Porto Velho (RO) sábado, 22 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Léo Ladeia

Livres, leves e soltos, os vereadores ainda têm contas a ajustar com a justiça


Frase do dia:

“Se começássemos a dizer claramente que a democracia é uma piada, um engano, uma fachada, uma falácia e uma mentira, talvez pudéssemos nos entender melhor.” – José Saramago.

Livres, leves e soltos, os vereadores ainda têm contas a ajustar com a justiça - Gente de Opinião1-Hoje por mim, amanhã por ti I

O advogado do vereador Delso Moreira resumiu numa frase o sentimento que pairava na Câmara de Vereadores. "tem um vereador do Rondônia de coração que votou a favor do relatório que ele pense melhor, pois amanhã ele pode estar no lugar deles" O destino era o vereador Aélcio da TV, que apresenta o programa “Rondônia de Coração”, mas poderia ser qualquer outro. A sessão tinha tudo pra ser como foi e foi. Não há por que sentirmos vergonha. Salvo do voto que demos lá atrás.

Livres, leves e soltos, os vereadores ainda têm contas a ajustar com a justiça - Gente de Opinião

Gente de Opinião2-Hoje por mim, amanhã por ti II

Depois do resultado da Câmara de Vereadores vem aí o julgamento da Assembleia Legislativa e para que ninguém seja pego de surpresa, a possibilidade de repetição do fato é grande. E se quiserem uma frase para justificar o que digo é só adaptar a mesma frase do advogado do Pastor Delso para aquela casa. A Assembleia não estará inovando ou mesmo copiando. Apenas seguindo o velho rito.

Gente de Opinião3-Cassados e caçadores I

Livres, leves e soltos, os vereadores ainda têm contas a ajustar com a justiça, visto que o julgamento que ocorreu ontem foi sobre a quebra de decoro parlamentar. O único que até agora está quites com os “capa-pretas” por não ter sido indiciado apesar de ter passado uma temporada estudando a quadratura solar a partir das grades é o vereador Eduardo Rodrigues. Mesmo assim é bom lembrar que ninguém é investigado por demonstrar bom comportamento e nem preso por nada ter feito.  

Gente de Opinião4-O futuro da Apocalipse

 Antes do julgamento alguns vereadores já estavam de asas crescidas imaginem agora com a carta de alforria nas mãos. Conversando na Câmara com alguns dos advogados encarregados da defesa dos nobres edis, me inteirei do estágio em que se acha o processo da Apocalipse. Direto ao ponto: a possibilidade de ocorrerem prisões e a devolução de dinheiro é pequena, salvo se outras instâncias entrarem na parada. É que há um nó: o processo em inteiro teor está na PF. Aí o rabo torce a porca!  

Gente de Opinião5-As cartas não mentem jamais

O futuro da Operação Apocalipse está na parte final do inquérito enviado à justiça e Polícia Federal. A partir daquele ponto é de se imaginar que deverão surgir desdobramentos e novas investigações com possíveis operações complementares e mesmo prisões, de quem nunca sequer “tocou piano” numa delegacia ou teve o nome envolvido num BO. Como as cartas não mentem jamais estou firme no meu posto de observação, de butuca nos aviões que antecedem as tragédias políticas. É esperar. 

6-O PT e o movimento pendular

O “poeta concreto” Davi Nogueira num momento de desventura premonitória indagou ao final de recados dirigidos: “Onde fica a sua Pasárgada?” No crepúsculo a utopia nos abandona, mas devoto de São Manoel Bandeira e em tempo de andorinha arrisco: “Passei a vida à toa, à toa…” Temo que a Pasárgada do PT tenha-se mudado para o interior de Rondônia e volto a Bandeira sonhando com o pneumotórax: “A única coisa a fazer é tocar um tango argentino”.  Bandeira é essencial à alma.

7-Câmaras na escola: um tiro no pé I

A escola Capitão Cláudio tem novos alunos. É a “tchurma do É Já”. Sem vigilantes os alunos de furtologia surrupiaram data-show, computador, televisão e como já era de se esperar a câmara de vigilância instalada no lugar do vigilante, que foi rendida, amordaçada e levada talvez como refém. Como não há vigilância, não haverá ressarcimento do roubo. Arcaremos com o prejuízo e com os custos da investigação policial que deverá ser feita pela polícia, aliás, bastante sobrecarregada com a onda de furtos e roubos na cidade. Retirar os vigilantes da escola foi um tiro no pé. Ou mais!

8-Câmaras na escola: um tiro no pé II

Ontem o dono de um supermercado de bairro ficou intrigado com a concentração de estudantes na porta do comércio. O motivo, soube ele depois, é que alunas do Colégio Major Guapindaia, que fica próximo, estavam esperando a abertura do portão e se aglomeravam ali para evitar os assaltos que começaram a ocorrer na porta da escola depois que acabaram a vigilância. Uma das alunas disse que além do serviço de guarda patrimonial, o vigilante funcionava inibindo a presença de marginais.


 

Gente de Opinião9-Driblando

Os mensaleiros apoiados pela ala governista comandada por Zé&Cia, estavam com o malabarismo magico-jurídico dos seus advogados driblando o dia fatídico de atravessar os umbrais das celas das  penitenciárias. Nem mesmo do ministro Joaquinzão se falava mais. Foi aí que entrou em cena outro “capa preta” bom de briga. Dr Rodrigo Janot novo Procurador da República voltou a pedir que o STF mande executar as penas de 23 dos 25 mensaleiros, socando-os atrás das grades. E agora seo Zé?

10-Pois é...

Como num passe de mágica cinco vereadores ficaram mais limpos que “minino cagado”.

[email protected]

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Léo Ladeia

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Recomendo vigorosamente àqueles que gostam das entranhas da vida partidária a leitura do livro “COMO MORREM AS DEMOCRACIAS”, um mergulho profundo no

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

As reportagens sobre pessoas em busca de restos de comida no lixo ou comprando ossos estão proliferando pelas TVS e redes de internet como algo novo

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Começo com a frase muito difundida no mundo cibernético: se você acha que é um cliente que recebe um produto de graça via internet, acredite: você é

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Disse o presidente da poderosa CBIC-Câmara Brasileira da Construção Civil que o setor está operando “como se fosse uma Ferrari andando com o freio d