Porto Velho (RO) sábado, 22 de janeiro de 2022
×
Gente de Opinião

Léo Ladeia

Hermínio que estava nas cordas e foi salvo pelo MP volta ao centro do ringue e vai para o ataque


Frase do dia:

“Daqui a pouco nós ...conspurcamos o tribunal, nós corrompemos o tribunal, nós transformamos isto aqui, essa casa que tem grande respeito, num tribunal similar ao de La Paz, de Caracas num tribunal bolivariano. Então nós precisamos encarar isto com muita responsabilidade".  – Ministro Gilmar Mendes do STF criticando a aceitação dos embargos infringentes.

Hermínio que estava nas cordas e foi salvo pelo MP volta ao centro do ringue e vai para o ataque - Gente de Opinião

1-Batendo o bumbo

O deputado Hermínio que estava nas cordas e foi salvo pelo MP volta ao centro do ringue e vai para o ataque, ainda que meio atordoado. O discurso carece de calibragem, mas os alvos estão definidos: o secretário, Marcelo Bessa e o governador Confúcio Moura. Após um knock-down, perdendo por pontos e precisando virar o jogo para se cacifar no partido pela indicação do seu nome para encarar Confúcio, Hermínio vai precisar mais que bater o bumbo. Só o nocaute lhe abre as portas. Clique AQUI e assista entrevista do presidente da ALE-RO no programa Tempo Real da TV Candelária, canal 11.

2-Repicando o tamborim

No box “quem bate não está apanhando”. Com a tribuna da ALE disponível, Hermínio já no início do mandato vergastou o governador e se dedicou ainda mais quando não precisou mais usar o chicote contra Roberto Sobrinho. Ocorre que apesar da intensidade e velocidade lhe falta a contundência. Seus golpes não fizeram o estrago desejado e Confúcio continua de pé enquanto Hermínio parece ter arrefecido. No desfile, tocar o tamborim ou ganzá cansa tanto ou até mais que socar no surdo.

Hermínio que estava nas cordas e foi salvo pelo MP volta ao centro do ringue e vai para o ataque - Gente de Opinião

3-À flor da pele

Como o discurso recheado de um palavreado bem popularesco, para dizer no mínimo – um assessor o teria aconselhado a usar o termo mequetrefe no lugar de bandido – o presidente Hermínio faz a festa da “tchurma do feice”. Engana-se, porém quem acredita que ele vive com berrando e com os nervos à flor da pele. Forjado na luta sindical, Hermínio sabe usar as palavras como arma de ataque, como se fora um bando de cabas picando ao mesmo tempo e em vários pontos. É para atordoar.

Hermínio que estava nas cordas e foi salvo pelo MP volta ao centro do ringue e vai para o ataque - Gente de Opinião4- “Assustadora situação”

Com a sutileza própria dos observadores da alma humana conseguem ter, o psicólogo Aluízio Vidal faz um convite para filiação ao seu PSol e de lambuja nos relembra o momento conturbado por qual passa a classe política e em especial do nosso estado. Um problema em cada canto lembra Aluízio e apenas em Rondônia. Ontem à noite, no Tempo Real, o deputado Hermínio ao falar de outro tema, chegou quase que à mesma conclusão. A situação está mesmo de assustar. A coisa está complicada.     

5- Desgaste dispensável

Apósum “voto bastante alentado” que durou exatos 125 minutos, o ministro Celso Mello encerrou o blá-blá-blá dizendo que os embargos infringentes valem, que a justiça não deve se preocupar com a voz da plebe rude e que os mensaleiros têm direito de pugnar pela redução de suas penas. O que vai acontecer a partir daí é mistério. Ficou o cheiro de pizza azeda para quem tem fome de justiça e a notícia de que o ministro Fux, alinhado com o Barbosão, será o relator da bagaça e sem revisor.. Quem sabe mais à frente um copo d’água.

6-Superbond no poleiro

Convenhamos que os problemas que vemos são grandes, mas a crise que se apregoa é bem menor. O ano foi e está sendo terrível, mas ainda estamos aqui e buscando soluções. Na economia a brutal queda de repasses obrigou o estado a reinventar-se. Empréstimos para investir, reengenharia para adequar contas e o desgaste previsto desde o início do ano – a articulação política continua sendo o ponto fraco – com outros poderes. Se Confúcio projetava fechar 2013 com o projeto da reeleição na mão, viu que terá remar bastante e quem esperava derrubá-lo, viu que ele grudou no poleiro.  

7-A realidade bate à porta

Independente dos resultados, os políticos envolvidos nas últimas operações policiais ou enrolados na justiça estão sentindo a rejeição junto ao povo. Descrentes da justiça e isso tem muito a ver com o julgamento do mensalão, o populacho dispara: “é farinha do mesmo saco”. Com pelo menos um caso de rolos desde o Senado até os Municípios, o caminho ficou difícil para quem tem ou quer o poder. O peso do desgaste político é grande, a ladeira é íngreme e o jerico tá sem freio. Tá brabo... 

Hermínio que estava nas cordas e foi salvo pelo MP volta ao centro do ringue e vai para o ataque - Gente de Opinião8-Cotidiano macabro

Só para variar o jatinho passou sobre minha casa ontem e Zé de Nana que tomava um rabo-de-galo despachou: “outra operação da PF”. Nem me dei ao trabalho de responder. Hoje pela manhã porém – só pode ser coincidência – a notícia estampada nacionalmente: Operação da PF cumpre mais de cem mandados em nove estados Rondônia na parada. Quadrilhas de lavagem de dinheiro e desvio de recursos são os alvos da Operação Miquéias. Isso virou rotina e a “tchurma do mal” não aprende.

9-O Brasil em família

Sem notícias do Sarney? Lá vai: “Recém-saído de hospital e com saúde fragilizada, o senador Sarney iniciou operação para sua sucessão no Senado. Em almoço na casa da governadora do Maranhão, Roseana Sarney, em Brasília, um pré-acordo: o grupo político da família apoia Renan para o governo de Alagoas, e o grupo de senadores que sustenta Renan apoia Roseana para presidir o Senado em 2015 se for eleita senadora”. O jornalista Leandro Mazzini trata o tema como sucessão hereditária.

10-Pois é...

Ado, ado, ado. A plebe rude sonha com o 13º e os mensaleiros com o réveillon dos infringentes.  

[email protected]

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Léo Ladeia

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Política & Murupi - Quando o patrão manda abrir a porteira é porque a boiada foi vendida e o dono já é outro

Recomendo vigorosamente àqueles que gostam das entranhas da vida partidária a leitura do livro “COMO MORREM AS DEMOCRACIAS”, um mergulho profundo no

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

Política & Murupi - Não, o Brasil do pobre faminto não é uma invenção da pandemia e não nasceu hoje

As reportagens sobre pessoas em busca de restos de comida no lixo ou comprando ossos estão proliferando pelas TVS e redes de internet como algo novo

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Política & Murupi - Quando tentei entender como funciona o “face”

Começo com a frase muito difundida no mundo cibernético: se você acha que é um cliente que recebe um produto de graça via internet, acredite: você é

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Política & Murupi - O setor da construção civil fechou maio com 2,43 milhões de trabalhadores com carteira assinada

Disse o presidente da poderosa CBIC-Câmara Brasileira da Construção Civil que o setor está operando “como se fosse uma Ferrari andando com o freio d