa
Leo

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Léo Ladeia

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Recomendo vigorosamente àqueles que gostam das entranhas da vida partidária a leitura do livro “COMO MORREM AS DEMOCRACIAS”, um mergulho profundo no

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

As reportagens sobre pessoas em busca de restos de comida no lixo ou comprando ossos estão proliferando pelas TVS e redes de internet como algo novo

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Começo com a frase muito difundida no mundo cibernético: se você acha que é um cliente que recebe um produto de graça via internet, acredite: você é

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Disse o presidente da poderosa CBIC-Câmara Brasileira da Construção Civil que o setor está operando “como se fosse uma Ferrari andando com o freio d