Porto Velho (RO) sexta-feira, 18 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Carlos Sperança

Fonte para a juventude - A superstição de Hildon Chaves - A facilidade para adquiri armas - A vigilância


Fonte para a juventude  - A superstição de Hildon Chaves - A facilidade para adquiri armas - A vigilância - Gente de Opinião

Fonte para a juventude

A fonte da juventude, procurada entre Cuba e a Flórida, estaria na Amazônia, concentrada em plantas da região tidas por milagrosas. É o caso do mulateiro, cuja casca é louvada pela cantora paraense Joelma. Outros juram que o milagre é proporcionado pelo guaraná.

O Brasil, infelizmente, deixou de ser uma fonte da juventude. O bônus demográfico que acaba de se esgotar, segundo avaliações de importantes economistas, pode ser resumido na expressão “ficar rico antes de envelhecer”. É o aproveitamento que um país faz da sua força juvenil para enriquecer e se sustentar antes que envelheça e a oportunidade se perca.

O desprezo com o financiamento das pesquisas é uma fonte da juventude ao contrário. Repleto de riquezas potenciais, o país sofre com a expulsão de jovens que tentam a sorte no hemisfério Norte em busca de oportunidades para fazer a vida com seus talentos.

A única forma de enfrentar a fuga dos jovens talentos é empregá-los bem por aqui, com a vantagem de estar lado de familiares, amigos e compatriotas. É digno de nota, nesse caso, que Rondônia tenha sido o primeiro Estado a assinar protocolo de intenções com o Ministério do Trabalho para viabilizar cursos à Distância pela Escola do Trabalhador. Pode ser ainda uma gota, mas toda fonte começa com um filete de água.

............................................

A superstição

Dizem que foi por superstição que o prefeito Hildon Chaves (PSDB) trocou a sede do Palácio Tancredo Neves para o prédio do relógio. Será? Ocorre que seus antecessores se deram mal. Além disto, aquele prédio do poder executivo municipal tem fama de cemitério de prefeitos. Chaves já respira aliviado com os novos ares vindo do Rio Madeira.

A vigilância

No momento em que a Assembléia Legislativa discute em audiências publicas a volta da vigilância armada nas escolas, políticos de vários credos se oferecem para estes préstimos perante o Centro Político Administrativo e a prefeitura de Porto Velho. Num viés, os estabelecimentos de ensino estão sendo roubados aos montes, de outro lado os políticos gulosos para acordos vantajosos.

Falta apoio

Mesmo sem força para barrar os elevados preços das passagens aereas na região Norte, as bancadas federais do Acre, Amazonas, Rondônia, Amapá e Roraima querem se unir para mudar esta situação. Sucessivos minsitros nas gestões Lula, Dilma e Temer assmiram compromissos de melhorar as coisas, mas até agora necas e pouco se acredita em mudanças.

A facilidade

Em Porto Velho os criminosos – e mais recentemente até estudantes de segundo grau – tem facilidades para adquirir armas traficadas pela fronteira com a Bolivia. Existe até uma associação criminosa que aluga e vende armas para assaltos na capital. Já se pode imaginar a facilidade para se obter armas para a bandidagem com o recente decreto do presidente Bolsonaro.

Modus operandi

Segue o modus operandi de vereadores Brasil afora para chantagear prefeitos (alguns com culpa em cartório, outros não) visando negócios como superfaturamento de pão a estradas, de remédios a pontes. Até o alcaide carioca, bispo Crivela padece com a onda de impeachments.  Agora é a vez de Rolim de Moura, onde os edis apresentaram pedido de afastamento do prefeito Luis Ademir Schok (PSDB).

Via Direta

*** O PDT rondoniense se mobiliza para o encontro estadual em Jipa, no próximo dia 1º de junho *** È o pontapé inicial dos pedetistas para as eleições municipais de 2020 *** Carne clandestina do interior do estado esta desembarcando na capital em concorrencia direta com infratores locais *** Quando é assim, a coisa é resolvida a bala *** É muita maconha paraguaia circulando. O produto vem de Ponta Porã (MS), segue pela BR-364 e chega a PVH que redistribui para Manaus e Rio Branco *** È a nossa Ceasa das drogas, que exporta de volta para o sul, cocaina.    

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Sperança

O cliente tem razão + Top 5 dos prefeituráveis da capital + Obras da EFMM estão lentas +

O cliente tem razão + Top 5 dos prefeituráveis da capital + Obras da EFMM estão lentas +

O cliente tem razãoO caso de uma invasão de área indígena com desmatamento e queimada ilegais que demorou 28 anos na esfera judiciária anima novas

Crenças errôneas + Balaio de gatos + É coisa de louco! + Plano Diretor de Porto Velho

Crenças errôneas + Balaio de gatos + É coisa de louco! + Plano Diretor de Porto Velho

Crenças errôneasNo passado, pensar o Brasil no exterior era imaginar o Rio de Janeiro, samba, mulatas e futebol. Turistas pouco afeitos à geografia

Chega de perder + A revitalização + Cartas no MDB + Construção civil

Chega de perder + A revitalização + Cartas no MDB + Construção civil

Chega de perderA péssima imagem do Brasil não é falta de propaganda cara no exterior sobre as maravilhas da Amazônia e do país. É preciso reconhece

A diplomacia do peixe + A eficiência na agricultura + Batendo cabeça + Cadê a ponte?

A diplomacia do peixe + A eficiência na agricultura + Batendo cabeça + Cadê a ponte?

A diplomacia do peixeO período do defeso do tambaqui, cuja pesca está paralisada até março, é uma oportunidade para fazer um balanço das ações mais